RJ-155

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rodovia Presidente Getúlio Vargas
Rodovia Engº Francisco Saturnino Braga
País
Identificador  RJ-155 
Tipo Pavimentada
Inauguração 1963
Extensão 76 km
Extremos
 • norte:
 • sul:

BR-116 RJ.svg BR-116 (Rodovia Presidente Dutra), São Pedro, em Barra Mansa, RJ
BR-101 RJ.svg BR-101 (Rio-Santos), Ariró, em Angra dos Reis, RJ
Interseções RJ-139.svg RJ-139 Antiga Estrada Rio-São Paulo
RJ-149.svg RJ-149 Estrada Mangaratiba-Rio Claro
Concessionária DER-RJ
Rodovias Estaduais do Rio de Janeiro

A RJ-155, que tem os nomes oficiais de Rodovia Presidente Getúlio Vargas (da BR-116 Rodovia Presidente Dutra até o distrito de Getulândia, em Rio Claro) e de Rodovia Engenheiro Francisco Saturnino Braga (de Getulândia até a BR-101 Rio-Santos), liga o município de Barra Mansa ao município de Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro. É mais conhecida pelo último nome, o qual foi dado em homenagem a um presidente do antigo Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER), atual Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), entre 1945 e 1950.

Atualmente com 76 quilômetros de extensão, esta rodovia foi inicialmente construída sobre o leito do antigo caminho colonial, que ligava Angra dos Reis até o Vale do Paraíba. Era, até 1928, o único caminho terrestre de acesso ao litoral sul-fluminense, quando, naquele ano, foi inaugurado o trecho entre Barra Mansa e Angra dos Reis da Linha Tronco da Rede Mineira de Viação. No fim dos anos 1930, durante a execução dos planos de viação implementados pelo governador Ernâni do Amaral Peixoto, foi decidida a modernização da estrada e seu calçamento, o que só viria ocorrer na década seguinte, tendo as obras terminados em meados de 1944.

Até a inauguração da Rodovia Rio-Santos, no início dos anos 1970, foi o único acesso rodoviário entre Angra dos Reis com o restante do estado, sendo numerada, até a década de 1990, pelo Departamento de Estradas de Rodagem fluminense como RJ-16, tendo parte de seu leito inicial, entre as localidades de Ariró e Belém, sido aproveitada pela BR-101 quando de sua construção, trecho este que possui, aproximadamente, oito quilômetros. Outro trecho foi transformado em uma avenida municipal, ainda conhecida por "Estrada Angra-Getulândia", que liga a região do bairro Japuíba ao Centro da cidade, sendo a principal via pra quem vai do centro da cidade para o Aeroporto de Angra dos Reis.

Uma via alternativa, em planejamento, é a rodovia RJ-155 A1 (no pláno viário estadual) ou BR-494 (no plano viário nacional), que ligaria a entrada de Volta Redonda na rodovia Presidente Dutra, na altura do bairro Roma, até Getulândia. Com a não implantação da mesma, a prefeitura volta-redondense abriu uma estrada municipal, com traçado bem próximo do previsto, a fim de facilitar a locomoção de seus munícipes ao litoral sul-fluminense e a vinda de pessoas daquela região à cidade.

Para fins de fiscalização, policiamento ostensivo e apoio, a rodovia conta com um posto do Batalhão de Polícia Rodoviária da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, no distrito rio-clarense de Lídice. Há outros nas localidades de Santa Clara, em Barra Mansa, subordinado ao 28º BPM; de Getulândia, em Rio Claro, e de Serra D'Água, no município de Angra dos Reis, estes últimos pertencentes ao 33º Batalhão da PMERJ.

Durante o verão, o movimento nesta rodovia ultrapassa os 10 mil veículos por dia, trazendo algum grau de lentidão ao seu tráfego, principalmente nos finais de semana prolongados. Há poucos trechos de ultrapassagem ao longo de toda a rodovia, bem como diversos pontos de dificuldade de visão e além de um trecho de serra de cerca de 15 quilômetros entre Lídice e Serra d'Água, ao que se recomenda cautela aos usuários, haja vista não haver base de socorro de emergência em todo seu percurso.

Trecho da RJ-155, na altura do distrito de Lídice, município de Rio Claro.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]