Porto de Santana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Porto de Santana
Vista do Porto de Santana, com destaque ao Rio Amazonas.
Localização
País  Brasil
Localização rua Cláudio Lúcio Monteiro, 1380 - Novo Horizonte
Santana
 Amapá
Detalhes
Inauguração 6 de maio de 1982[1]
Operado por Prefeito Municipal de Santana[2]
Proprietário Companhia Docas de Santana (CDSA)[2]
Tipo de porto Fluviomaritimo
Área 170 mil m²
Estatísticas
Carga anual de toneladas 180 mil t

O Porto de Santana (inicialmente Porto de Macapá) é um porto público municipal localizado no município de Santana, no Amapá. O porto está situado a 3 km do Centro de Santana e a 18 km do Centro de Macapá.[1]

É o principal porto do estado do Amapá e uma linha férrea conecta o interior com a cidade portuária. Do porto vêm os transportes de minério e madeira, que chegam ao Porto de Santana para embarque.[1]

Origem[editar | editar código-fonte]

A construção do então Porto de Macapá foi iniciada em 1980 e tinha a finalidade original de atender à movimentação de mercadorias por via fluvial, transportadas para o Estado do Amapá e para a Ilha de Marajó. Todavia, pela sua posição geográfica privilegiada, tornou-se uma das principais rotas marítimas de navegação, permitindo conexão com portos de outros continentes, além da proximidade com o Caribe, Estados Unidos e União Européia, servindo como porta de entrada e saída da região amazônica. A inauguração oficial das instalações ocorreu em 6 de maio de 1982, pouco depois da criação do distrito de Santana e com a instalação do município, através do Decreto-lei nº 7639 de 17 de dezembro de 1987, passou a se chamar Porto de Santana, onde fica sua localização atual.[1]

A partir de 14 de dezembro de 2002, através do Convênio de Delegação nº 009/02 do Ministério dos Transportes e a Prefeitura de Santana, com a interveniência da Companhia Docas do Pará, foi criada a Companhia Docas de Santana, empresa pública de direito privado para exercer a função de Autoridade Portuária.[1]

Administração[editar | editar código-fonte]

A Companhia Docas de Santana (CDSA) é uma empresa pública subordinada diretamente a Prefeitura de Santana.[2]

Dados geográficos[editar | editar código-fonte]

Está situado na rua Cláudio Lúcio Monteiro, 1380, bairro Novo Horizonte, na cidade de Santana. Localizado na desembocadura do rio Amazonas, situado próximo ao Oceano Atlântico, no estado do Amapá.[2]

Acessos[editar | editar código-fonte]

  • Rodoviário: pelas rodovias AP-010, ligando as cidades de Macapá e Mazagão; BR-210 (Perimetral Norte), encontra a BR-156, próximo a Macapá, e na área urbana, pela Rua Cláudio Lúcio Monteiro.
  • Ferroviário: a 2km das instalações portuárias, a Estrada de Ferro do Amapá (EFA), liga a Serra do Navio até o terminal privativo da Tocantins Mineração S/A, em Santana.
  • Aquático: pelo Rio Amazonas e seus afluentes, pela Barra Norte, situada entre as ilhas Janaucu e Curuá e pela Barra Sul, delimitada pelas ilhas de Marajó e Mexiana; pelo canal natural de Santana, braço norte do Rio Amazonas, com largura variável entre 500m e 800m e profundidade operacional de 12m.
  • Aéreo: pelo Aeroporto Internacional de Macapá, a 20 km do porto, com vôos diários para as principais capitais do Brasil.

Características[editar | editar código-fonte]

O porto de Santana conta com a seguinte estrutura:[1]

Instalações[editar | editar código-fonte]

  • Cais A: com 200m de extensão, profundidade de 12m e um berço próprio para navios tipo Panamax.
  • Cais B: com 150m de extensão, 11m de profundidade, e um berço, atende às navegações de longo curso e de cabotagem.
  • Pátio de Contêineres com 16.500m², com capacidade para 900 TEUs.
  • 1 pátio de 3.000m²
  • 1 armazém de 2.800m² para carga geral
  • 1 galpão de 1.500m²

Terminais privados[editar | editar código-fonte]

  • Anglo Ferrous: com 270m de cais e 12m de calado, opera na exportação de minério.
  • Ipiranga/Texaco: com 120m de cais e 10m de calado, movimenta combustíveis.

Equipamentos[editar | editar código-fonte]

  • 1 guindaste Grove modelo GMK – 5130 para 130t
  • 1 empilhadeira Hyster de 7t
  • 2 empilhadeiras Yale de 3t
  • 2 tratores Ford CBT para reboque de carretas
  • 6 carretas para contêineres
  • 6 carretas para palets
  • 2 transportadores de correia móvel e elétrica
  • 1 balança rodoviária eletrônica de 80t
  • 1 ship-loader para cavaco, da Amcel
  • 1 empilhadeira Belotti para contêineres de 40t

Fluxo de cargas[editar | editar código-fonte]

O Porto de Santana movimentou 1.476.441t em 2015. As principais cargas movimentadas no porto foram eucalipto e granel líquido.[1]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]