Sukhoi Su-15

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sukhoi Su-15
Picto infobox Mig 29.png
Su-15 Russo
Descrição
Tipo / Missão Interceptor
País de origem  União Soviética
 Rússia
Fabricante Sukhoi
Desenvolvido de Su-11
Primeiro voo em 1962 (54 anos)
Introduzido em 1967
Aposentado em 1996
Tripulação 1
Especificações
Dimensões
Comprimento 19,56 m (64,2 ft)
Envergadura 9,34 m (30,6 ft)
Altura 4,84 m (15,9 ft)
Área das asas 36,6  (394 ft²)
Peso(s)
Peso vazio 10 874 kg (24 000 lb)
Peso carregado 17 194 kg (37 900 lb)
Propulsão
Motor(es) 2x Tumanskii R-11 F2S-300 turbojato
Performance
Velocidade máxima 2 230 km/h (1 200 kn)
Velocidade máx. em Mach 2.1 Ma
Teto máximo 18 100 m (59 400 ft)

O Sukhoi Su-15 (Cy-15 no alfabeto cirílico) (código OTAN: Flagon) é um avião interceptador de dois motores desenvolvido pela União Soviética nos anos de 1960 para substituir os Sukhoi Su-11 e Sukhoi Su-9, os quais tornaram-se obsoletos perante à introdução de novos e mais avançados e capazes bombardeios táticos pela OTAN/NATO[1] . O Su-15 foi um interceptador de importância na força aérea soviética, sendo retirado de ação nos anos de 1990 pela Rússia e Ucrânia, seus únicos operadores. Tornou-se um dos braços de suporte da força aérea soviética em combate ar-ar nos anos de 1960 e 1970.[2]

Sua origem remonta o Sukhoi Su-11 (T-47), possuindo várias semelhanças entre si, nomeadamente as asas e a cauda. Foram construídos cerca de 1.300 aeronaves, em diferentes versões, nunca sendo exportado para países do Pacto de Varsóvia[2] . Foi aposentado nos anos de 1990 devido a modernização de caças de interceptação, caso do Mig-31 e Su-27.

Tornou-se conhecido pelos incidentes dos voos Korean Air Flight 007 e 902.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Com o elevado desenvolvimento de sistemas de mísseis antiaéreos pela URSS ao longo dos anos 1950, a indústria de aeronaves ficou sobre segunda importância na proteção aérea. Frente aos avanços notórios da forças aéreas do ocidente, sobretudo OTAN/NATO e EUA com U-2, B-52 e bombardeios V, demonstrou-se necessários novos projetos para promover superioridade aérea. Questão relaciona-se com a superioridade não apenas em espaço soviético, mas no caso de intercepções à bombardeios estratégicos trans-continentais.[1]

Foi, assim, solicitado o desenvolvimento pela Sukhoi de um interceptador de velocidade entre 500-2000 Km/h, com possibilidade de operação em variadas altitudes, deixando os alvos de altíssima velocidade para o Mig-25. O projeto pautou-se na fuselagem e base do Su-11, sendo considerado inicialmente como uma grande modernização do modelo, fato que decorreu pelo reconhecimento das limitações apresentadas no Su-11.[1] [2] A partir disso, a Sukhoi começou a desenvolver um avião no chamado protótipo T-3-8M, no qual era equipado com um radar OKB-339, tendo duas variantes, Eagle 2 e Volkov, este que era uma versão do radar que equipava o grande interceptador Tupolev Tu-28.[1] Devido ao tamanho do novo radar Volkov, houve necessidade de mudança na simetria axial do Su-11, obrigando novas entradas laterais para o motor e pelo aumento e relocamento do nariz da aeronave. Tal mudança possibilitou introduzir motores duplos Tumansky R-11, substituindo o único AL-7F-2 existente no Su-11, tornando o Su-15 um avião com características de Segunda Geração.[1] [2]

