Universidade Eduardo Mondlane

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Universidade Eduardo Mondlane
Logotipo da universidade
UEM
Lema Educare, Excellentia e Innovare[1]
Educação, Excelência e Inovação
Fundação 21 de agosto de 1962 (55 anos)
Tipo de instituição Pública
Mantenedora Fundação Universitária da UEM[2]
Localização Maputo
Docentes 1.659 (2012)[3]
Reitor(a) Orlando António Quilambo[4]
Vice-reitor(a) Amália Alexandre Uamusse[5]
Armindo Daniel Tiago[6]
Funcionários técnicos administrativos 2.886 (2012)[3]
Total de estudantes 36.316 (2012)[3]
Graduação 34.098 (2012)[3]
Pós-graduação 2.218 (2012)[3]
Página oficial www.uem.mz

A Universidade Eduardo Mondlane (UEM) é uma instituição de ensino superior pública moçambicana, que tem a sua reitoria instalada na cidade de Maputo.

Com uma tradição que remonta ao período colonial, é a mais antiga e também referência entre as universidades do país. Foi fundada, em definitivo, em 1962, e depois da independência foi durante muito tempo a única responsável pela formação intelectual moçambicana.[7] Conta com cerca de 37000 estudantes nos mais diversos cursos.

Em 2016, a universidade foi classificada pelo ranking Webometrics Ranking of World Universities como a melhor universidade dos PALOP, sendo, de longe, a melhor universidade do seu país.[8]

Recebe seu nome em homenagem ao herói da independência nacional Eduardo Mondlane. O dia 20 de Junho, data do nascimento de Mondlane, é comemorado como o Dia da Universidade Eduardo Mondlane.[9]

Histórico[editar | editar código-fonte]

A tradição universitária de Moçambique e da UEM pode ser remontada ao período colonial, com o estabelecimento dos primeiros cursos universitários da colônia.[10]

Período colonial[editar | editar código-fonte]

Remonta-se portanto, se considerada a Faculdade de Medicina da Universidade Eduardo Mondlane (FMUEM) como sucessora da Aula de Anatomia de Lourenço Marques, criada pela Carta Patente de D. Maria I, em 24 de Abril de 1789, aos cuidados do Físico-Mór de Moçambique[11] João Domingues Toscano, a criação deste curso como marco da instalação do ensino superior no território moçambicano, fazendo da FMUEM a instituição orgânica mais antiga da UEM.

A instituição manteve-se em exercício, de maneira intermitente, até 11 de Dezembro de 1851 (ano em que já ostentava o nome de Escola Médico-Cirúrgica de Lourenço Marques[12]), quando, por meio de um relatório ministerial, o governo reconhecia o valor da iniciativa, apontava as dificuldades e as deficiências, distinguia a Escola Médica de Goa como a única que tinha obtido resultados aceitáveis e, por fim, em vez de propôr soluções, o decreto que encerrava aquele documento extinguia algumas dessas escolas e entre elas a de Lourenço de Marques. Assim acabou uma experiência que durou mais de sessenta anos.[10]

Com o advento dos movimentos de descolonização, a partir de 1960, o Estado Novo decidiu, entre outras coisas, retomar o ensino universitário (servindo como contra-resposta de natureza social), institucionalizando em Moçambique, em 21 de agosto de 1962, pelo Decreto-Lei nº. 44530, os Estudos Gerais Universitários de Moçambique (EGUM), integrados na Universidade Portuguesa (neste caso, sob a supervisão da Universidade de Coimbra). O primeiro reitor dos EGUM foi doutor em física José Veiga Simão[13]

Em 23 de Dezembro de 1968 o decreto-lei 48790 outorgou-a o estatuto de universidade, passando a denominar-se Universidade de Lourenço Marques (ULM).[9]

Pós-independência[editar | editar código-fonte]

A 1º de maio de 1976 - um ano depois da proclamação da independência de Moçambique - o Presidente Samora Moisés Machel atribuiu a esta instituição o nome de Universidade Eduardo Mondlane, em homenagem a Eduardo Chivambo Mondlane, primeiro presidente da FRELIMO, que iniciou a Luta Armada de Libertação Nacional deste país africano.[9]

