Sukhoi PAK FA

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde janeiro de 2013). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
PAK FA
(en: Prospective Airborne Complex of Frontline Aviation)
T-50
Caça
Descrição
Tipo / Missão Caça de superioridade aérea / Avião furtivo multimissão
País de origem  Rússia
Fabricante Sukhoi
Período de produção 2009-presente
Quantidade produzida 10 protótipos
Primeiro voo em 29 de janeiro de 2010 (8 anos)[1][2][3]
Introduzido em 2019
Tripulação 1
Especificações
Dimensões
Comprimento 19,8 m (65,0 ft)
Envergadura 13,95 m (45,8 ft)
Altura 4,74 m (15,6 ft)
Área das asas 78,8  (848 ft²)
Alongamento 2.5
Peso(s)
Peso vazio 18 000 kg (39 700 lb)
Peso carregado 29 270 kg (64 500 lb)
Peso máx. de decolagem 35 000 kg (77 200 lb)
Propulsão
Motor(es) 2 x turbofans vetorados de pós-combustão NPO Saturn izdeliye 117 (AL-41F1) (protótipos e estágio inicial de produção), izdeliye 30 para o aparelho final
Empuxo:
  • Empuxo seco: 9 493 kgf (93 100 N)/ 10 911 kgf (107 000 N)/
  • Empuxo pós-combustão: 14 500 kgf (142 000 N)/ 17 947 kgf (176 000 N)
Performance
Velocidade máxima 2 600 km/h (1 400 kn)
Velocidade de cruzeiro 1 700 km/h (917 kn)
Velocidade máx. em Mach 2,3 Ma
Alcance bélico 3 500 km (2 170 mi)
Alcance (MTOW) 5 500 km (3 420 mi)
Teto máximo 20 000 m (65 600 ft)
Aviônica
Tipo(s) de radar(es) Sistema de Rádio Eletrônico Integrado Multifuncional Sh121 (en: MIRES)
Sistema eletro-optico 101KS Atoll
Armamentos
Metralhadoras / Canhões 1 x canhão de 30 mm (1,18 in) 9A1-4071K (GSh-301)
Mísseis
  • Ar-ar:
    • K-77M or 4× izdeliye 810
    • K-74M2 or 2× izdeliye 300
  • Ar-terra
    • Kh-38M or 4× Kh-58UShK or 8× KAB-250 or 4× KAB-500
    • 2× K-74M2 or 2× izdeliye 300
  • Ar-mar:
    • Kh-35
    • 2× K-74M2 or 2× izdeliye 300
  • Outros:
Notas
Dados de: Aviation News,[nota 1] Aviation Week[4] e Air International[5]

O Sukhoi Su-57 é a designação do protótipo T-50 de um caça russo furtivo, monoposto de quinta geração, resultado do PAK FA (Em russo: ПАК ФА, abreviação para: Перспективный авиационный комплекс фронтовой авиации, transliterado: Perspektivny Aviatsionny Kompleks Frontovoy Aviatsii, literalmente: '"Complexo Prospectivo Aeronáutico da Aviação de Linha de Frente"'), para a Força Aérea Russa desenvolvido pela Sukhoi[6]. O Su-57 é um dos poucos aviões de combate com tecnologia furtiva (stealth) no mundo — e o primeiro a ser desenvolvido na Rússia — , sendo projetado para rivalizar com o estadunidense F-22 Raptor em todos os aspectos.[7]

O projeto PAK-FA é a iniciativa russa construir um caça de quinta geração. Em 17 de outubro de 2007, a Índia assinou um protocolo com a Rússia, tornando-se a primeira parceira internacional do programa, conforme anunciou o jornal russo,[8] quando ambos países concordaram em desenvolver o projeto FGFA, conjuntamente desenvolvido pela Sukhoi e HAL[9][10]. Será, portanto, o segundo avião derivado do PAK FA.

Em 12 de dezembro de 2007, a revista Asas divulgou uma oferta da Rússia ao Brasil da possibilidade de se tornar parceiro do Programa PAK-FA.[11] Em 15 de abril de 2008, foi noticiado que o Brasil assinaria o acordo de cooperação mútua com a Rússia para o desenvolvimento em conjunto de um caça de 5ª geração.[12] Esse caça possivelmente seria o PAK-FA, ou uma versão avançada do SU-27 Flanker, com desenho de redução de RCS e maior envergadura, aumentando o número de cabides sob as asas, a fim de carregar mais mísseis de combates aéreos. Em 2009, o Ministro da Defesa Nelson Jobim anunciou a saída do Brasil no projeto PAK-FA, o substituindo pelo vencedor do programa FX-2.