Su-15, visão da calda e os dois motores R-11F300

Em 1962 foi completado o primeiro protótipo, entrando em testes nos anos seguintes de 1963 e 1964, nos quais, diferentemente dos Su-9 e Su-11, nenhum problema maior foi detectado. Depois dos intensos exames, ele recebeu fortalecimento da fuselagem do tanque de combustível e base das asas, além de ser equipado com o sistema de radar RP-15 (Oryol-D-58) e unidades de foguetes/mísseis R-98 em duas variantes; uma semi-ativa de buscas de alvos e uma IR passiva.[1] [2] Houveram modificações extensas sobre o projeto inicial do Su-11, sendo 18 quadros de contornos reduzidos ao contorno técnico, mantendo o sistema de controles, asas, causa e trem de pouso originais.[1]

Design - Características[editar | editar código-fonte]

Su-15TM da Força Aérea Ucraniana. Podemos perceber os wing fences sobre os pilones aeronáuticos

Vários componentes são bastante similares ao Su-9 e Su-11 no Su-15, principalmente no que tange a parte traseira da aeronave, o freio aéreo, empenagem e flaps da calda. As mudanças ocorreram na troca do motor único, saindo a entrada Inlet Cone para duas Spilitter Plate laterais, necessárias para os fortes motores Tumansky R-11, além de colocação do radar RP-22 Oryol-D na frente do avião. Essas atualizações mudaram muito o design geral do avião na parte frontal comparando com aos antecessores. A primeira versão do Su-15 utilizava o mesmo projeto de asas tipo delta puro, decorrendo em versões posteriores o acréscimo de wing fence pequenos em cima de cada pilone aeronáutico, para melhorar as características de pouso, além de blow flaps. Nas versões mais avançadas a calda possuía ângulo anhedral.[3]

Su-15TM da Força Aérea Ucraniana. Podemos ver a antena de radar e ECM

Mesmo possuindo sistemas de radar avançados, o Su-15 dependia de controle para interceptação em solo (GCI), contendo um sistema Lazur-S de enlace de dados para instruções de interceptação para o piloto. Nos modelos Su-15 TM Flagon-F existia um sistema Vozdukh-1M de enlace de dados e SAU-58 (sistema automaticheskogo upravleniya, sistema de controle automático) capaz de voar completamente no automático até os últimos momentos da interceptação.[3]

História Operacional[editar | editar código-fonte]

O Su-15 teve importante papel no sistema de defesa antiaéreo soviético, correspondendo a 29 regimentos de caças. Sua ação era otimizada para interceptação em altas altitudes com rápida ascensão, mas faltava funcionamento de look-down/shoot-down, mesmo em modelos com radar Taifun. Já que o Mig-23 possuía essa capacidade, o uso em baixas altitudes ficavam para o Mig frente as táticas de combate aéreo. Devido a limitação existente ao Su-15 e complexidade dos seus sistemas, não houve exportação para países membros do Pacto de Varsóvia, estando estritos apenas a Força Aérea Russa e Ucraniana.

Três incidentes marcaram a história do Su-15:

  • Incidente do voo 902 da Korean Air Lines, no qual um Boeing 707 foi derrubado próximo a cidade de Murmansk na península de Kola após ter entrado em espaço aéreo soviético no dia 20 de abril de 1978 e não ter respondido aos contatos. O avião conseguiu pousar no lago Korpiyarvi, que estava congelado, morrendo dois passageiros.[2]
  • Incidente da colisão no Ar na Armênia em 1981, quando ocorreu uma colisão com Canadair CL-44 de uma empresa de transporte aéreo argentino. O incidente teve quatro fatalidades e um sobrevivente.[4]
  • Incidente do voo 007 da Korean Air Lines, no qual um Boeing 747 foi abatido perto da Ilha Moneron após entrar em espaço aéreo soviético restrito, matando todos os seus 246 passageiros e 23 tripulantes.[2]

O Su-15 também derrubou 5 balões de reconhecimento enviados por espionar o território soviético em 1975.

