Santana (Amapá)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Santana
"Cidade-Porto do Amapá"
Porto de Santana

Porto de Santana
Bandeira de Santana
Brasão de Santana
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 17 de dezembro[1]
Fundação 4 de fevereiro de 1758 (261 anos)[1]
Emancipação 17 de dezembro de 1987 (31 anos)
- de Macapá[1]
Gentílico santanense[1]
Padroeiro(a) Santa Ana
CEP 68.925-001 a 68.939-999[2]
Prefeito(a) Ofirney Sadala (PHS)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Santana
Localização de Santana no Amapá
Santana está localizado em: Brasil
Santana
Localização de Santana no Brasil
00° 02' 06" S 51° 10' 30" O00° 02' 06" S 51° 10' 30" O
Unidade federativa Amapá
Região intermediária

Macapá IBGE/2017[3]

Região imediata

Macapá IBGE/2017[3]

Região metropolitana Macapá
Municípios limítrofes Macapá a nordeste; foz do rio Amazonas a sudeste; Mazagão a sudoeste.
Distância até a capital
Características geográficas
Área 1 541,224 km² (BR: 933º AP: 16º)[5]
Área urbana 24,536 km² (AP: 2º) – est. Embrapa[6]
Distritos Santana, Anauerapucu, Igarapé do Lago, Ilha de Santana, Piaçacá e Pirativa
População 119 610 hab. (BR: 276º AP: 2º) –  estimativa IBGE//2018[7]
Densidade 77,61 hab./km²
Altitude 15 m
Clima tropical[8] Am
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,692 (BR: 2134°) – médio PNUD/2010[9]
Gini 0,55 PNUD/2010[9]
PIB R$ 1 809 277,000 mil (AP: 2º) – IBGE/2016[10]
PIB per capita R$ 15 891,21 (AP: 6º) - IBGE/2016[10]
Página oficial
Prefeitura santana.portal.ap.gov.br
Câmara santana.ap.leg.br

Santana é um município brasileiro no estado do Amapá, Região Norte do país. Santana tem uma conurbação com o município de Macapá, a capital do estado, formando a Região Metropolitana de Macapá. As duas totalizam quase 630 mil habitantes em 2018.[7]

É o segundo município mais populoso do estado, com cerca de 120 mil habitantes, conforme estatísticas de 2018 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).[7] É conhecida por Cidade-Porto do Amapá por sediar o principal porto do estado do Amapá.

História[editar | editar código-fonte]

A história do município de Santana teve início do agrupamento populacional na Ilha de Santana, localizada em frente, à margem esquerda do rio Amazonas, em 1753. Os primeiros habitantes eram moradores portugueses e mestiços vindos do Pará, além de índios Tucuju, comandados pelo desbravador português Francisco Portilho de Melo, que evadiu-se para esta região fugindo das autoridades fiscais paraenses em razão do comércio clandestino de escravos e metais.[1]

Santana em muitos aspectos aproxima-se do que ocorrera com a cidade de Macapá, no momento em que o Governador Estado do Grão-Pará e Maranhão (Capitão-General Francisco Xavier de Mendonça Furtado), fundou a Vila de São José de Macapá no dia 4 de fevereiro de 1758. Prosseguiu viagem para a Capitania de São José do Rio Negro e deparou-se com a Ilha de Santana, situada na margem esquerda do Rio Amazonas, elevando-a à categoria de povoado.[1]

Os primeiros habitantes eram moradores de origem europeia, principalmente portugueses, mestiços vindos do Pará e índios da nação Tucuju. Estes últimos vindos de aldeamentos originários do Rio Negro, chefiados por Francisco Portillo de Melo, contrabandista de pedras preciosas e escravos, que fugia das autoridades fiscais paraenses, em decorrência de estarem atuando no comércio clandestino.[1]

