Rodolfo II do Sacro Império Romano-Germânico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Rodolfo II da Germânia)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rodolfo II
Arquiduque da Áustria
Reinado 12 de outubro de 1576
a 20 de janeiro de 1612
Antecessor(a) Maximiliano II
Sucessor(a) Matias
Imperador Romano-Germânico
Reinado 27 de outubro de 1575
a 20 de janeiro de 1612
Predecessor Maximiliano II
Coroação 1 de novembro de 1575
Sucessor Matias
Rei da Boêmia
Reinado 22 de setembro de 1575
a 11 de março de 1611
Coroação 22 de setembro de 1575
Predecessor Maximiliano II
Sucessor Matias
Rei da Hungria e Croácia
Reinado 25 de setembro de 1572
a 25 de junho de 1608
Coroação 26 de setembro de 1572
Predecessor Maximiliano II
Regente 26 de setembro de 1572
Sucessor Matias II
 
Casa Habsburgo
Nascimento 18 de julho de 1552
Viena, Áustria, Sacro Império Romano-Germânico
Morte 20 de janeiro de 1612 (59 anos)
Praga, Boêmia, Sacro Império Romano-Germânico
Sepultamento Catedral de São Vito, Praga, República Checa
Pai Maximiliano II do Sacro Império Romano-Germânico
Mãe Maria da Áustria

Rodolfo II (Viena, 18 de julho de 1552Praga, 20 de janeiro de 1612) foi o Imperador Romano-Germânico de 1575 até sua morte, além de Arquiduque da Áustria e Rei da Hungria, Croácia e Boêmia. Era filho do imperador Maximiliano II e sua esposa a arquiduquesa Maria da Áustria.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Na Espanha, recebeu severa educação católica; depois de conseguir suas três coroas, favoreceu a Contrarreforma, impondo por armas um governo católico a uma cidade livre como Aachen, em 1580.

Adotou o calendário gregoriano em 1583. Não conseguiu manter a coesão de seus estados. Instalou a capital em Praga, atraindo a simpatia dos checos e a hostilidade dos alemães. Houve revoltas na Áustria 1595-1597 e dos húngaros. A partir de 1597, sua saúde declinou e, trancando-se no castelo chamado Hradcany, apaixonou-se pelas ciências e belas artes e se tornou protetor de Tycho Brahe e Johannes Kepler. Seus irmãos se apoderam do poder. O arquiduque Matias, vencedor dos otomanos, tratou diretamente com eles e obrigou Rodolfo a lhe ceder a Áustria, a Morávia e a Hungria em 1608. O imperador conseguiu conservar a Boêmia e a Silésia, dando aos súditos protestantes uma carta (lettre de majesté) em 9 de julho de 1609, que lhes concedia, com certas restrições, liberdade de consciência e de culto.

Para enfrentar Matias, tentou inutilmente fazer eleger rei dos romanos outro irmão. Mas Matias, reconhecido chefe da casa de Habsburgo, conseguiu dos estados da Boêmia que exigissem a abdicação de Rodolfo em 1611, e este só conservou seu título imperial.

Ao subir ao trono, Rodolfo II manteve a política de tolerância ao protestantismo de seu pai e deu auxílio a Contrarreforma. Embora fosse um homem culto, parecia incapaz de governar por ataques de melancolia e, mais tarde, ocasionalmente, de insanidade. Por isso, outros membros da família começaram a intervir nos assuntos do império.

Após uma revolta na Hungria (1604-1606) liderada por Stephen Bocskay e seus aliados otomanos, grande parte do poder foi transferido para o irmão de Rodolfo, Matias. A revolta foi provocada pela tentativa de Rodolfo de impor o catolicismo romano na Hungria. Em 1608, Matias forçou Rodolfo a lhe ceder a Hungria, a Áustria e a Morávia. Procurando ganhar apoio dos estados boêmios, Rodolfo emitiu um documento real chamado Majestät em 1609, que garantia a liberdade religiosa aos nobres e às cidades. Este esforço foi em vão e Rodolfo foi forçado a ceder a Boêmia para Matias em 1611. O reinado turbulento de Rodolfo foi um prelúdio para para a Guerra dos Trinta Anos.

Rodolfo II, retratado por Giuseppe Arcimboldo, como o deus romano Vertumnus

Rodolfo II foi um dos mais excêntricos monarcas europeus de todos os tempos. Colecionava anões e possuía um regimento de gigantes em seu exército. Era rodeado por astrólogos e fascinado por jogos, códigos e música. Rodolfo fazia parte dos nobres de seu período orientados pelas ciências ocultas. Patrono da alquimia, financiou a impressão de literatura alquimista. Além disso, seu gosto pelo excêntrico o fez um dos principais protetores e mecenas de Giuseppe Arcimboldo pintor considerado por certos críticos um dos precursores ou inspiradores do surrealismo, umas das principais vanguardas europeias do século XX. Uma das principais obras do artista é justamente o retrato de Rodolfo II como o deus romano Vertumnus pintado provavelmente entre 1590 e 1591 feito com vários tipos de frutas, legumes, cereais e outros vegetais.

Deixou apenas uma filha bastarda, Carlota (morta em Malines em 1662) marquesa da Áustria, que casou com Francisco Tomás (1589-1629 Besançon), príncipe de Cantecroix, da casa da Borgonha-Ivrea.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Maximiliano II
Sacro Imperador Romano-Germânico
15761611
Sucedido por
Matias
Precedido por
Maximiliano II
Rei da Hungria
15721608
Sucedido por
Matias II


Ícone de esboço Este artigo sobre história da Alemanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.