Um sobrevoo não autorizado próximo de um Su-15 sobre o Mig-15 pilotado por Yuri Gargarin resultou em sua morte em 1968. Foi comprovado pelas informações de computadores que o Su-15 passou com diferença de metros para o Mig.[5]

Mesmo sendo produzido em elevados números (1290 somando todas as variantes), o Su-15 nunca foi exportado para qualquer país. No ano de 1972 alguns Su-15 foram entregues ao Egito, porém pilotados por pilotos soviéticos. A aeronave era extremamente especializada, não possibilitando usos eficientes além de interceptação.

Com a queda da URSS, o Su-15 começou a ser substituído na força aérea Russa em detrimento de caças e interceptadores mais avançados, caso dos Su-27 e Mig-29.

Variantes[editar | editar código-fonte]

T-58[6]
Protótipo do Su-15.
Su-15 (Flagon-A)
A primeira versão produzida foi chamada de Flagon-A pelo sistema de códigos da OTAN/NATO, ou T-58/Su-15-98. Possui similaridades com o projeto do Su-11 sobretudo ao tipo de asa Delta, o que causava problemas ao atingir maiores velocidades de voo e interceptação.[2] [7]
Su-15UT (Flagon-C)
Su-15UT Flagon C
Versão de treinamento sem radar e capacidade de combate, em uso desde 1970.[2] [7]
Su-15 (Flagon-D)
Versão equipada com wing tips estendidas, com o sistema BLBC para melhores decolagens e aterrissagens. Tal resolução foi apresentada devido aos problemas apresentados no projeto inicial, já que usava asa tipo delta. [2] [7]
Su-15T (Flagon-E)
Versão equipada com radar Volkov Taifun. Com a troca do sistema de radar nas versões posteriores à 1969, ocorreu a melhoria significa de identificação/engajamento, além de atualização do sistema de foguetes ar-ar com uso do míssil R-60, metralhadora UPK-23-250 e possibilidade de uso de bombas ar-terra.[2] [7]
Su-15TM (Flagon-F)
Su-15TM Flagon G
Su-15T melhorado com radar Taifun-M e modificações adicionais de aerodinâmica, estando em uso desde 1971. Houve uma atualização final da aerodinâmica da radome em forma ogival.[2] [7]
Su-15UM (Flagon-G)
Versão de treinamento do Su-15TM sem radar mas com capacidade de combate produzida 1976 e 1979. Última versão oficial a ser produzida.[2] [7]
U-58UM
Protótipo do Su-15UM com radar Taifun-M, nunca entrou em produção.
Su-15Sh
Proposta de avião supersônico para ataques ar-terra desenvolvido em 1969. Não foi construído ou cogitado a entrar em produção.
Su-15bis
Conversão do Su-15TM com motores R-25-300 de 69.9 kN (15,652 lb) para melhor performance; série aprovada para produção, mas não construída pela quantidade de motores disponíveis.

Ex-operadores[editar | editar código-fonte]

 União Soviética /  Rússia

A Força Aérea Russa retirou todos os seus Su-15 de operação no ano de 1994, estando guardados para eventual reserva emergencial de guerra.[2]

 Ucrânia

Com o colapso da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, a Ucrânia recebeu em torno de 70 Su-15TM e alguns Su-15UM que estavam nas bases aéreas soviéticas de Belbek e Kramatorsk[8] [9] . A Força Aérea da Ucrânia retirou todos de operação em 1996.[2]

Especificações (Su-15TM)[editar | editar código-fonte]

Base de dados[10]

Desenho de linha do Sukhoi Su-15

Características Gerais[editar | editar código-fonte]

  • Tripulação: 1 (piloto).
  • Comprimento: 19.56 m (64 ft 2 in).
  • Envergadura: 9.34 m (30 ft 7 in)
  • Altura: 4.84 m (15 ft 10 in)
  • Área alar: 36.6 m² (394 ft²)
  • Peso vazio: 10,874 kg (23,973 lb)
  • Peso c/ carga máx.: 17,194 kg (37,920 lb)
  • Motor: 2 × turbojatos Tumansky R-13-300.

