Antônio Carlos Valadares

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Antônio Carlos Valadares
Senador  Sergipe
Período 1º de fevereiro de 1995
até a atualidade
Governador do  Sergipe
Período 15 de março de 1987
até 15 de março de 1991
Antecessor(a) João Alves Filho
Sucessor(a) João Alves Filho
Deputado federal  Sergipe
Período 1979-1983
Deputado estadual  Sergipe
Período 1971-1979
Dados pessoais
Nascimento 6 de abril de 1943 (74 anos)
Simão Dias, SE
Partido PSB
Profissão químico industrial, advogado
linkWP:PPO#Brasil

Antônio Carlos Valadares (Simão Dias, 6 de abril de 1943) é um químico industrial, advogado e político brasileiro atualmente senador por Sergipe.[1]

Dados biográficos[editar | editar código-fonte]

Filho de Pedro Almeida Valadares e Josefa Matos Valadares. Estudante da Universidade Federal de Sergipe onde formou-se em Química Industrial em 1967 e em Direito em 1974.[2] Em meio aos estudos fez carreira política pela ARENA ao eleger-se prefeito de Simão Dias em 1966 e deputado estadual em 1970 e 1974 presidindo a Assembleia Legislativa no biênio 1977/1979.

Eleito deputado federal em 1978, licenciou-se[3] para ocupar a Secretaria de Educação no governo Augusto Franco[2] e foi eleito vice-governador de Sergipe pelo PDS na chapa de João Alves Filho em 1982. Filiado ao PFL foi eleito governador de Sergipe em 1986 tornando-se o único governador não pertencente ao PMDB a vencer no pleito daquele ano ao derrotar José Carlos Teixeira com o apoio de uma dissidência peemedebista liderada pelo prefeito de Aracaju, Jackson Barreto e pelos partidos comunistas.[4] Em maio de 1988, com autorização da Assembleia Legislativa, decretou intervenção em Aracaju afastando Jackson Barreto após denúncias do Tribunal de Contas de Sergipe.

Filiado ao PST e com a extinção deste ao PP foi eleito senador em 1994[5] e no ano 2000 perdeu a eleição para prefeito de Aracaju para Marcelo Deda quando já estava no PSB[5] sendo reeleito senador em 2002[5] e 2010.[6]

Em dezembro de 2016, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.[7] Em julho de 2017 votou contra a reforma trabalhista.[8]

Em julho de 2017, votou a favor da cassação de Aécio Neves no conselho de ética do Senado.[9]

Em outubro de 2017 votou a contra a manutenção do mandato do senador Aécio Neves mostrando-se favorável a decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal no processo onde ele é acusado de corrupção e obstrução da justiça por solicitar dois milhões de reais ao empresário Joesley Batista.[10][11]

Família[editar | editar código-fonte]

Seus pais foram prefeitos de Simão Dias, seu irmão José Matos Valadares e seu pai foi ainda deputado estadual. Pai de Valadares Filho, deputado federal desde 2006, e tio de Pedro Valadares, que foi deputado estadual e morreu no Acidente do Cessna Citation 560 XLS+.

Referências

  1. «Senado Federal do Brasil: página pessoal de Antônio Carlos Valadares». Consultado em 2 de novembro de 2010 
  2. a b «Câmara dos Deputados do Brasil: deputado Antônio Carlos Valadares». Consultado em 10 de outubro de 2013 
  3. Segundo a Câmara dos Deputados exerceu o cargo entre 15/03/1979 e 15/12/1981.
  4. Rubim Santos Leão de Aquino; Fernando Vieira; Gilberto Agostino; Hiran Roedel (2007). ajudou no golpe de estado 2016BR&ei=yiTQTMGVKYyt8Abq_ejQBw&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=9&ved=0CDsQ6AEwCA#v=onepage&q=elei%C3%A7%C3%B5es%20de%201986%20%2B%20%C3%BAnico%20governador%20eleito%20PFL%20%2B%20PMDB&f=false Sociedade brasileira: uma história através dos movimentos sociais: da crise do escravismo ao apogeu do neoliberalismo Verifique valor |url= (ajuda). [S.l.]: Editora Record. 808 páginas. ISBN 978-85-01-05970-3. Consultado em 2 de novembro de 2010 
  5. a b c «Banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral: eleições em Sergipe». Consultado em 2 de novembro de 2010 
  6. «Apuração do primeiro turno das eleições de 2010 pelo UOL». Consultado em 10 de outubro de 2013 
  7. Bol (13 de dezembro de 2016). «Confira como votaram os senadores sobre a PEC do Teto de Gastos 155 Do UOL, em São Paulo». Consultado em 16 de outubro de 2017 
  8. Redação - Carta Capital (11 de julho de 2017). «Reforma trabalhista: saiba como votaram os senadores no plenário» 
  9. Redação Carta Capital (6 de julho de 2017). «Por 11 a 4, Aécio é salvo no Conselho de Ética: como votaram os senadores». Consultado em 15 de outubro de 2017 
  10. «Veja como votou cada senador na sessão que derrubou afastamento de Aécio». Consultado em 17 de Outubro de 2017 
  11. «Janot denuncia Aécio Neves ao STF por corrupção e obstrução da Justiça». Consultado em 17 de Outubro de 2017