Sebastião Celso de Carvalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Celso Carvalho
Celso Carvalho
Deputado estadual  Sergipe
Período 1955-1963
Vice-governador  Sergipe
Período 1963-1964
Antecessor(a) Dionísio Machado
Sucessor(a) Manoel Cabral
Governador  Sergipe
Período de 1º de abril de 1964
a 31 de janeiro de 1967
Antecessor(a) Seixas Dória
Sucessor(a) Lourival Batista
Deputado federal  Sergipe
Período 1975-1987
Dados pessoais
Nascimento 24 de janeiro de 1923
Simão Dias, SE
Morte 14 de agosto de 2009 (86 anos)
Aracaju Sergipe
Alma mater Universidade Federal da Bahia
Cônjuge Bertilde Barreto de Carvalho
Partido PSD, ARENA, PP, PDS
Profissão advogado, fazendeiro
Disambig grey.svg Nota: Para Celso de Carvalho (músico português), veja Celso de Carvalho (músico).

Sebastião Celso de Carvalho ou Celso de Carvalho, como era conhecido (Simão Dias, 24 de janeiro de 1923 — Aracaju, 14 de agosto de 2009) foi um advogado, fazendeiro e político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de João de Matos Carvalho e de Rosa de Andrade Carvalho. Seu avo, pelo lado materno, descendia de Sebastião de Andrade, o barão de Santa Rosa e pelo lado paterno, foi o político Joviniano de Carvalho, que foi, na República, 5 vezes deputado federal, de 1901 a 1914.

Nos ensinos primário e secundário, estudou no Grupo Escolar Fausto Cardoso, saindo da escola para estudar com a professora Antonia Borges da Silva, na fazenda Balcão. Quando tinha 10 anos de idade, se mudou para Aracaju, para estudar no Colégio Tobias Barreto, de origem militar, que tinha o professor José de Alencar Cardoso, o Zezinho Cardoso. Na hierarquia deste colégio chegou a Capitão, tendo sido comandante da segunda unidade e porta bandeira. Estudou neste colégio até 1940, quando foi para Salvador, onde estudou até 1941, no Colégio Marista.

Ingressou na Faculdade de Direito em 1942, bacharelando-se em 1946 pela Universidade Federal da Bahia. Regressando a sua terra natal, passou a advogar e tentar a carreira política. Filiou-se ao PSD.

Após o Estado Novo, candidatou-se, em 1947, a prefeito de Simão Dias, do qual foi eleito sem concorrentes. Nas eleições de 1950, apoiou Carvalho Deda (pai de Marcelo Deda) para a deputado estadual. Atuou na pretoria judiciária[1] em Campo do Brito e foi pretor substituto em Ribeirópolis e Frei Paulo. Extintas as pretorias mediante reforma judiciária, passou a atuar novamente como advogado. Nas eleições estaduais de 1954, candidatou-se e foi eleito deputado estadual em Sergipe, sendo reeleito nas eleições estaduais de 1958.

Nas eleições estaduais de 1962, numa chapa composta pelo deputado federal Seixas Dória ao governo do estado, foi eleito vice-governador de Sergipe[2], a quem substituiu quando o mesmo foi deposto no Golpe Militar de 1964,[3] atuando de modo politicamente diverso ao antecessor. Nomeado a governador de Sergipe, governou de 1º de abril de 1964 a 31 de janeiro de 1967.[4]Tão logo foi imposto o bipartidarismo migrou para a ARENA. Permaneceu no governo até a posse de seu sucessor, Lourival Batista, retornando à política, eleger-se a deputado federal nas eleições estaduais de 1974 e nas eleições estaduais de 1978. Após a reforma partidária do governo João Figueiredo optou pelo Partido Popular.

Com a aprovação de um pacote eleitoral capaz de assegurar a maioria ao governo[5] a existência do PP ficou de tal modo comprometida que seus membros decidiram por sua incorporação ao PMDB,[6] porém Celso Carvalho migrou para o PDS e conquistou mais um mandato de deputado federal em 1982. Nessa legislatura ausentou-se da votação da Emenda Constitucional Dante de Oliveira e foi eleitor de Paulo Maluf no Colégio Eleitoral. Encerrado o seu mandato deixou a vida pública e retornou a Simão Dias. Faleceu vítima de câncer.

Casou-se em 1952 com Bertilde Barreto de Carvalho. Tiveram 4 filhos: Celso Barreto, João Eduardo, Luciano Augusto e Sonia Maria.

Referências

  1. "Pretoria" era um cargo judiciário situado um grau imediatamente abaixo do Juiz de Direito.
  2. A legislação vigente determinava a eleição em separado do governador e do vice-governador.
  3. Celso Carvalho foi eleito com 59.551 votos.
  4. «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Celso Carvalho». Consultado em é 29 de julho de 2013.  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  5. Em especial as leis 6.978 e 7.015 de 1982.
  6. PP e PMDB decidem unir-se (online). Folha de S. Paulo, 21/12/1981. Página visitada em 29 de julho de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Seixas Dória
Governador de Sergipe
1 de abril de 1964 — 31 de janeiro de 1967
Sucedido por
Lourival Batista


Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.