Superliga Brasileira de Voleibol Feminino de 2016–17 - Série A

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Superliga Série A 2016/2017
Voleibol Volleyball (indoor) pictogram.svg
Informações gerais
País  Brasil
Organizador CBV
Período 13 de novembro de 2016 à 23 de abril de 2017
Participantes 12
Resultados
Campeão Rio de Janeiro Rexona-Sesc/RJ (12 título)
Vice-campeão São Paulo Vôlei Nestlé Osasco
Aumento Promoção São Paulo Hinodê/Barueri
Baixa Rebaixamento São Paulo SESI-SP
São Paulo CC Valinhos
Estatísticas
Número de jogos 154
Maior pontuador(a) Tandara Caixeta- 430 pontos
◄◄ 2015–16 Bola de volei de quadra.svg 2017–18 ►►
Página oficial da competição

A Superliga Brasileira de Voleibol Feminino de 2016–17 - Série A é a 23ª edição desta competição organizada pela Confederação Brasileira de Voleibol através da Unidade de Competições Nacionais. Também é a 39ª edição do Campeonato Brasileiro de Voleibol Feminino, a principal competição entre clubes de voleibol feminino do Brasil. Participaram do torneio doze equipes provenientes de quatro estados brasileiros (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Santa Catarina) e do Distrito Federal.Edição vencida pela equipe carioca do Rexona-Sesc/RJ[1] e atleta vice-camoeã Tandara Caixeta foi a Maior Pontuadora da competição com 430 pontos.[2][3]

Regulamento[editar | editar código-fonte]

A fase classificatória da competição foi disputada por doze equipes em dois turnos. Em cada turno, todos os times jogaram entre si uma única vez. Os jogos do segundo turno foram realizados na mesma ordem do primeiro, apenas com o mando de quadra invertido.

Os oito clubes primeiros colocados se classificaram para os play-offs. Nesta fase, a vitória por 3-0 ou 3-1 garantiu três pontos para o ganhador e nenhum ponto para o perdedor. Já com o placar de 3-2, o ganhador da partida somou dois pontos e o perdedor um. Os dois últimos colocados foram rebaixados para a Série B 2018.

Na seguinte ordem foram os critérios de desempate:número de vitórias,sets average, pontos average; confronto direto (no caso de empate entre duas equipes) e por último sorteio.Os play-offs foram divididos em três fases - quartas-de-final, semi-finais e final.

Nas quartas-de-final houve um cruzamento entre as equipes com os melhores índices técnicos seguindo a lógica: 1ª x 8ª (A); 2ª x 7ª(B); 3ª x 6ª(C) e 4ª x 5ª(D). Estas jogaram partidas em melhor de 3 (jogos), sendo um mando de campo para cada e o jogo de desempate, caso necessário, no ginásio da equipe com o melhor índice técnico da fase classificatória.

As semifinais foram disputadas pelas equipes que passaram das quartas-de-final, seguindo a lógica: vencedora do duelo A x vencedora do duelo D; vencedora do duelo B x vencedora do duelo C. Estas jogaram novamente partidas em melhor de 3 (jogos), sendo um mando de campo para cada e o jogo de desempate, caso necessário, no ginásio da equipe com o melhor índice técnico da fase classificatória.

As vencedoras se classificaram para a final, que foi disputada em jogo único no estado do primeiro colocado da fase classificatória. A terceira e a quarta colocações foram definidas pelo melhor índice técnico da fase classificatória.

Os sets do torneio foram disputados até 25 pontos com a diferença mínima de dois pontos (com exceção do quinto set, que foi vencido pela equipe que fizesse 15 pontos com pelo menos dois de diferença). Ocorreram paradas técnicas no 8º e no 16º pontos da equipe que primeiro os alcançaram.[4]

Equipes participantes[editar | editar código-fonte]

Doze equipes disputaram o título da Superliga Feminina de 2016/2017 - Série A. São elas[5]:

Equipe
Nome fantasia
Ginásio
Cidade
Capacidade Temporada 2015/2016
Rio de Janeiro VC
Rexona Sesc Rio
Tijuca TC
Rio de Janeiro
3 000
SESI-SP
SESI São Paulo
Sesi Vila Leopoldina
São Paulo
800
Osasco VC
Vôlei Nestlé Osasco
José Liberatti
Osasco
4 500
Praia Clube
Dentil Praia Clube
Oranides Nascimento
Uberlândia
1 730
EC Pinheiros
EC Pinheiros
Henrique Villaboim
São Paulo
1 100
São Caetano EC
São Cristóvão Saúde/São Caetano
Lauro Gomes
São Caetano do Sul
5 000
IAV Brasília
Brasília Vôlei
Sesi Taguatinga
Brasília
1 150
Fluminense
Fluminense Vôlei
Ginásio Hebraica
Rio de Janeiro
1 000 1º (Torneio Seletivo Superliga)
Minas Tênis Clube
Camponesa/Minas
Arena JK
Belo Horizonte
3 650
Rio do Sul Vôlei
Rio do Sul/Equibrasil
Artenir Werner
Rio do Sul
1 500
Vôlei Bauru
Genter/Vôlei Bauru
Panela de Pressão
Bauru
2 000 10º
CC Valinhos
Renata/Valinhos Country
Pedro Ezequiel da Silva
Valinhos
3 500 11º, Convidado
AFAV Araraquara[DES]
Voleibol Nestlé Araraquara
Ginásio Gigantão
Araraquara
5 000 1º (Série B)