Em 31 de agosto de 1981, Santana é elevada a categoria de Distrito de Macapá, através da Lei nº 153/81-PMM, sendo o distrito instalado oficialmente em 1 de janeiro de 1982, e o pioneiro Francisco Correa Nobre como o primeiro Agente Distrital. Santana foi elevada à categoria de município através do Decreto-lei nº 7639 de 17 de dezembro de 1987. Através do Decreto (P) nº 0894 de 1 de julho de 1988, o Governador Jorge Nova da Costa nomeia o professor Heitor de Azevedo Picanço, para exercer o cargo de Prefeito Interino, que estruturou a administração pública municipal, criando condições para o futuro prefeito que seria eleito diretamente pelo povo em 15 de novembro de 1988, Rosemiro Rocha Freires.[1]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Santana, de acordo com a divisão do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística vigente desde 2017,[11] pertencia às Regiões Geográficas Intermediária e Imediata de Macapá.[3] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, o município fazia parte da microrregião de Macapá, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Sul do Amapá.[12]

Localizada na desembocadura do Rio Amazonas e na região centro-sul do estado, Santana é o menor município do Amapá em área territorial. A área do município é menor inclusive que a da capital Macapá (cerca de um quarto deste, a qual é conurbana e a distância entre o centro de ambas é de 30 km), possuindo 1.541,22 km².[5]

Seus limites são Macapá (a nordeste), a foz do rio Amazonas (a sudeste) e Mazagão (a sudoeste).[1]

Distâncias[editar | editar código-fonte]

Santana está situado a:[4]

  • 30 km de Macapá
  • 282 km de Laranjal do Jari
  • 587 km de Oiapoque
  • 336 km de Belém (linha reta)
  • 1.785 km de Brasília (linha reta)
  • 2.657 km de São Paulo (linha reta)
  • 2.685 km do Rio de Janeiro (linha reta)

Vegetação[editar | editar código-fonte]

No município são cinco as vegetações predominantes: cerrado, floresta tropical densa, área alagada, floresta de várzea e tensão ecológica.[1]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Há no município vários rios e igarapés, e os mais importantes são o rio Amazonas, rio Matapi, rio Maruanum, rio Tributário, rio Piaçacá, rio Vila Nova, igarapé do Lago e igarapé Fortaleza.[1]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima em Santana é tropical. Segundo a Köppen e Geiger a classificação do clima é Am. Santana tem uma temperatura média de 27.1 °C.[8]

Em Santana na maioria dos meses do ano existe uma pluviosidade significativa. Só existe uma curta época seca e não é muito eficaz. A pluviosidade média anual é 2465 mm.[8]

População[editar | editar código-fonte]

A população de Santana é de uma cidade média, ou seja, acima de 100 mil habitantes. Segundo o Censo de 2010 a população de Santana era de 101.262 habitantes.

Atualmente, Santana possui de acordo com estimativas do IBGE 119 610 habitantes e 77,61 hab/km² e atualmente é o 276º município brasileiro mais populoso e o 2º maior município estadual em população, estando atrás da capital do estado[7]

Evolução demográfica de Santana

Política[editar | editar código-fonte]

Símbolos de Santana
Brasão
Bandeira

Com a Constituição de 1988 ficou determinado a Santana um novo perfil a política local, que obtém mais verbas do governo federal e adquire mais responsabilidades na saúde, educação e segurança. Segundo o CAGED, há no total 8 estabelecimentos do setor público atuando na cidade,[13] onde trabalham 2.864 servidores (densidade de 2,6 servidores para cada 100 habitantes).[14]

Indicadores[editar | editar código-fonte]

O Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) é um indicador que tem como objetivo medir o grau de responsabilidade administrativa por meio de indicadores que mostram o grau de evolução das políticas de recursos públicos e gestão fiscal dos municípios brasileiros. A leitura do IFGF varia entre 0 (gestão ruim) e 1 (gestão perfeita) e Santana atingiu o índice IFGF de 0.2781 em 2013 (4586º no país e 6º no estado).[15] Já pelo Ranking de Eficiência dos Municípios – Folha (ou REM-F), que tem a finalidade de medir o grau de eficiência dos municípios brasileiros e vai de 0 (ineficiente) a 1 (eficiente), atestou que Santana atingiu índice de 0,348 (índice considerado ineficiente), colocando a cidade em 4.656º lugar no Brasil.[14]

Símbolos[editar | editar código-fonte]

Os símbolos do município de Santana são a bandeira, o brasão e o hino.

