Dacia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Automobile Dacia S.A.
Razão social Sociedade anónima
Subsidiária da Renault
Fundação 1966
Sede Mioveni, Argeş, Roménia
Produtos Automóveis
Website oficial gruprenault.ro

Automobile Dacia S.A. mais conhecida como Dacia (em pronuncia romena: [datʃi.a]) é uma empresa automobilística romena, fundada em 1966. Pertence ao Grupo Renault. O nome tem origem na região onde atualmente se encontra a Roménia, que era ocupada pelos dácios, a religião da Dácia.[1]

História[editar | editar código-fonte]

A Dacia surgiu oficialmente sob o nome Uzina de Autoturisme Piteşti (UAP), em 1966, com sua fábrica sendo construída em Mioveni, próximo a Piteşti, na Roménia.[2]

Inicialmente, a Dacia adquiriu o ferramental e os desenhos básicos do modelo Renault 12, produzindo como o Dacia 1300 (nos mercados de exportação era conhecido como Dacia Denem).[3] Pequenas mudanças estéticas foram feitas em poucos anos, em um esforço para aumentar o interesse do público em comprar um modelo mais recente, mas as principais características de design do carro ainda continuavam sem mudanças, tornando-o desatualizado. O Dacia 1300 chegou a ser produzido em versões hatchback, sedã e perua.[4]

Durante o período comunista, a Dacia possuía duas linhas de montagem paralelas: uma linha produziu o Dacia para o mercado romeno e outra linha produziu o mesmo carro, mas com elementos de melhor qualidade e melhor montado, destinado ao mercado de exportação. Era muito comum romenos que moravam na fronteira com a Hungria comprarem os modelos de exportação e voltarem para a Romênia os dirigindo.

O primeiro acordo com a Renault data de 1966 e foi celebrado com o objetivo de produzir o R16 que, apesar de tudo, acabou não indo adiante. Desta forma, o primeiro modelo produzido pela marca Romena acabou sendo o Dacia 1100 em 1968. Este modelo era muito semelhante ao Renault 8 uma vez que a empresa fabricava veículos Renault sob licença. Até 1972 venderam-se cerca de 44 000 unidades do Dacia 1100.

Na década de 80 surgiram inúmeros protótipos assim como variantes do Dacia 1310. Em 1990 foi feito um esforço para atualizar o design dos automóveis Dacia, o que levou ao lançamento de um novo modelo, o Dacia Nova. Apesar do esforço este modelo deixava ainda muito a desejar no que ao design dizia respeito. Com a entrada da Romênia na União Europeia todas as linhas de montagem foram renovadas e ampliadas.

Após quase 30 anos de cooperação com Dacia, que fabricava veículos Renault sob licença, o Grupo Renault adquiriu em 1999, 51% no capital do fabricante romeno. Esta participação foi aumentada progressivamente para atingir 99,3% do capital em 2004. Com a aquisição, a Renault reforçou assim a sua presença no mercado automobilístico e contribuiu para atingir o objetivo de 4 milhões de veículos vendidos em 2010.[5]

O grupo Renault realizou 489 milhões de euros de investimento nestes últimos 5 anos para a modernização da Dacia, tendo como principais objetivos, a melhoria profunda da qualidade, formação do pessoal, etc.. Estes investimentos contribuíram nomeadamente para inaugurar novas linhas de montagem (motores e caixas de velocidade Renault), renovar as construções e renovar o equipamento informático.

Modelos[editar | editar código-fonte]

Dacia Logan, modelo sedã da montadora, já sob o controle da Renault.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências

  1. «Car Assembly Plant». Dacia 
  2. «Linha do tempo». Dacia 
  3. «Dacia | Cartype». cartype.com. Consultado em 26 de maio de 2017 
  4. Almeida, Márcio Nunes de. «História - MotorConsult - Consultoria e Formação Automóvel». www.motorconsult.pt. Consultado em 26 de maio de 2017 
  5. admin (19 de maio de 2012). «Profile». Dacia (em inglês) 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]