O reitor Fernando Ganhão assumiu funções, em 1976, com um enorme problema resultante da falta de pessoal qualificado, visto que os portugueses retiraram-se abruptamente de Moçambique após a independência. Estes compunham a maioria do corpo docente e de alunos, já que dos aproximadamente 2000 estudantes, somente 40 eram negros. Este quadro lhe custou longas horas de negociações com professores espalhados ao redor do mundo, para que estes viessem a compor o quadro docente, principalmente para montar cursos das Ciências Sociais, inexistentes na universidade, destacando-se entre outros a vinda de nomes como Ruth First, Marc Eric Wuyts, Aquino de Bragança, Bridget O'Laughlin, Barry Munslow, Dan O'Meara e Jacques Depelchin, além de alunos recém-formados como Ana Loforte e Amélia Muge.[14]

A década de 1980 funcionou na UEM a Faculdade para Combatentes e Trabalhadores de Vanguarda (FACOTRAV), única experiência de faculdade com vocação para formação política de guerrilha. Em 1985, foi criado, por despacho Ministerial nº 73/85 do Ministério da Educação, o Instituto Superior Pedagógico (ISP), pela necessidade de elevação do nível de entrada dos estudantes e do aumento de duração dos cursos, para além de que, dado o seu tamanho, ela se tornaria incomportável dentro da UEM. O ISP, em 1995, foi transformado em Universidade Pedagógica (UP).[15]

As décadas de 1980 e de 1990 experimentaram um forte apelo pela interiorização da universidade, principalmente com a montagem das delegações da Beira e em Nampula, atualmente ambos campus da UP.[16]

Democratização - presente[editar | editar código-fonte]

Em 2010 a universidade pôde escolher pela primeira vez seus representantes, marcando o amadurecimento e a democratização da gestão universitária. Seu primeiro reitor eleito indiretamente, pelo Conselho Universitário, foi o professor doutor Orlando Quilambo.[17]

Estrutura orgânica[editar | editar código-fonte]

A UEM tem a sua sede e a maioria das faculdades em Maputo, encontrando-se uma delegação da Faculdade de Direito na Beira, a Escola Superior de Hotelaria e Turismo na cidade de Inhambane e tendo sido recentemente inaugurada a Escola Superior de Ciências Marinhas em Quelimane.[18]

As faculdades, escolas e órgãos são:

Escola de Comunicação e Artes[editar | editar código-fonte]

A ECA oferta os seguintes cursos:

  • Jornalismo
  • Ciência da Informação
  • Licenciatura em Música
  • Licenciatura em Teatro

Órgão suplementar:

  • Centro de Estudos Interdisciplinares de Comunicação

Escola Superior de Ciências de Desporto[editar | editar código-fonte]

A ESCIDE oferta a seguinte graduação:

  • Licenciatura em Ciências do Desporto - Ramo Desporto Adaptado e Saúde.
  • Licenciatura em Ciências do Desporto - Ramo Gestão Desportiva.
  • Licenciatura em Ciências do Desporto - Ramo Treino Desportivo.

Escola Superior de Ciências Marinhas e Costeiras[editar | editar código-fonte]

A ESCMC oferta os seguintes cursos superiores:

  • Oceanografia
  • Biologia Marinha
  • Química Marinha
  • Geologia Costeira e Marinha
  • Engenharia Costeira

Órgão suplementar:

  • Centro de Estudos Costeiros

Escola Superior de Desenvolvimento Rural[editar | editar código-fonte]

A ESUDER oferta os seguintes cursos superiores:

  • Licenciatura em Produção Animal
  • Licenciatura em Produção Agrícola
  • Licenciatura em Agro-processamento
  • Engenharia Rural
  • Economia Agrária
  • Comunicação e Extensão Rural

Órgão suplementar:

  • Centro de Pesquisa de Políticas Agroalimentares

Escola Superior de Empreendedorismo e Negócios[editar | editar código-fonte]

A ESNEC oferta as seguintes licenciaturas:

  • Licenciatura em Agricultura Comercial
  • Licenciatura em Agro-negócios
  • Licenciatura em Gestão Comercial
  • Licenciatura em Finanças
  • Licenciatura em Gestão de Empresas

