Renault Laguna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Renault Laguna / Laguna Nevada
Renault Laguna III Phase I front.JPG
Visão Geral
Produção 1994 — 2012
Fabricante Renault
Modelo
Classe Sedan
Station Wagon
Carroceria Sedan 4 portas
SW 4 portas
Modelos relacionados
Chevrolet Malibu
Ford Fusion
Citroën C5
Honda Accord
Hyundai Sonata
Opel Insignia
Peugeot 508
Toyota Camry
Volkswagen Passat
Cronologia
Renault 21
Renault Talisman

O Laguna foi um modelo sedan de porte médio da Renault. Teve também uma station wagon chamada Laguna Nevada.

O Laguna não foi fabricado no Brasil, mas foi vendido como importado no país (a partir da França e da Argentina) entre 1996 e 2002. Não obteve sucesso numérico em vendas no Brasil, mas serviu para divulgar a capacidade tecnológica da marca e alavancar vendas de modelos mais baratos, como o Clio e o Megàne (este, outro que nunca chegou a "pegar" realmente no Brasil). Sua propaganda alardeava que "o Laguna tem tudo o que a tecnologia de ultima geração pode colocar em carro. Ele é tão completo, que só falta falar. Alias, nem isso. Alguns modelos falam com você. Ainda por cima, em francês. Bienvenu á bord".

Por ser um dos mais esportivos na época, confortável, potente, com motorização de 2.0 e 3.0 V6, de manutenção não muito cara, o modelo Laguna também foi fabricado na Argentina entre 1993 e 2003.

O Laguna deu prejuízo de quase 1.5 mil milhões, 3410 euros por unidade feita.[1]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre automóveis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. «Top dos carros que deram prejuízo às marcas»