Telma Monteiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde agosto de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Telma Monteiro Judo pictogram.svg
Judo
Nome completo Telma Alexandra Pinto Monteiro
Nascimento 27 de dezembro de 1985 (31 anos)
Almada, Almada (Distrito de Setúbal)
Nacionalidade portuguesa
Compleição Peso: 57 Altura: 1,63 m
Clube Portugal Construções Norte/Sul (até 2007)
Portugal Sport Lisboa e Benfica (2007 - )
Medalhas
Jogos Olímpicos
Bronze Rio 2016 - 57 kg
Campeonato Mundial de Judo
Prata Chelyabinsk 2014 - 57 kg
Prata Tóquio 2010 - 57 kg
Prata Roterdão 2009 - 57kg
Prata Rio de Janeiro 2007 - 52kg
Bronze Cairo 2005 - 52kg
Campeonato Europeu de Judo
Ouro Varsóvia 2014 - 57 kg
Ouro Chelyabinsk 2012 - 57 kg
Ouro Tbilisi 2009 - 57 kg
Ouro Belgrado 2007 - 52 kg
Ouro Tampere 2006 - 52 kg
Prata Istambul 2011 - 57 kg
Bronze Budapeste 2013 - 57 kg
Bronze Viena 2010 - 57 kg
Bronze Roterdão 2005 - 52kg
Bronze Bucareste 2004 - 52kg
Jogos Europeus
Ouro Baku 2015 -57kg

Telma Alexandra Pinto Monteiro ComM (Lisboa 27 de Dezembro de 1985), mais conhecida por Telma Monteiro, é uma judoca portuguesa. Conquistou a medalha de bronze nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016 na categoria de –57 kg.

É a atleta mais titulada do judo português com uma medalha de bronze nos Jogos Olímpicos, cinco títulos de campeã da Europa, quatro títulos de vice-campeã mundial, entre outros feitos relevantes a nível internacional. À luz do seu extraordinário currículo e do contributo dado ao desporto nacional, a atleta do Sport Lisboa e Benfica foi escolhida em 2012 para ser a porta-estandarte da comitiva portuguesa aos Jogos Olímpicos de Londres 2012.[1] Estudou na Faculdade de Educação Física e Desporto da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, em Lisboa, onde concluiu os estudos de Educação Física e Desporto em 2011.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Um começo auspicioso[editar | editar código-fonte]

Telma Monteiro entrou tarde para o judo, com 14 anos de idade. Depois duma primeira experiência, aos 12 anos, a jovem de Lisboa, que fez atletismo e na altura praticava futebol, foi incentivada a entrar definitivamente para a modalidade pela irmã Ana Monteiro, que já a praticava.[2] Em boa hora o fez, pois conquistou uma medalha de prata na primeira competição oficial que disputou, no caso o campeonato nacional de esperanças. Aos 15 anos e com apenas uma temporada de prática, a atleta provava assim de imediato e com alguma surpresa, o seu enorme potencial. Ainda no escalão de júnior, sagrou-se campeã nacional no ano seguinte e assegurou o 9º Lugar no Campeonato Europeu de Juniores, na sua categoria (-52 kg), naquele que seria o prenúncio da conquista da medalha de bronze nos Europeus de Juniores de Sarajevo, em 2003, ano em que conquistou o seu primeiro título nacional de seniores.

Primeira medalha e estreia nos Jogos Olímpicos[editar | editar código-fonte]

Em 2004, ano de Jogos Olímpicos, Telma Monteiro combatia em ambos os escalões, de juniores e seniores, e ainda se sagrou campeã europeia de juniores, em Sofia e 3.ª Classificada nos Mundiais de Budapeste. A nível sénior, conquistou várias medalhas em provas da Taça do Mundo e a sua primeira medalha em grandes torneios internacionais, com a medalha de bronze no Campeonato da Europa de Bucareste, na categoria de -52 kg. Com apenas 18 anos, e graças a uma ascensão meteórica no judo, modalidade que praticava apenas há 4 anos, Telma estreou-se na maior prova desportiva do mundo, nos Jogos Olímpicos de Atenas, prova em que conquistou um fantástico 9º Lugar.[3]