Poder legislativo[editar | editar código-fonte]

No legislativo possui 15 vereadores.[16] e é representado pela Câmara de Santana.

Poder executivo[editar | editar código-fonte]

É representado pela Prefeitura de Laranjal do Jari. O prefeito atual é Ofirney Sadala, do PHS, eleito em 2016 para a gestão 2017-2020.

Poder judiciário[editar | editar código-fonte]

No judiciário Laranjal do Jari é uma comarca da Justiça Estadual e conta com um fórum. Possui as seguintes varas: [17]

  • 3 Varas Cíveis de Competência Geral
  • 2 Varas Criminais de Competência Geral
  • 1 Vara de Infância e Juventude
  • 1 Vara de Juizado Especial Cível e Criminal
  • 1 Vara de Violência Doméstica por instalar

Esportes[editar | editar código-fonte]

Na cidade há o Estádio Augusto Antunes e o Estádio Vilelão. Há ainda o Ginásio Poliesportivo de Santana.[1]

Economia[editar | editar código-fonte]

O município de Santana, segundo dados do IBGE, tinha em 2016 o Produto Interno Bruto de cerca de R$ 1 809 277 000,00 e o PIB per capita era de R$ 15 891,21.[10] Possui o segundo maior Produto interno bruto (PIB) dentre os municípios do Amapá, sendo superado apenas pela capital estadual, estando caracterizada também como a 448ª maior economia do Brasil.

Santana, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), possui no total 1.548 empresas.[13] E segundo o Empresômetro esse número é ainda maior, totaliza mais de 4.800 empresas atuantes.[18]

Setor primário[editar | editar código-fonte]

Nesse setor é comandado pela criação de gados bovino, bubalino e suíno, além da atividade pesqueira e a extração da madeira, além da venda de produtos tipicamente nortistas (madeira e açaí), que contribuem também para o desenvolvimento econômico de Santana. No setor primário do município há um total de 14 empresas segundo o CAGED.[13]

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

Santana mantém sob o seu domínio o Distrito Industrial de Santana, cujo parque sofre constante ampliação. Entretanto, funcionam as empresas Flórida e Equador, e também as empresas Reama (que industrializa a Coca-Cola no Estado) e Amcel (responsável pela plantação de pinhos e eucalipto), dentre outras. Segundo o Caged, totalizam 119 estabelecimentos (sendo 116 industriais e 3 extrativos) atuando na cidade.[13]

Setor terciário[editar | editar código-fonte]

O comércio (incluindo a Área de Livre Comércio de Macapá e Santana - ALCMS) e os serviços contribuem economicamente. Os funcionários do serviço público são os que recebem as maiores remunerações, movimentando o comércio. Segundo o CAGED, há no total 1.407 estabelecimentos de setor terciário atuando na cidade, sendo:[13]

  • 824 de comércio (sendo 766 varejista e 58 atacadista)
  • 486 de serviços
  • 89 de construção civil
  • 8 de serviços industriais de utilidade pública

Turismo e Lazer[editar | editar código-fonte]

Como atração turística, o porto de embarque e desembarque de produtos importados e cavacos de pinho, o porto flutuante de embarque do manganês pelotizado.[1]

Na Ilha de Santana, que fica do outro lado da cidade, se encontra o Balneário Recanto da Aldeia, lugar bastante frequentado nos finais de semana.[1]

Cultura[editar | editar código-fonte]