Nota
DES ^ Equipe desistiu da participação do torneio, surgindo o convite por parte da CBV para o CC Valinhos[6]

Fase classificatória[editar | editar código-fonte]

Classificação[editar | editar código-fonte]

  • Vitória por 3 sets a 0 ou 3 a 1: 3 pontos para o vencedor;
  • Vitória por 3 sets a 2: 2 pontos para o vencedor e 1 ponto para o perdedor.
  • Não comparecimento, a equipe perde 2 pontos.
  • Em caso de igualdade por pontos, os seguintes critérios servem como desempate: número de vitórias, média de sets e média de pontos.
Equipes classificadas para às quartas-de-final.
Rebaixadas para a Série B 2018.
Jogos Resultados Sets Pontos
Pos Equipe Pts T V D 3–0 3–1 3–2 2–3 1–3 0–3 V P R V P R
Estável 1 Rexona-Sesc 61 22 21 1 11 7 3 1 0 0 65 16 4.063 1927 1569 1.228
Aumento 2 Vôlei Nestlé Osasco 51 22 17 5 11 4 2 2 1 2 56 23 2.435 1879 1595 1.178
Baixa 3 Dentil/Praia Clube 50 22 17 5 10 5 2 1 1 3 54 24 2.250 1813 1617 1.121
Aumento 4 Camponesa/Minas 42 22 15 7 8 4 3 0 4 3 49 31 1.581 1860 1641 1.133
Baixa 5 Genter/Vôlei Bauru 40 21 13 8 6 6 1 2 3 3 46 32 1.438 1852 1785 1.038
Estável 6 Terracap/BRB/Brasília Vôlei 37 22 13 9 7 3 3 1 4 4 45 36 1.250 1841 1774 1.038
Estável 7 Fluminense 33 22 11 11 5 4 2 2 3 6 40 41 0.976 1790 1767 1.013
Estável 8 E.C.Pinheiros 32 22 10 12 5 3 2 4 3 5 41 43 0.953 1816 1836 0.989
Estável 9 São Cristóvão Saúde/São Caetano 20 22 6 16 5 0 1 3 2 11 26 50 0.520 1542 1750 0.881
Estável 10 Rio do Sul 17 22 5 17 3 1 1 3 3 11 24 54 0.444 1581 1797 0.880
Estável 11 Sesi-SP 7 22 2 20 1 1 0 1 7 12 15 61 0.246 1466 1825 0.803
Estável 12 Renata Valinhos/Country 6 22 2 20 0 0 2 2 6 12 16 64 0.250 1502 1913 0.785

Confrontos[editar | editar código-fonte]

  REX SES VON DPC ECP SCS BSB FLU CMT RDS AVB RVC Pos
Rio de Janeiro REX Rexona-SESC 3-0 3-1 3-2 3-2 3-0 3-1 3-1 3-1 3-0 3-1 3-0
São Paulo SES SESI-SP 0-3 0-3 0-3 0-3 2-3 1-3 0-3 0-3 1-3 1-3 3-1 11º
São Paulo VON Vôlei Nestlé Osasco 3-2 3-0 3-0 3-1 3-1 3-1 3-2 3-0 3-0 3-0 3-0
Minas Gerais DPC Dentil Praia Clube 0-3 3-0 3-2 3-0 3-2 0-3 3-0 3-1 3-0 3-0 3-0
São Paulo ECP EC Pinheiros 0-3 3-1 3-2 0-3 3-0 0-3 1-3 3-0 3-1 2-3 2-3
São Paulo SCS São Cristóvão Saúde/São Caetano 2-3 3-0 0-3 0-3 0-3 3-0 0-3 0-3 3-0 1-3 3-0
Distrito Federal (Brasil) BSB Terracap Brasília Vôlei 0-3 3-0 3-0 1-3 2-5 3-2 3-1 1-3 3-2 3-1 3-0
Rio de Janeiro FLU Fluminense 0-3 3-1 0-3 1-3 3-2 3-0 0-3 2-3 3-0 3-2 3-1
Minas Gerais CMT Camponesa Minas 1-3 3-1 3-0 3-1 3-0 3-0 0-3 3-0 3-0 3-2 3-0
Santa Catarina RDS Rio do Sul Vôlei 0-3 3-0 0-3 0-3 1-3 3-0 3-0 1-3 2-3 0-3 2-3 10º
São Paulo AVB Vôlei Bauru 1-3 3-0 1-3 0-3 3-1 3-0 3-0 3-0 3-1 3-0 3-1
São Paulo RVC Renata Valinhos Country 0-3 0-3 0-3 1-3 0-3 0-3 2-3 0-3 1-3 2-3 1-3 12º


