Riot Games

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Riot Games
Sede da Riot Games em West Los Angeles (foto em 2015)
Desenvolvimento de jogos eletrônicos
Atividade Software e videogame
Fundação Los Angeles, Califórnia, EUA (2006)
Fundador(es) Brandon Beck e Marc Merril
Sede Los Angeles, Califórnia, EUA Estados Unidos
Área(s) servida(s) Mundo inteiro
Pessoas-chave
Empregados 2.500 (estimativa de 2018)
Produtos League of Legends, Teamfight Tactics, Legends of Runeterra, Valorant
Empresa-mãe Tencent
Website oficial http://www.riotgames.com/

Riot Games é uma empresa americana fundada como um estúdio de jogos independente em 2006 por Brandon "Ryze" Beck e Marc "Tryndamere" Merril, em Los Angeles.[2] A empresa anunciou o seu primeiro jogo, League of Legends: Clash of Fates, em outubro de 2008,[3] e lançou o jogo em outubro de 2009 simplesmente como League of Legends. O jogo utiliza o modelo free-to-play apoiado por microtransações, no lugar de anúncios ou venda de cópias.

História[editar | editar código-fonte]

Em 2008, a Riot Games obteve um financiamento inicial de EUA US $ 7 milhões fornecidos por empresas de capital de risco Benchmark Capital e Firstmark Capital.[4] Em uma segunda rodada de financiamentos em 2009, a empresa obteve US $ 8 milhões Benchmark, Firstmark e tecnologia da gigante chinesa Tencent.[5][6] No início de 2011, a Tencent Holdings comprou uma participação majoritária na Riot Games. Embora os detalhes deste acordo nunca tenham sido divulgados, a Bloomberg Businessweek e a VentureBeat estimam que a transação seja cerca de US$ 350 a US$ 400 milhões.[7][8]

Os funcionários da empresa incluem veteranos de Defense of the Ancients (DotA), como o desenvolvedor de Dota Steve "Guinsoo" Feak e o fundador do fansite DotA-Allstars.com Steve "Pendragon" Mescon, Supremo.[9] A Riot Games também emprega ex-funcionários da Blizzard Entertainment.[2] Em 12 de julho de 2013, o Business Insider classificou a Riot Games em #4 na lista das 25 melhores empresas de tecnologia para se trabalhar em 2013.[10]

Marc "Tryndamere" Merrill, presidente da Riot, respondeu à perguntas da comunidade de League of Legends no Reddit em 3 de maio de 2012.[11]

Jogos[editar | editar código-fonte]

Nome Lançamento Gênero Plataforma Fonte
League of Legends Outubro de 2009 MOBA Windows/Mac
Teamfight Tactics Junho de 2019 Auto Battler Windows/Mac/Android/iOS
Legends of Runeterra Abril de 2020 Jogo de cartas colecionáveis Android/iOS/Windows
League of Legends: Wild Rift 2020 Beta MOBA Android/iOS/Console [12]
Valorant Junho de 2020 Tiro em primeira pessoa Windows [13]
LoL Esports Manager 2020 Simulação Android/iOS/Windows [14]
Ruined King 2021 RPG eletrônico de estratégia Playstation 4, Playstation 5, Xbox One, Xbox Series, Nintendo Switch, Windows [15]
Convergence TBA Ação em plataforma PC e consoles [16]
Projeto L TBA Jogo eletrônico de luta TBA [17][18]
Projeto F TBA
Desconhecido MMORPG [19][20]

Mini-jogos[editar | editar código-fonte]

Jogos Ano Mês Gênero Plataforma Nota
Astro Teemo 2013 Março Arcade Windows/Mac Foi desenvolvido pela empresa Pure Bang Games e publicado pela Riot Games como uma brincadeira do Dia da Mentira de 2013[21] e ficou disponível por 24 horas.[22] O jogo foi inspirado em Jetpack Joyride com referências a Nyan Cat e pôde ser desbloqueado no quarto nível de League of Legends: Cho'Gath Eats the World.[23]
Blitzcrank's Poro Roundup 2015 Agosto Sidescrolling iOS/Android/Flash Blitzcrank’s Poro Roundup é um jogo com personagens de League of Legends que se passa no universo do jogo da Riot Games. O título é de aventura, com elementos de “corredor infinito”, no qual o robô Blitzcrank precisa correr e coletar Poros, criaturas diminutas e indefesas.
Mechs vs. Minions 2016 Outubro Tabuleiro Jogo de mesa Primeiro jogo de tabuleiro desenvolvido pela Riot Games.