O projeto iniciou-se no final da década de 1980, ainda durante a existência da União Soviética e, ao desafio do governo, responderam as fábricas Sukhoi com o Su-47 e a Mikoyan com o Project 1.44. Em 2002, o governo russo decidiu que a Sukhoi seria a empresa líder que conduziria o projeto e que definiria a concepção final do aparelho. Foi acertado também que a aeronave a ser desenvolvida deveria incluir tecnologia das duas propostas.

Pouco se sabe do projeto PAK-FA, mas é provável que deverá incluir tecnologia furtiva, ser muito rápido e com capacidade de voar em supercruzeiro (possibilidade de alcançar velocidades supersônicas sem precisar de pós-combustão). Além disso, deverá ser capaz de operar mísseis ar-ar, ar-terra e ar-mar mais sofisticados, assim como possuir um radar AESA. A propulsão estará a cargo de um motor Izdeliye 117 AL-41F no protótipo e aparelhos de produção inicial e terão o Izdeliye 30 no aparelho final[13].

Em 29 de janeiro de 2010 começaram os primeiros voos: serão necessários vários anos, até mesmo uma década, para que esteja em condições reais de uso. O PAK FA deverá substituir os aparelhos MiG-29 e Su-27 ainda em serviço em grandes números na Força Aérea. Deverá entrar em operação na Rússia a partir de 2019[14].

Brasil no projeto PAK-FA T-50[editar | editar código-fonte]

Sukhoi T-50

Algumas notícias vinculadas na internet deram a entender que o Governo brasileiro haveria assinado com a Rússia um acordo para a construção conjunta de uma aeronave de combate de 5ª geração, que deveria ser desenvolvida pelas empresas Sukhoi russa, Hindustan Aeronautics Limited indiana e Embraer brasileira. O acordo também previa que as empresas brasileiras Embraer e a Avibras seriam as responsáveis pela montagem dos caças no Brasil.

A viagem do presidente russo Dmitri Medvedev ao Brasil em 25 de novembro de 2008 não resultou na assinatura de nenhum acordo relacionado ao projeto.[15] O Comandante da Força Aérea brasileira, Juniti Saito, justificou: "Não quero denegrir a imagem do Sukhoi, mas o projeto não se encaixou nas nossas necessidades."[15] A Força Aérea brasileira alegou que a exclusão dos aviões da Sukhoi ocorreram pela falta de comprometimento em repassar tecnologia. Contudo, o Itamaraty e fontes russas alegaram o contrário, que a venda dos aviões Su-35 para o Projeto FX-2 não só resultaria na transferência de tecnologia, como também incluiria o Brasil no desenvolvimento do projeto PAK-FA.[16]

Em outubro de 2013, uma delegação russa voltou ao Brasil para tentar fechar um acordo para retomar o projeto do PAK-FA no Brasil nos moldes antigos. Aparentemente isso foi motivado pela aproximação do Brasil com as empresas bélicas da Rússia, e o recente escândalo de espionagem de empresas brasileiras pelos norte-americanos. Fontes asseguram que, como não mais se poderia alterar a licitação de caças FX-2, que concluiu pela vitória do caça Saab JAS 39 Gripen NG, não seria retomado tal acordo com os russos sobre o T-50.[17]

Características gerais (estimativa)[editar | editar código-fonte]

Diagrama
  • Tripulação: 1 pilotos
  • Comprimento: 27.0 m (72 pés 2 pol)
  • Envergadura: 14.2 m (46 pés 7 pol)
  • Altura: 6,05 m (19 pés 10 pol)
  • Área da asa: 78.8 m² (848 pés²)
  • Peso vazio: 18.500 quilogramas (40.786 libras)
  • Peso carregado: 34.000 quilogramas (57.320 libras)
  • Carga útil: 9.500 quilogramas (20.535 libras)
  • Peso de decolagem máximo: 37.000 quilogramas (81.571 libras)
  • Motores: 2× Saturn-Lyulka AL-41F turbofan para os protótipos e produção inicial; Izdeliye 30 para produção do aparelho final.
  • Empuxo seco: 9.493 kgf / 93.1 kN - 10.911 kgf / 107 kN cada um.
  • Empuxo com pós-combustão: 14.500 kgf / 143 kN - 17.947 kgf / 176 kN cada um.