Bicampeã da Europa e vicecampeã do Mundo[editar | editar código-fonte]

Um ano mais tarde, em 2005, a atleta foi agraciada com a Medalha Olímpica Nobre Guedes, atribuída pelo Comité Olímpico de Portugal.[4] Nesse ano, confirmou o seu estatuto a nível internacional como uma das melhores judocas do mundo, tendo conquistado a medalha de bronze no Europeu de Roterdão e nos Mundiais do Cairo. Sagrou-se também vicecampeã da Europa no escalão de sub-23. 2006 foi um ano ainda melhor para a atleta do Construções Norte/Sul, que atingiu o número 1 do ranking mundial de judo, em - 52 kg. Este facto deveu-se em grande parte à conquista do título europeu de sub-23, mas principalmente à medalha de ouro conquistada nos Europeus de Tampere, na Finlândia. Esta conquista valeu à recém sagrada campeã da Europa, a atribuição do prémio de atleta do ano, pelo CNID (Associação dos Jornalistas de Desporto).[5]

Os bons resultados não pararam, e a renovação do título de campeã da Europa surgiu sem grande surpresa, no ano seguinte, em Belgrado. Essa medalha de ouro veio acompanhada da sua primeira medalha de prata em campeonatos do Mundo, que lhe permitiu não só sagrar-se vicecampeã mundial pela primeira vez, mas também assegurar a qualificação para os Jogos Olímpicos de Pequim. Este resultado conseguido no Rio de Janeiro, foi mesmo o melhor de sempre do judo português, que apenas tinha conseguido cinco medalhas de bronze, até à data (uma delas conquistada também por Telma Monteiro). No caminho para a semifinal, a judoca nacional eliminou a bielorrussa Zharskaya, a argelina Haddad, a tunisina Barhouni e a austriaca Hukuda. Na meia final da prova, coube-lhe em sorte defrontar a brasileira Erika Miranda, que seria eliminada e viria mesmo a perder o combate pela conquista do 3º Lugar. Na final, Telma Monteiro não teve tanta sorte e acabou derrotada, num combate bastante táctico, pela chinesa Junjie Shi, por um yuko de diferença.[6]

Ingresso no Benfica e Jogos de Pequim[editar | editar código-fonte]

A qualidade da judoca nacional não passou indiferente ao Sport Lisboa e Benfica, apostado em renovar a sua aposta olímpica, e que já tinha contratado Vanessa Fernandes e Nélson Évora, duas grandes figuras do desporto nacional. Foi sem surpresa que recaiu a aposta em Telma Monteiro, que segundo os dirigente do Benfica era a principal referência do judo português. O contrato com os encarnados foi assinado em Julho de 2007 e ao mesmo tempo o clube da Luz assinou um protocolo de cooperação com o anterior clube de Telma, o Construções Norte/Sul, no qual a atleta fez toda a sua formação.[7]

Foi já ao serviço do seu novo clube que conquistou a Taça de Portugal por equipas, em 2008, ano em que atingiu os seus segundos Jogos Olímpicos da carreira. A aventura em Pequim não correu da melhor forma, no entanto, e o resultado acabou por ser idêntico ao de Atenas, um 9º Lugar, que desta vez não teve o mesmo sabor, pois as expectativas eram de conquistar uma medalha. A judoca foi derrotada no segundo combate, pela chinesa Xian Dongmei, que depois de derrotar Telma, se sagraria bicampeã olímpica.[8] 2008, que não se revelou um ano muito positivo, já que tinha começado com uma triste notícia para a jovem portuguesa, em Janeiro, com a perda do seu treinador António Matias, seleccionador feminino da modalidade, que se sentiu mal no final de um treino e acabou por falecer aos 43 anos.[9]

Mudança de categoria e mais medalhas[editar | editar código-fonte]