Performance[editar | editar código-fonte]

  • Velocidade máxima: Mach 2.1, 2,230 km/h (1,386 mph) armado com 2 mísseis K-8/R-8/R-98 , em tanques externos em alta atitude. Mach 2.5 vazio em alta atitude.
  • Velocidade de cruzeiro: 770 km/h.
  • Raio de ação: 725 Km (450 mi)
  • Alcance de travessia: 1,700 km (1,106 mi)
  • Teto de serviço: 18,100 m (59,383 ft)
  • Taxa de subida: 228 m/s (45,000 ft/min)

Armamentos[editar | editar código-fonte]

Mísseis e metralhadoras. Equipamento ar-ar.

  • 2 × R-98M (AA-3 "Anab")(pilones aeronáuticos externos)
  • 2 × or 4 × R-60 (AA-8 "Aphid") (pilones aeronáuticos internos)
  • Opção de 2 metralhadoras × UPK-23-250 de 23 mm nos pilones aeronáuticos.

Aviônica

  • Radar: Taifun-M
    • Raio de detecção:
      • Alvos a alta atitude: 70 km
      • Alvos a baixa atitude: 15 km
    • Raio de Lock:
      • Alvos a alta atitude: 45 km
      • Alvos a baixa atitude: 10 km
    • Angular range:
      • vertical: +30°/-10°
      • horizontal: +/- 70°

Sukhoi Su-15 P[editar | editar código-fonte]

Foi um protótipo de interceptador subsônico feito pela Sukhoi nos anos 1940. O projeto foi abandonado e seu nome reutilizado para o Su-15 (Flagon).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e f g Су-15 Airwar.ru.
  2. a b c d e f g h i j k l m n o Sukhoi Company. Su-15 History.
  3. a b Vladimir Antonov, Yefim Gordon, Mikolai Gordyukov, Vladimir Yakovlev, Vyachaslav Zenkin, Lenox Carruth, Jay Miller, OKB Sukhoi: a History of the Design Bureau and its Aircraft, Voyageur Press, ISBN 978-1-85780-012-8.
  4. James Oberg. The Bloody Border - Chapter 3 from 'Uncovering Soviet Disasters' Random House, 1988 Pp. 32-49.
  5. Cause Of Yuri Gagarin Death Finally Revealed By Fellow Cosmonaut Redorbit.com.
  6. Andreas Parsch e Aleksey V. Martynov (2008). «Designations of Soviet and Russian Military Aircraft and Missiles - Fighters». Designation-Systems.net.
  7. a b c d e f Fighter Aircraft Directory. SU 15.
  8. 62nd Fighter Aviation Regiment PVO ww2.dk.
  9. 636th Fighter Aviation Regiment PVO ww2.dk.
  10. Wilson, Stewart. Combat Aircraft since 1945. Fyshwick, Australia: Aerospace Publications, 2000. p. 129. ISBN 1-875671-50-1.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Antonov,Vladimir & Gordon, Yefim & others. OKB Sukhoi”. Leicester. Midland. 1996. ISBN 1-85780-012-5
  • Butowski, Piotr and Pankov, Valeriy and Ponomaryev, Vadim. Su-15 Flagon. Monografie Lotnicze #14. Gdańsk: AJ-Press, 1994 (ISBN 83-86208-04-X) (em polonês).
  • Sharpe, Michael. "Attack and Interceptor Jets." Amber Books, 1999. ISBN 1-84013-335-X.
  • Yefim Gordon: Sukhoi Interceptors The Su-9/-11/-15 and other Types Red Star Vol.16. Midland Publishing, Earl Shilton 2004, ISBN 1-85780-180-6

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Sukhoi Su-15


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons