Space Interferometry Mission

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Current event marker
Este artigo ou seção contém informações sobre uma futura missão espacial.
Devido à natureza do índice, os detalhes podem mudar enquanto a data do lançamento se aproxima e/ou mais informação se torna disponível.
Shuttle.svg
Space Interferometry Mission
Concepção artística do satélite da missão SIM.
Operação Estados UnidosNASA/JPL
Contratantes principais Northrop Grumman
Lançamento Cancelado em 2010
Veículo de Lançamento Um veículo semelhante a um foguete Atlas V 521
Duração da missão 10 anos


A Space Interferometry Mission (SIM), também chamada SIM Planet Quest, é uma missão que a NASA planeja lançar entre outubro de 2014 e abril de 2015, cujo objetivo principal é fazer medidas astrométricas das distâncias de algumas centenas de estrelas com uma precisão 100 vezes maior do que se pode fazer atualmente. Com isto, será prossível melhorar as estimativas do tamanho do universo e ajudar os astrônomos a determinar o brilho real das estrelas, tornando mais precisas as informações que se tem sobre suas composições químicas e evolução.

O SIM será um interferômetro composto por três telescópios. Os raios das estrelas, captados pelos três telescópios são sobrepostos de forma a interagirem entre sí, resultando em um efeito físico chamado interferência e fazendo com que os três telescópios funcionem como um único, porém grande, telescópio.

A missão SIM também procurará por exoplanetas em cerca de 200 estrelas. A técnica usada será a astrometria. Usando estrelas de fundo como referência, a missão SIM será capaz de detectar pequenas perturbações periódicas na posição de cada estrela, causadas pela presença de planetas orbitando ao seu redor. Os instrumentos da missão serão suficientemente sensíveis para detectar planetas do tipo terrestre nas zonas habitáveis e planetas gigantes (tipo Júpiter) a grandes distâncias.

A missão[editar | editar código-fonte]

O SIM irá operar em uma órbita diferente dos demais satélites. Em sua órbita, o SIM seguirá o movimento da Terra. Depois de ser lançado por um Evolved Expendable Launch Vehicle (EELV), o SIM irá suavemente se afastar da Terra em uma taxa de 0.1 UA por ano até atingir uma distância de 95 milhões de km, 5.5 anos após o lançamento. O Sol iluminará continuamente a espaçonave evitando as ocultações que ocorreriam em uma órbita ao redor da Terra.

Após atingir sua órbita, seus paineis solares e sua antena de alto ganho se desdobrarão completamente. Após um período de vários dias para checagem e calibração os instrumentos serão posicionados para serem então calibrados. Para a calibração do interferômetro, vários meses serão necessários. Só então o SIM estará pronto para iniciar suas medidas.

Durante os cinco anos seguintes (ou mais), o SIM estará em operação contínua. O apontamento do SIM será controlado através de uma roda de reação e de pequenos atuadores. O eixo de visada nunca estará a menos de 45° em relação ao Sol para que que o sistema ótico não sofra degradação devido ao aquecimento. Por causa deste perigo, o apontamento deverá ser feito de forma precisa. Além disso, a velocidade da espaçonave deve ser calculada com exatidão, com um erro menor que 20 mm/sec para corrigir efeitos relativísticos. As estações do Deep Space Network (DSN) na Terra, ajudarão na determinação precisa da velocidade da espaçonave, através de medidas empregando efeito Doppler. Os dados obtidos pelo SIM serão armazenados no computador de bordo da espaçonave e enviados à Terra varias vezes por semanas. Os controladores usarão os precedimentos de "rotação rápida" para utilizar o SIM em possiveis observações emergenciais de alvos especiais.

Esquema do Interferômetro[editar | editar código-fonte]

Este diagrama explica como o Interferômetro Astrométrico funciona.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]