Distribuição[editar | editar código-fonte]

A Riot Games já lançou e distribuiu na América Latina, Austrália, Nova Zelândia, Estados Unidos, Filipinas, Singapura, Vietnã, Malásia, Tailândia, Canadá, Hong Kong, Macau, Coreia do Sul, Taiwan, China, Europa, Brasil e Indonésia. Na China, o acionista primário da Riot, a Tencent, distribui o jogo online.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Lien, Tracey (1 de janeiro de 2014). «Riot Games president defends company against accusations of greed». Polygon. Consultado em 1 de novembro de 2014 
  2. a b Kath Brice (25 de junho de 2009). «Blizzard developers join Riot Games' online title». Games Industry International. Consultado em 16 de outubro de 2013 
  3. Anthony Gallegos (7 de outubro de 2008). «Riot Games' League of Legends Announced». 1UP.com. Consultado em 16 outubro de 2013. Arquivado do original em 17 de outubro de 2013 
  4. Leigh Alexander (10 de julho de 2008). «Riot Games Get a $7M Launch». Kotaku. Consultado em 16 de outubro de 2013 
  5. admin (9 de setembro de 2009). «Riot Games Raises $8 Million». PE Hub. Consultado em 16 de outubro de 2013 
  6. Lalee Sadighi (Setembro de 2009). «Riot Games: $8 Million to Play With». Red Herring. Consultado em 16 de outubro de 2013 
  7. João Victor R. Rotandano (4 de fevereiro de 2011). «China's Tencent Buys Riot Games». Astro Teemo News. Consultado em 16 de outubro de 2013 
  8. Baldwin, Clare (5 de fevereiro de 2011). «UPDATE 1-Tencent acquires majority stake in Riot Games». Reuters. Consultado em 16 de outubro de 2013 
  9. «Steve Mescon hints bringing DotA-AllStars.com back online». Neutral Creeps. 5 de julho de 2011. Consultado em 16 de outubro de 2013 
  10. Megan Rose Dickey (12 de julho de 2013). «The 25 Best Tech Companies To Work For In 2013». Business Insider. Consultado em 16 de outubro de 2013 
  11. Marc Merrill (3 de maio de 2012). «I am Marc "Tryndamere" Merrill, President & co-founder of Riot Games. AMA!». Reddit. Consultado em 16 de outubro de 2013 
  12. «League of Legends: Wild Rift será lançado para Android, iOS e consoles | Jogos». Tecnoblog. 16 de outubro de 2019. Consultado em 30 de março de 2021 
  13. Chiessi (2 de março de 2020). «Valorant, novo FPS gratuito da Riot Games». The Game Times. Consultado em 2 de março de 2020 
  14. «LoL Esports Manager: entenda iniciativa da Riot Games para competitivo». 18 de outubro de 2019. Consultado em 29 de julho de 2020 
  15. «League of Legends spinoff Ruined King will launch on consoles in 'early 2021'» (em inglês). 31 de outubro de 2020. Consultado em 14 de dezembro de 2020 
  16. Oliveira, Miguel (13 de dezembro de 2019). «Riot anuncia Convergence: A League of Legends Story». O Vício. Consultado em 6 de novembro de 2020 
  17. Lawler, Richard (15 de outubro de 2019). «Riot celebrates ten years of 'LoL' by finally announcing new games». Engadget (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 16 de outubro de 2019 
  18. Grubb, Jeff (15 de outubro de 2019). «Everything Riot announced for League of Legends' 10th anniversary». VentureBeat (em inglês). Consultado em 17 de outubro de 2019. Cópia arquivada em 16 de outubro de 2019 
  19. «League of Legends MMO In Development, Riot Games Executive Announces - IGN» (em inglês). ign.com. Consultado em 18 de dezembro de 2020 
  20. «Riot Games is making a League of Legends MMO - Polygon» (em inglês). polygon.com. Consultado em 18 de dezembro de 2020 
  21. «Cho'gath eat the world et Astro Teemo pour Pâques !» (em francês). Gamingway. 1 de abril de 2013. Consultado em 26 de setembro de 2020 
  22. Aki Mitsuki (1 de abril de 2013). «Riot Games,ブラウザゲーム「League of Legends: Cho'gath Eats the World 」を公開。世界の各都市でCho'Gathが大暴れ» (em japonês). 4Gamer. Consultado em 26 de setembro de 2020 
  23. Jenna Pitcher (1 de abril de 2013). «League of Legends: Cho'Gath Eats the World, the prank that was a year in the making» (em inglês). Polygon. Consultado em 26 de setembro de 2020