Playoffs[editar | editar código-fonte]

  Quartas-de-final Semifinais Final
   16 de março à 25 de março de 2017  31 de março à 14 de abril de 2017  23 de abril de 2017
                                           
   Rio de Janeiro Rexona-SESC 3 3 -      
 São Paulo EC Pinheiros 1 0 -      
   Rio de Janeiro Rexona-SESC 3 1 2 3 3  
   Minas Gerais Camponesa Minas 0 3 3 1 1  
 Minas Gerais Camponesa Minas 3 3 -    
   São Paulo Vôlei Bauru 2 0 -      
     Rio de Janeiro Rexona-SESC 3
   São Paulo Vôlei Nestlé Osasco 2
   São Paulo Vôlei Nestlé Osasco 3 3 -      
 Rio de Janeiro Fluminense 0 0 -      
   São Paulo Vôlei Nestlé Osasco 3 3 3
   Minas Gerais Dentil Praia Clube 1 0 1  
 Minas Gerais Dentil Praia Clube 3 0 3    
   Distrito Federal (Brasil) Terracap Brasília Vôlei 1 3 1      

Classificação final[editar | editar código-fonte]

Posição[3] Equipe Classificação/rebaixamento
Medalha de ouro Rio de Janeiro REX Rexona-SESC Aumento Sul-Americano de Clubes de 2018
Estável Superliga 2017/2018 - Série A
Medalha de prata São Paulo VON Vôlei Nestlé Osasco Estável Superliga 2017/2018 - Série A
Medalha de bronze Minas Gerais DPC Dentil Praia Clube Estável Superliga 2017/2018 - Série A
4 Minas Gerais CMT Camponesa Minas Estável Superliga 2017/2018 - Série A
5 São Paulo AVB Vôlei Bauru Estável Superliga 2017/2018 - Série A
6 Distrito Federal (Brasil) BSB Terracap/BRB/Brasília Vôlei Estável Superliga 2017/2018 - Série A
7 Rio de Janeiro FLU Fluminense Estável Superliga 2017/2018 - Série A
8 São Paulo ECP EC Pinheiros Estável Superliga 2017/2018 - Série A
9 São Paulo SCS São Cristóvão Saúde/São Caetano Estável Superliga 2017/2018 - Série A
10 Santa Catarina RDS Rio do Sul Vôlei Estável Superliga 2017/2018 - Série A
11 São Paulo SES SESI-SP Baixa Série B 2018
12 São Paulo RVC CC Valinhos Baixa Série B 2018

Premiações[editar | editar código-fonte]

Superliga 2016/2017[3]
Rio de Janeiro
Rexona-SESC
Campeão
(12° título Brasileiro)

Individuais[editar | editar código-fonte]

O destaques individuais foram[3]ː

MVP Não houve atleta premiada
Melhor Ataque Estados Unidos Destinee Hooker Minas Gerais Camponesa Minas
Craque da Galera Brasil Tandara Caixeta São Paulo Vôlei Nestlé Osasco
Melhor Bloqueio Brasil Mara Leão Minas Gerais Camponesa Minas
Melhor Saque Brasil Tandara Caixeta São Paulo Vôlei Nestlé Osasco
Melhor Recepção/Passe Brasil Tássia Minas Gerais Dentil Praia Clube
Melhor Defesa República Dominicana Brenda Castillo São Paulo Genter/Vôlei Bauru
Melhor Levantador Brasil Macris Distrito Federal (Brasil) Terracap/BRB/Brasília Vôlei
MVP da Final (Troféu VivaVôlei) Brasil Drussyla Costa Rio de Janeiro Rexona-Sesc[7]
Maior Pontuadora (430 pontos) Brasil Tandara Caixeta São Paulo Vôlei Nestlé Osasco

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. UOL Esporte. «Rexona vence Vôlei Nestlé e conquista quinta Superliga consecutiva». 23 de abril de 2017. 1 páginas. Consultado em 23 de abril de 2017. 
  2. CBV. «Superliga 2016/2017 -MAIORES PONTUADORAS SUPERLIGA FEMININA» (PDF). 1 páginas. Consultado em 24 de abril de 2017. 
  3. a b c d «Rexona-Sesc vence Vôlei Nestlé e conquista 12º título». CBV (em portugues). 23 de abril de 2017. Consultado em 27 de julho de 2018.. Cópia arquivada em 27 de julho de 2018 
  4. CBV. «Superliga 2015/2016 - Regulamento oficial» (PDF). pp. 118–120. Consultado em 18 de dezembro de 2015. 
  5. «Clubes Feminino». superliga.cbv.com.br. Consultado em 18 de dezembro de 2016. 
  6. «Renata Valinhos/Country vai disputar a Superliga A 2016/17». Country Club Valinhos. Consultado em 18 de dezembro de 2016. 
  7. Clic RBS.com. «Tandara é eleita Craque da Galera e Drussyla leva prêmio de MVP da final da Superliga Feminina». 23 de abril de 2017. 1 páginas. Consultado em 24 de abril de 2017.