Tandara Caixeta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tandara Caixeta
campeã olímpica
Tandara durante o Grand Prix de 2012.
Voleibol
Nome completo Tandara Alves Caixeta
Apelido Tand
Modalidade Voleibol indoor
Nascimento 30 de outubro de 1988 (29 anos)
Brasília, DF
Nacionalidade brasileira
Compleição Peso: 87 kg Altura: 1,86 m
Clube Osasco[1]
Medalhas
Competidora do Bandeira do Brasil Brasil
Jogos Olímpicos
Ouro Londres 2012 Equipe
Campeonatos Mundiais
Bronze Itália 2014 Equipe
Grand Prix
Ouro Tóquio 2014 Equipe
Ouro Bangkok 2016 Equipe
Ouro Nanquim 2017 Equipe
Prata Macau 2011 Equipe
Copa dos Campeões
Ouro Japão 2013 Equipe
Prata Japão 2017 Equipe
Masters Montreaux 2017
Ouro Suiça 2017 Equipe
Jogos Pan-Americanos
Ouro Guadalajara 2011 Equipe
Campeonato Sul-Americano
Ouro Cáli 2017 Equipe
Competidora do Vôlei Futuro
Torneio Top Volley
Prata Basileia 2010 Equipe
Competidora do Sesi-SP
Torneio Top Volley
Prata Basileia 2012 Equipe

Tandara Alves Caixeta (Brasília, 30 de outubro de 1988) é uma jogadora de voleibol do Brasil.Atua como oposta da Seleção Brasileira de Vôlei. Tandara é considerada uma das atacantes com maior potência no Voleibol Mundial. Ela tem um alcance no ataque de 3.14 m e quando bloqueia 2.97.

Filha de Evaldo Caixeta ex-jogador amador da Associação Atlética Banco do Brasil, Tandara aos nove anos - após praticar diversos esportes - assistiu uma propaganda na TV e decidiu participar de uma peneira de vôlei. 

Em 2011 foi convocada pela primeira vez para a Seleção Brasileira, conquistando o ouro no Pan-Americano de Guadalajara e tornando-se Campeã Olímpica em 2012, em Londres. Atualmente atua no Osasco, de São Paulo.[1]

Tem um enorme potencial no ataque, sendo considerada a jogadora de maior potência no Mundo atualmente, duas vezes consecutivas a maior pontuadora da Superliga Feminina de Vôlei,na temporada 2017/2018 quebrou seu próprio recorde de maior pontos na história da Superliga marcando na partida 39 pontos.Tambem é considera pela crítica especializada[quem?] como uma das ponteiras mais completas da atualidade[carece de fontes?]. Tandara assumiu o lugar de Sheilla Castro(considerada a melhor oposta de todos os tempos)na Seleção Brasileira,vem representando o Brasil muito bem e tem correspondido a altura o cargo que fora atribuída.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Disputou sua primeira Superliga em 2005, aos 16 anos, pela equipe Brasil Telecom, alcançando a 6ª posição na competição por duas temporadas. Na temporada 2007/2008, a jogadora foi contratada pela equipe Finasa/Osasco, no time paulista conquistou seu primeiro título - Campeonato Paulista 2007 - e foi vice-campeã da Superliga.

Na temporada seguinte, Tandara se transferiu para a tradicional equipe de Pinheiros e teve a oportunidade de atuar como titular durante praticamente toda a competição, ajudando a equipe a chegar na quinta colocação.

Aos 20 anos, com propostas para jogar no exterior, a jogadora decidiu pela visibilidade dos times brasileiros e se mudou para o sul do país para ser destaque da equipe da Cativa, de Brusque-SC, com a qual conseguiu alcançar os playoffs da Superliga. Individualmente, Tandara foi a terceira maior pontuadora do torneio com 428 pontos e foi eleita a melhor defensora do campeonato.

No final de 2010, a brasiliense voltou para o estado de São Paulo ao acertar com o Vôlei Futuro, de Araçatuba, foi destaque da equipe junto com Paula Pequeno, Fabiana, Joycinha e Stacy. Correspondendo às expectativas, Tandara anotou 358 pontos na Superliga, e ajudou o seu time a chegar ao terceiro lugar.

Em 2011 foi convocada para a Seleção Brasileira de Novas que disputou a Copa Yeltsin, na Rússia, sua atuação -era reserva, mas chegou a marcar 22 pontos em uma partida- fez com que fosse convocada para o Pan-Americano de Guadalajara, conquistando a medalha de ouro na competição, sendo responsável pelo ponto final contra as cubanas.

Na temporada 2011/2012 voltou a jogar pelo Osasco,  sendo a segunda melhor sacadora da competição, anotou 314 pontos e foi eleita a MVP da grande final, que deu o título para a sua equipe.

O reconhecimento de seu trabalho continuou em seguida com sua convocação para a Seleção Brasileira que se preparava para as Olimpíadas de Londres 2012. Após uma série de cortes Tandara não desistiu do sonho olímpico e treinou duro mesmo com os jornais apontando que ela não ficaria com a vaga, tendo sua insistência e comprometimento elogiado pelo técnico Zé Roberto Guimarães, Tandara ficou entre as 12 relacionadas para o torneio e o time se consagrou bicampeão olímpico.

Na sua volta ao Brasil, Tandara foi contratada pelo Sesi-SP. Com 417 pontos, Tandara foi o pilar da equipe e conseguiu ser a maior pontuadora da competição com folga de quase 100 pontos para a segunda colocada, agradando à crítica e sendo reconhecida por todas as outras equipes da competição.

Na temporada de 2013/2014 foi contratada pelo Vôlei Amil, de Campinas, para ser o destaque da equipe, eliminada nas semi-finais da competição pelo time Unilever Rio de Janeiro, Tandara foi a principal jogadora da competição, marcou 470 pontos e teve o melhor saque. Nessa temporada a brasiliense quebrou o recorde de pontos em uma só partida, marcou 37 pontos contra o Praia Clube, batendo os 36 pontos de Fernanda Garay e Karin Rodrigues, o mais impressionante é que nessa temporada os sets eram de 21 pontos e não 25 como nas edições anteriores.

Na temporada de 2014/2015, Tandara foi para o Praia Clube, e no meio dos playoffs, descobriu-se grávida do jogador Cléber Mineiro, sendo impedida de participar da temporada da seleção.[2] Após o nascimento da filha Maria Clara em setembro, lutou para voltar à forma e disputar a Superliga já no mês seguinte.[3] Eventualmente assinou com o Minas para a temporada 2015/2016.[4]

Em 2016 assinou com Vôlei/Nestlé (Osasco) para temporada 2016/2017 sagrando-se campeã paulista e vice-campeã da Superliga, onde foi eleita a melhor sacadora e maior pontuadora. Foi convocada para a Seleção Brasileira em 2017, conquistando o título do Montreux Volley Masters e do Grand Prix.[5][6]

Para temporada 2017/2018 renovou seu contrato com Osasco, sendo uma das referências de passe, saque e ataque da atual edição da superliga .

Recordes:[editar | editar código-fonte]

A temporada 2017/18 ficará marcada como um período especial para Tandara . Além do hexacampeonato paulista e do tricampeonato da Copa Brasil, a oposta no Vôlei Nestlé/Osasco obteve desempenho individual que a coloca na história da Superliga ao bater dois recordes. Primeiro, conseguiu o maior número de pontos em uma única partida, com 39 acertos. Agora, ao encerrar sua participação na semifinal, somou 626 pontos para se tornar a maior pontuadora em uma edição do campeonato nacional, segundo dados da Confederação Brasileira de Vôlei. Tandara bateu a marca de ninguém menos que Sheilla, que na temporada 2010/11 marcou 494 pontos. Pelo Vôlei Nestlé, até a semifinal desta edição da Superliga, a oposta conseguiu 132 acertos a mais que a bicampeã olímpica, considerada uma das maiores jogadoras da história da Seleção Brasileira.

Se mantiver o ritmo, Tandara tem tudo para se transformar na maior pontuadora da história da Superliga nas próximas temporadas. Isso porque ‘apenas’ 352 pontos separam a oposta da atual recordista, a central Fabiana. A atleta do Dentil/Praia Clube soma 4.571 pontos, enquanto a jogadora do Vôlei Nestlé tem 4.219.

Convocação para as Olimpíadas de Londres 2012[editar | editar código-fonte]

O nome de Tandara não era apontado na lista dos fãs de vôlei para as Olimpíadas de Londres de 2012, Mari era a favorita para a posição. Tandara havia sido campeã da Superliga com 314 pontos e eleita a MVP da final, contra o Unilever Rio de Janeiro - time de Mari. A ponteira do Rio de Janeiro havia passado por 2 Olimpíadas - sendo ouro em Pequim 2008 - , sua experiência era fundamental para aquela equipe, mas estava se recuperando de uma tendinite no ombro direito e não vinha jogando com regularidade, enquanto Tandara treinava e se esforçava para tornar o sonho olímpico real. Ainda havia a veterana Sassá na briga, com um excelente fundo de quadra a jogadora poderia ser convocada para compor o passe da equipe quando necessitasse.

O clima estava tenso após o corte da levantadora Fabíola feito no aeroporto. Poucos dias antes da convocação final, Zé Roberto Guimarães polemiza ao cortar Mari, o comunicado à jogadora foi feito em particular em Saquarema, o técnico alegou - além da lesão da atleta - que Mari não tinha um bom convívio com o grupo, deixando a jogadora muito chateada. No dia 17 de julho de 2012 foi divulgada a lista oficial das atletas que atuariam em Londres; Tandara era uma das relacionadas pelo técnico, que afirmou que a determinação da atleta foi essencial para sua convocação.

Títulos pela Seleção[editar | editar código-fonte]

Medalhas de Ouro[editar | editar código-fonte]

Medalhas de Prata[editar | editar código-fonte]

Prêmios Individuais:[editar | editar código-fonte]

MVP da final da Superliga 2011-2012

Maior Pontuadora Superliga 2012-2013

Maior Pontuadora Superliga 2013-2014

Melhor Saque Superliga 2013-2014

MVP Campeonato Paulista 2016

Melhor Saque Superliga 2016-2017

Melhor Atacante Superliga 2016-2017

Maior Pontuadora Superliga 2016-2017

Craque da Galera Superliga 2016-2017 (Voto Popular)

MVP Sul Americano de 2017

Melhor Oposta Copa dos Campeões 2017

MVP do Torneio Internacional Final Four (Representando Vôlei Nestlé)

Melhor Atacante do Torneio Internacional Final Four (Representando Vôlei Nestlé)

MVP Campeonato Paulista 2017

Maior Pontuadora Copa Brasil de Vôlei 2018

MVP Copa Brasil de Vôlei 2018

MVP Superliga Nacional 2017-2018

Melhor Atacante da Superliga 2017-2018

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]