O evento de maior expressividade é o Círio de Nossa Senhora de Nazaré com um público em média de 50 mil pessoas que ocorre no terceiro domingo do mês de outubro justamente para não coincidir com o Círio de Belém e Macapá que ocorre no segundo domingo de outubro.[1]

Outra grande festividade é a Festividade em honra a Sant' Ana precisamente no dia 27 de julho, além do período junino (Santana na Roça), que são muito animados e começa em maio e terminar no início de julho. Os grande grupos juninos são Constelação Junina, Estrela Santanense, Minha Deusa, , Sensação Junina, Fogo na Roça e Minha Flor. Também é festejado o Divino Espírito Santo em 2 de janeiro] e realizados em 29 de junho os festejos em louvor à Mãe de Deus.[1]

Grupos de Dança de Santana contam com vários nomes tais como Companhia de Dança Encanto Norte (que trabalha do regional ao contemporâneo), Companhia de Dança On Dance (que promove a cultura e o lazer com ritmos em gerald), Grupo de dança Amigos da Toada Santana (que traz a essência da dança indígena e defende o boi bumbá Garantido), o grupo Xamã e também o Grupo de Dança Step Dance. Há grupos de teatro e vários outros seguimentos culturais o ano inteiro.[1]

Urbanização[editar | editar código-fonte]

A zona urbana de Santana se divide em duas partes. A primeira e mais antiga se localiza na Ilha de Santana e a outra no continente, onde se localiza grande parte dos moradores. Entre ambas não há ligação por rodovias, apesar de serem bem próximas. A área urbana, de 24,536 km², é a segunda maior do Amapá e praticamente se conurba com a da capital.[6]

Bairros[editar | editar código-fonte]

Referências:[19]
Bairro População
Paraíso 17.434
Bairro dos Remédios 12.607
Fonte Nova 12.005
Central 9.923
Comercial 8.575
Hospitalidade 8.533
Nova Brasília 6.407
Provedor 5.269
Elesbão 4.737
Igarapé de Fortaleza 4.122
Novo Horizonte 3.095
Vila Amazonas 1.317
Daniel 1.060
Outros bairros 6.178

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Santana tem uma das melhores estruturas do Amapá.[1]

Comunicação[editar | editar código-fonte]

O municipio possui representação dos Correios, linha telefônica fixa normal, linha celular, emissoras de radio e uma emissora de TV (Canal 42, TV Santana, com programação da TV Diário do Nordeste, do Ceará).[1]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Na saúde, existe dois hospitais:

  • Hospital Estadual de Santana
  • Hospital Vila Amazonas

Educação[editar | editar código-fonte]

Existem no município 36 escolas de ensino fundamental e 3 de ensino médio, que são a Escola Estadual João Rogélio, Escola Estadual José Vieira Sales Guerra e a Escola Estadual Castelo Branco.

Dentre os projetos do Plano de Desenvolvimento da Educação, vinculado ao Ministério da Educação, executado pelo INEP, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, na Região Norte, Estado do Amapá, as Escolas Públicas Urbanas estabelecidas no Município de Santana obtiveram os seguintes IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), em 2005:

IDEB, escola e ranking estadual
Nota Escola Ranking
3,8 Escola estadual São Bento 11º
3,8 Escola estadual São Paulo 12º
3,7 Escola estadual Professora Joanira Del Castilo 19º
3,6 Escola estadual Everaldo da S. Vasconcelos Júnior 33º
3,6 Escola municipal Professor Maria Ilnah de Souza Almeida 34º
3,4 Escola municipal Amazonas 54º
3,4 Escola municipal Professora Gentila Anselmo Nobre 55º
3,3 Escola estadual São Benedito 64º
3,3 Escola estadual São João 65º
3,3 Escola municipal Padre Angelo Biraghi 66º
3,2 Escola estadual Fonte Nova 77º
3,2 Escola estadual Novo Horizonte 78º
3,2 Escola municipal Iranilde de Araújo Ferreira 79º
3,1 Escola estadual Almirante Barroso 92º
3,1 Escola estadual Padre Simão Corridori 93º
3,0 Escola estadual Professora Denise de Melo Vasconcelos 105º
3,0 Escola estadual Professora Izanete Victor dos Santos 106º
3,0 Escola estadual Professor José Ribamar Pestana 107
3,0 Escola estadual Professor Waldecy Correa Ferreira 108º
2,9 Escola municipal Padre Fulvio Giulliano 117º
2,7 Escola estadual Professor Afonso Arinos 124º
2,4 Escola estadual Ana Dias da Costa 130º
2,1 Escola municipal Piauí 137º