No ano de 2009, dá-se a mudança de categoria, dos - 52 kg para os - 57 kg. A mudança dá frutos e Telma volta a conquistar a medalha de prata nos Campeonatos do Mundo de Roterdão, dois anos depois, tornando-se a primeira judoca nacional a conquistar dois vice-campeonatos mundiais. No caminho para a final, derrotou a italiana Quintavalle, a espanhola Concepcion Bellorin e a polaca Bielak, todas por ippon. Na meia final venceu a atleta do Azerbaijão, Gasimova, com 1 waza-ari e 3 yukos, assegurando a sua segunda final em Mundiais. Na final, Telma voltou a perder, desta feita por faltas, com dois ataques em falso, contra a francesa Morgane Ribaut.[10] A esta conquista juntou-se o título de campeã da Europa, conquistado em Tbilisi, pela primeira vez na nova categoria, a terceira medalha de ouro europeia no global. Na final a atleta do Benfica venceu a britânica Sarah Clark, num combate muito renhido apenas decidido por decisão dos árbitros, depois de nenhuma das judocas ter feito qualquer ponto.[11]

Mais vitórias se seguiriam nos dois anos seguintes, com medalhas de prata nos Mundiais de 2010 e Europeu de 2011 e medalha de bronze no Europeu de 2010. Em Viena (Europeu 2010) assegurou o 3º Lugar, mal menor depois de ter sido eliminada logo ao segundo combate por Quintavalle. Nas repescagens, bateu a atleta sérvia Jovana Rogic (por yuko) e a holandesa Juul Franssen (por ippon), conseguindo dessa forma o bronze.[12] Em Setembro de 2010 alcançou a sua terceira final em Campeonatos do Mundo, em Tóquio mas foi derrotada pela atleta da casa, Kaori Matsumoto, a apenas 23 segundos do final do combate. Pelo caminho, a judoca portuguesa eliminou valorosas adversárias, entre as quais se destacam Ekaterina Melnikova, da Rússia e Sabrina Filmoser, da Áustria (que um ano depois bateria Telma na final do Europeu 2011), para assegurar a sua terceira medalha de prata a nível mundial.[13] A culminar mais estes dois anos de sucesso, foi considerada a desportista do ano, pela Confederação de Desporto de Portugal, ganhou por mais duas vezes o prémio de atleta do ano pelo CNID e foi distinguida com o prémio para atleta de alta-competição do Sport Lisboa e Benfica, no ano de 2010.

Tetracampeã da Europa e porta-estandarte nos Jogos da desilusão[editar | editar código-fonte]

2012 parecia que iria ser o ano da afirmação olímpica para a judoca de 26 anos, com a quarta conquista da medalha de ouro nos Europeus de Chelyabinsk, na Rússia. Depois da frustrante derrota nos Mundiais de Paris 2011, a portuguesa entrou em prova com ambição de voltar a conquistar um lugar no pódio. Algo que foi conseguido, ao derrotar a grega Ioulietta Boukouvala na final dos -57 kg, por ippon, Telma Monteiro conquistou a sua oitava medalha em outras tantas presenças em Campeonatos da Europa da modalidade, mais um feito inédito no judo nacional.[14][15] Na antecâmara dos Jogos Olímpicos de Londres, mais boas notícias para Telma, que a 8 de Junho de 2012 foi agraciada com o grau de Oficial da Ordem do Mérito[16] pelo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, que a condecorou pessoalmente nas Comemorações do 10 de Junho desse ano[17] e foi escolhida para ser a porta-estandarte da comitiva portuguesa, na Cerimónia de Abertura dos Jogos Olímpicos.[18] No entanto, rapidamente a alegria passaria a desilusão, com uma frustrante eliminação da maior prova desportiva do mundo. Os Jogos de Londres durariam, para Telma Monteiro, apenas pouco mais que 7 minutos, com uma derrota que teve tanto de inesperado como de cruel para o trabalho de 4 anos da judoca portuguesa. O carrasco da segunda cabeça de série seria a americana Marti Malloy, num combate que acabou decidido no ponto de ouro e apenas por um yuko de diferença. Maloy seguiria o caminho do bronze olímpico, enquanto para Telma ficava apenas a desilusão de mais uma oportunidade desperdiça, mas a certeza que em 2016, no Rio de Janeiro haverá nova oportunidade olímpica. Essa oportunidade acabou por surgir e Telma Monteiro conseguiu ganhar a medalha de bronze nos Jogos Olimpicos de 2016.