Desempenho[editar | editar código-fonte]

  • Velocidade máxima: Mach 2.5 na altura (2.527 km/h, 1.586 mil/h)
  • limites de carga G: +10 a +11 pés/s² de m/s² de g (+98.1 a +107.9, +321.7 a +353.9)
  • Velocidade do cruzeiro: 1.300 km/h (807.8 mil/h)
  • Alcance: 4.000 a 5.500 quilômetros (2.485 a 3.418 milhas)
  • Teto de serviço: 20.000 m (65.617 pés)
  • Taxa da subida: 350 m/s (68.898 pés/min)
  • Carregamento da asa: 470 kg/m² (96.3 libra/pés²)
  • Empuxo/peso: 0.84 (sem pós combustão)
  • Empuxo/peso mínimo com pós combustão: 1.19
  • Exigência do comprimento da pista de decolagem: 350 m (1.148 pés)
  • Resistência: 3.3 horas (198 min)

Armamento[editar | editar código-fonte]

Um Sukhoi T-50 em 2011.
  • 1 canhão interno de 30 milímetros (provavelmente um GSh-30-1) e quatro pontos duros em baías internas centrais, sendo dois lado a lado na frente, e mais dois lado a lado mais atrás.

Aviônicos[editar | editar código-fonte]

  • Radar: N050(?)BRLSAESA/ PESA (realce de IRBIS-E) em SU-35
  • Freqüência: 3 milímetros (0.118 pol)
  • Diâmetro: 0.7 m (2 pés 4 pol)
  • Alvos: 32 seguidos, 8 acoplados
  • Escala: 400 quilômetros (248 milhas)
  • Epr: 3 m² (32.3 ft²) em 160 quilômetros (99.4 milhas)
  • RCS: 0,01 m² em 90 quilômetros (55 milhas)
  • Azimute: +/−70°, +90/−50°
  • Potência: 5.300 W
  • Peso: 65 a 80 quilogramas (143 a 176 libras)

Notas

  1. Butowski 2012, p. 48-52.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Butowski, Piotr. "T-50 Turning and Burning over Moscow". Air International, Vol. 85, No 4, October 2013, pp. 79–82. Stamford, UK: Key Publishing.

Referências

  1. "Russia to start flight tests of fifth-generation in 2009" (April 3, 2008). RIA Novosti.
  2. «"Русский Raptor" впервые взлетит через три дня». Life news. Consultado em 25 de janeiro de 2010 
  3. «Российский истребитель пятого поколения поднялся в воздух». Lenta.ru. Consultado em 29 de janeiro de 2010 
  4. "Sukhoi T-50 Shows Flight-Control Innovations".
  5. Butowski, Piotr. "Raptorski's Maiden Flight". Air International, Vol. 78, No 3, March 2010, pp. 30–37. Stamford, UK: Key Publishing.
  6. Daly, Kieran. "Russia's United Aircraft reaches maturity." Flight International, 11 de agosto de 2009.
  7. "The Stealth Jet War: A Global Comparison." Global Bearings, 1 de novembro de 2011.
  8. «Military hardware», Kommersant .
  9. «India, Russia to make 5th generation fighter jets - Times of India». The Times of India 
  10. «Indo-Russian agreement soon on PAK-FA». The Hindu (em inglês). 8 de fevereiro de 2007. ISSN 0971-751X 
  11. Asas .
  12. The New York Times .
  13. «Russian Air Force to Receive the First Production Su-57 in 2018 - Defense Update:». Defense Update: (em inglês). 17 de dezembro de 2017 
  14. «Russia Places Initial Production Order for Stealth Fighter». Aviation International News (em inglês) 
  15. a b «O que os russos querem do Brasil, eles tentam vender», Terra, Isto é dinheiro (582) .
  16. Mídia independente, 2008 .
  17. «Mas é PAK FA ou tipo PAK FA?», Aéreo, 2013 out 14  Verifique data em: |data= (ajuda).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um avião, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.