Abastecimento[editar | editar código-fonte]

Conta com um sistema de rede de distribuição de água.

A energia elétrica é distribuída pela Companhia de Eletricidade do Amapá.

Segurança[editar | editar código-fonte]

Abaixo as delegacias da cidade.

Transporte[editar | editar código-fonte]

Aéreo[editar | editar código-fonte]

Por Santana se localizar praticamente conturbada com a capital, onde se localiza o Aeroporto Internacional de Macapá, a população de Santana acaba fazendo uso deste para transporte aéreo.

Fluvial[editar | editar código-fonte]

Para as localidades vizinhas, as vias de acesso são feitas através dos transportes fluviais através do Porto de Santana, principal porto do estado.[1]

Ao Estado do Pará (por Almeirim) dá-se através de embarcações conhecidas na região por catraias, com uma duração média de um minuto. Para algumas cidades, pode ser feito através de barcos com uma duração média de 16 horas.[1]

Terrestre[editar | editar código-fonte]

Já é possivel fazer trajeto por via rodoviária e a principal estrada federal que passa no município é a BR-156, que é grande parte asfaltada. Na cidade há o Terminal Rodoviário de Santana, com horário direto para Macapá, Laranjal do Jari, Mazagão, Porto Grande e Oiapoque.[20][21]

O transporte urbano é feito por empresas de ônibus atendendo a toda zona urbana.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v Amapá Digital
  2. «CEP de cidades brasileiras». Correios. Consultado em 31 de Julho de 2008 
  3. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 6 de novembro de 2017 
  4. a b www.rotamapas.com.br
  5. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (15 de janeiro de 2013). «Áreas dos Municípios». Consultado em 6 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 6 de novembro de 2017 
  6. a b Embrapa Monitoramento por Satélite. «Roraima». Consultado em 8 de outubro de 2011. Cópia arquivada em 8 de outubro de 2011 
  7. a b c d «Estimativa populacional 2018» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 29 de agosto de 2018 
  8. a b c Climate-data
  9. a b Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (2010). «Perfil do município de Santana - AP». Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Consultado em 28 de dezembro de 2013 
  10. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 28 de dezembro de 2018. Cópia arquivada em 10 de fevereiro de 2018 
  11. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 6 de novembro de 2017. Cópia arquivada em 6 de novembro de 2017 
  12. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1990). «Divisão regional do Brasil em mesorregiões e microrregiões geográficas» (PDF). Biblioteca IBGE. 1: 29. Consultado em 6 de novembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 6 de novembro de 2017 
  13. a b c d e «CAGED - Perfil do Município». Ministério do Trabalho e Emprego. Consultado em 6 de fevereiro de 2015 
  14. a b Ranking de Eficiência dos Municípios – Folha
  15. Índice Firjan de Gestão Fiscal - Sistema Firjan
  16. Eleição vereadores
  17. «Conheça o Tribunal». www.tjap.jus.br. Consultado em 24 de novembro de 2017 
  18. Empresômetro
  19. «Bairros de Santana». População-Net. Consultado em 12 de agosto de 2017 
  20. Rodoviária de Santana - foursquare.com
  21. Guichê Virtual

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons