Tapejara (Rio Grande do Sul)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Tapejara
"Terra da Onça"
Igreja Matriz de Tapejara

Igreja Matriz de Tapejara
Bandeira de Tapejara
Brasão de Tapejara
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 1955
Fundação 9 de agosto de 1955 (63 anos)
Gentílico tapejarense
Lema Senhor dos Caminhos
Prefeito(a) Vilmar Merotto (Partido do Movimento Democrático Brasileiro)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Tapejara
Localização de Tapejara no Rio Grande do Sul
Tapejara está localizado em: Brasil
Tapejara
Localização de Tapejara no Brasil
28° 04' 04" S 52° 00' 50" O28° 04' 04" S 52° 00' 50" O
Unidade federativa Rio Grande do Sul
Mesorregião Noroeste Rio-grandense IBGE/2008 [1]
Microrregião Passo Fundo IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Charrua, Ibiaçá, Santa Cecília do Sul, Água Santa, Vila Lângaro e Sertão
Distância até a capital 332 km
Características geográficas
Área 240,613 km² [2]
População 19 252 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 80,01 hab./km²
Altitude 658 m
Clima subtropical úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,76 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 443 566,327 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 23 721,39 IBGE/2008[5]

Tapejara é um município do estado do Rio Grande do Sul, no Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1688, índios Coroados já habitava a área da atual cidade de Tapejara. Seus descendentes mais remotos se encontram atualmente nas reservas do Rio Ligeiro, no município de Charrua e na Reserva do Carreteiro no Município de Água Santa. No inicio do século XIX, a região passou a ser povoada por índios Tapes e Kaingangs que moravam em ocas, e tiravam do solo, caça e pesca produtos para sua subsistência.

A povoação do município deu-se, evidentemente, com a povoação do Rio Grande do Sul, porém foram inicialmente os imigrantes italianos que emigraram para a região de Tapejara.

Algum tempo depois com a Revolução Federalista de 1893, que teve grande ênfase nessa região e a construção da estrada de ferro, iniciava-se um pequeno povoado chamado de Núcleo Alto Rio do Peixe. Estas terras eram do governo, porém, com a colonização o Presidente do Estado, Dr. Antonio Augusto de Medeiros, legalizou uma área de 1.714.057m², entre os rios Ligeiro e Carreteiro, consagrando-a Antônio dos Santos Bonetes.

O núcleo chamado de sede Teixeira surgiria, em seguida, através da aquisição de três glebas de terra por Manoel Amâncio Teixeira e Julião Luiz Almeida, vendidas por Antônio dos Santos Bonetes e sua mulher, Serafina Garcia Vieira. Os dois compradores formularam um plano de loteamento, que em três etapas, 1915, 1917 e 1920, compunha o núcleo chamado Sede Teixeira. As terras foram divididas em lotes urbanos e chácaras.

Com isso a Sede Teixeira se torna a 11ª Seção do Distrito de Coxilha, município de Passo Fundo. Em 1922, a Sede Teixeira passou a pertencer ao distrito de 7 de Setembro (atual município de Charrua), também pertencente a Passo Fundo. Em 1929, a Sede Teixeira foi transformada em 14º Distrito de Passo Fundo.

Mais foi em 1940, que ocorreu a alteração de nome para Tapejara, seguindo a denominação que os índios davam ao Rio Carreteiro, desta forma “tape” que quer dizer “Caminho” e “Jará” que quer dizer “Senhor”, torna-se o nome que em Tupi-guarani significa Senhor dos Caminhos. Este rio era chamado Carreteiro, devido aos Carroceiros que faziam o transporte dos produtos entre Sede Teixeira e Passo Fundo. Essas viagens duravam de três a quatro dias com tempo bom, e era o único meio de transporte existente na época.

A cultura do povo tapejarense é formada por três principais etnias: europeus (italianos e alemães), africanos e indígenas (ou povos pós-Colombianos).

Com o crescimento de Vila Tapejara deu impulso ao movimento emancipacionista, liderado pelo vigário paroquial Padre Raimundo Damin mais tarde titulado “Patrono do Município”. Porém a força para o movimento surge do deputado estadual Dr. Victor Graeff, que orientou o grupo e a documentação exigida na época. Em 10 de julho de 1955 realizou-se o plebiscito, que deu vitória a causa emancipacionista. Em 09 de agosto de 1955 foi assinada, pelo então governador Ildo Meneghetti a Lei estadual nº 2.667, que criou o município de Tapejara.

Os números apontam que Tapejara tem um crescimento maior que a média Nacional, conhecida como Terra do Empreendedorismo e de acordo com dados da Secretaria Municipal da Fazenda, conta com 167 indústrias, mais de mil empresas do comércio, prestação de serviços, transportes, autônomos e representantes comerciais. Mais de 4 mil alunos que estudam em 18 escolas, população de 19.640 mil habitantes e a geração de janeiro a dezembro de 2011 de uma arrecadação de ICMS de 10.229.658,37 milhões


Lista de ex-prefeitos[editar | editar código-fonte]

  • Gestão 1956/1959 - Tranquilo Basso - Vice-prefeito: Ângelo Ughini
  • Gestão 1960/1963 - Severino Dalzotto - Vice-prefeito: Miguel Tabbal
  • Gestão 1964/1968 - José Maria Vigo da Silveira - Vice-prefeito: Miguel Tabbal
  • Gestão 1969/1972 - Severino Dalzotto - Vice-prefeito: Sadi Stein
  • Gestão 1973/1976 - Aldino G. Lângaro - Vice-prefeito: Ardulino Lângaro
  • Gestão 1977/1982 - José Maria Vigo da Silveira - Vice-prefeito: Jonhy Dorval Zoppas
  • Gestão 1983/1988 - Norberto Dall´Olivo - Vice-prefeito: José Rombaldi Mânica
  • Gestão 1989/1992 - Bomfilho Sebem - Vice-prefeito: Mário Antônio Maurina
  • Gestão 1993/1996 - Gilberto Borgo - Vice-prefeito: Noberto Dall´Olivo
  • Gestão 1997/2000 - Gilmar Sossella - Vice-prefeito: Ildo Aldino Lamb
  • Gestão 2001/2004 - Gilmar Sossella - Vice-prefeito: Ildo Aldino Lamb
  • Gestão 2005/2008 - Juliano Girardi - Vice-prefeito: Elso Scariot
  • Gestão 2009/2012 - Seger Luiz Menegaz - Vice-prefeito: Vilmar Merotto
  • Gestão 2013/2016 - Seger Luiz Menegaz - Vice-prefeito: Gilberto Oliboni
  • Gestão 2017/2020 - Vilmar Merotto - Vice-prefeito:Marcos Davi Bacega

Localização[editar | editar código-fonte]

Tapejara localiza-se na Região Sul do Brasil, no estado do Rio Grande do Sul, sendo que neste situa-se a nordeste, na zona de relevo do planalto médio, pertencente à mesoregião noroeste do Rio Grande do Sul e microrregião geográfica de Passo Fundo (segundo IBGE).

Altitude média é de 658 m.

Coordenadas de limites do município se insere: entre 52º 07’ 27” e 51º 55’ 55” de longitude oeste, e 28º 01’ 23” e 28º 07’ 24” de latitude sul.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Área do Município de Tapejara é de 240,1 km², sendo 94% pertencentes à zona rural, e 6% na zona urbana.

O município de Tapejara é formado pela bacia Intracratônica do Paraná, durante o período terciário, era cenozóica. O seu relevo é modelado com rochas basálticas entre os períodos jurássico e cretáceo, da formação Serra-geral. Possui um relevo em patamares que corresponde a derrames basálticos sucessivos, e desta forma apresentando topografia suavemente ondulada.

A hidrografia do Município de Tapejara é classificada compreendendo a grande Bacia do Rio Uruguai, sendo hidrografia com densidade concentrada, mas apresentando rios de pequena extensão. A configuração dos leitos dos rios do município, em sua grande maioria estreitos, favorece um rápido aumento do nível das águas por ocasião das chuvas.

O município de Tapejara pertence à Bacia do Rio Apuê, que reúne todos os rios e arroios que cruzam o Município, mas antes a isso, a cidade está compreendida na Bacia do Arroio Boneto, pois este arroio recebe as águas dos demais arroios que passam pelo perímetro urbano do município.

Por estar localizado entre o território do Trópico de Capricórnio e Círculo Polar Antártico, o clima de Tapejara é temperado, sendo ainda mesotérmico e superúmido. A temperatura média anual fica em torno de 18ºC. O verão é instável, mas a temperatura varia entre 28ºC e 35ºC. O inverno é bastante frio com temperaturas mínimas variando entre 7ºC e 9°C, podendo ainda ser registrado temperaturas inferiores a 0ºC. Situado em latitudes médias, Tapejara sofre constantes invasões de frentes frias de origem polar implicando em bruscas mudanças de tempo. E com isso o Município apresenta a ocorrência de geadas, sendo em sua maior frequência no inverno. O índice pluviométrico anual é elevado, geralmente entre 1.800 a 2.000 mm.

Os solos argilosos, profundos, bem drenados, suscetíveis à erosão, ácidos, com elevados teores de alumínio e de baixa fertilidade natural, são os predominantes.

A fitogeografia original da região era caracterizada essencialmente pela floresta subtropical com araucária, típica do planalto Rio-grandense. As árvores nativas existentes no município são: Cambará, Angico, Pinheiro, Bracatinga, Cedro, Tambaúva, Tarumã, Ipê, entre outras.

População[editar | editar código-fonte]

A população de Tapejara é de 20.017 habitantes, conforme informações do Censo Demográfico de 2010.

  • Indústrias: 167
  • Comércio e Serviços: 1.161
  • Propriedades rurais: 912
  • Residências Urbanas: 7.634
  • Estabelecimentos de ensino: 19

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Rogério Favreto - magistrado e desembargador federal

Vias de Acesso[editar | editar código-fonte]

Suas principais vias de acesso são as seguintes rodovias:

  • RS-463: Acesso a RS-135 (Coxilha, Passo Fundo).
  • RS-430: Acesso ao Município de Charrua.
  • RS-467: Acesso ao Município de Ibiaçá.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Sul é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.