Em reconhecimento da conquista da medalha olímpica, a 9 de Novembro de 2016 Telma Monteiro foi elevada ao grau de Comendadora da Ordem do Mérito pelo Presidente Marcelo Rebelo de Sousa.[19]

Palmarés[editar | editar código-fonte]

Jogos Olímpicos[editar | editar código-fonte]

Jogos Europeus[editar | editar código-fonte]

Campeonatos do Mundo[editar | editar código-fonte]

Campeonatos da Europa[editar | editar código-fonte]

Outros Títulos[editar | editar código-fonte]

2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

2006

2005

2004

2003

2002

2001

Condecorações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Rádio Renascença (12 de Julho de 2012). «Telma Monteira é a porta-estandarte da missão olímpica». Rádio Renascença. Consultado em 30 de julho de 2012 
  2. Aula Magna (30 de Maio de 2010). «Entrevista com Telma Monteiro: Um passo de judo, outro de estudo». Aula Magna. Consultado em 1 de Agosto de 2012 
  3. Público (30 de Julho de 2012). «Telma Monteira eliminada no primeiro combate». Público. Consultado em 31 de Julho de 2012 
  4. GoldenMap. «Medalha Olímpica Nobre Guedes». Consultado em 27 de Julho de 2012 
  5. CNID. «Tarde emotiva na câmara municipal de Lisboa». Consultado em 26 de Julho de 2012 
  6. Expresso (16 de Setembro de 2007). «Telma Monteira vicecampeã do mundo». Expresso. Consultado em 31 de Julho de 2012 
  7. TSF (30 de Julho de 2007). «Benfica reforça aposta olímpica com Telma Monteiro». TSF. Consultado em 30 de Julho de 2012 
  8. Jornalismo Porto Net (10 de Agosto de 2008). «Pequim 2008: Telma Monteiro repete classificação de Atenas e fica de fora do pódio». Jornalismo Porto Net. Consultado em 28 de Julho de 2012 
  9. DN (5 de Janeiro de 2008). «António Matias deixa órfão o judo feminino». DN. Consultado em 29 de Julho de 2012 
  10. Desporto Vivo (27 de Agosto de 2009). «Judo – Telma Monteiro sagra-se vice-campeã mundial em Roterdão». Desporto Vivo. Consultado em 28 de Julho de 2012 
  11. TSF (24 de Abril de 2009). «Telma Monteiro sagra-se campeã da Europa». TSF. Consultado em 30 de Julho de 2012 
  12. TSF (22 de Abril de 2010). «Telma Monteiro conquista medalha de bronze». TSF. Consultado em 30 de Julho de 2012 
  13. Público (11 de Setembro de 2010). «Judo: Telma Monteiro é vice-campeã do mundo». Público. Consultado em 30 de Julho de 2012 
  14. ABola (26 de Abril de 2012). «Telma Monteiro campeã da Europa». ABola. Consultado em 30 de Julho de 2012 
  15. JN (26 de Abril de 2012). «Telma Monteiro campeã europeia de judo». JN. Consultado em 30 de Julho de 2012 
  16. http://www.ordens.presidencia.pt/
  17. Record (10 de Junho de 2012). «Telma Monteiro: «É bom o país reconhecer o nosso trabalho»». Record. Consultado em 28 de Julho de 2012 
  18. ABola (12 de Julho de 2012). «Telma Monteiro será a porta-estandarte de Portugal». ABola. Consultado em 30 de Julho de 2012 
  19. RTP (9 de Novembro de 2016). «Telma Monteiro condecorada pelo Presidente da República» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]