Órgão suplementar:

  • Centro de Recursos em Nwadjahane

Escola Superior de Hotelaria e Turismo[editar | editar código-fonte]

A ESHTI oferta as seguintes graduações:

  • Turismo
  • Gestão Hoteleira

Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal[editar | editar código-fonte]

Campus da UEM em Maputo

Oferta as seguintes graduações:

  • Agronomia
  • Engenharia Florestal

Faculdade de Arquitectura[editar | editar código-fonte]

Esta faculdade oferta somente um curso de graduação:

  • Arquitectura e Planeamento Físico

Órgão suplementar:

  • Centro de Estudos do Desenvolvimento do Habitat

Faculdade de Ciências[editar | editar código-fonte]

A Faculdade de Ciências oferta as seguintes graduações:

  • Licenciatura em Biologia Aplicada
  • Licenciatura em Biologia e Saúde
  • Licenciatura em Ecologia e Conservação da Biodiversidade Terrestre
  • Licenciatura em Biologia Marinha Aquática e Costeira
  • Licenciatura em Física
  • Licenciatura em Meteorologia
  • Licenciatura em Química
  • Licenciatura em Geologia Aplicada
  • Licenciatura em Cartografia e Pesquisa Geológica
  • Licenciatura em Matemática
  • Licenciatura em Estatística
  • Licenciatura em Informática
  • Licenciatura em Ciências de Informação Geográfica

Cursos de Pós-Graduação:

  • Mestrado em Biologia Aquática e Ecossistemas Costeiros (BAEC)
  • Mestrado em Informática
  • Mestrado em Física
  • Mestrado em Química e Processamento de Recursos Locais
  • Mestrado em Geologia Costeira e Ambiente
  • Mestrado em Gestão de Recursos Minerais
  • Doutoramento em Ciência e Tecnologia de Energia

Órgãos suplementares:

  • Estação de Biologia Marítima de Inhaca
  • Museu de História Natural

Faculdade de Direito[editar | editar código-fonte]

Esta faculdade oferta somente um curso de graduação:

  • Direito

Órgãos suplementares:

  • Centro Clínica Jurídica
  • Centro de Direitos Humanos
  • Centro de Estudos sobre o Direito da Integração Regional da SADC

Faculdade de Economia[editar | editar código-fonte]

Esta faculdade oferta os seguintes cursos de graduação:

  • Licenciatura em Economia
  • Licenciatura em Gestão
  • Licenciatura em Contabilidade e Finanças
  • Bacharel em Economia
  • Bacharel em Gestão de Negócios

Cursos de pós-graduação:

  • Mestrado em Gestão Empresarial
  • Mestrado em Economia do Desenvolvimento
  • Mestrado em Gestão de Politicas Económicas

Órgãos suplementares:

  • Centro Internacional de Economia e Governação de Água
  • Centro de Estudos de Economia e de Gestão

Faculdade de Educação[editar | editar código-fonte]

Esta faculdade oferta os seguintes cursos de graduação:

  • Licenciatura em Psicologia Escolar e das Necessidades Educativas Especiais
  • Licenciatura em Psicologia das Organizações
  • Licenciatura em Psicologia Social e Comunitária
  • Licenciatura em Desenvolvimento e Educação de Infância
  • Licenciatura em Educação Ambiental
  • Licenciatura em Organização e Gestão da Educação

Curso de Pós-Graduação:

  • Mestrado em Terapia Familiar e Comunitária

Órgãos suplementares:

  • Centro de Desenvolvimento Académico
  • Centro de Ensino à Distância
  • Centro de Estudos e Apoio Psicológico
  • Centro de Recursos em Educação Não-Formal

Faculdade de Engenharia[editar | editar código-fonte]

A Faculdade de Engenharia oferta cinco cursos de graduação:

  • Engenharia Informática
  • Engenharia Química
  • Engenharia Mecânica
  • Engenharia Electrónica - Comunicações, Controle e Computação
  • Engenharia Eléctrica - Sistemas de Energia e Accionamentos Eléctricos
  • Engenharia Civil

Órgãos suplementares:

  • Centro de Estudo Industriais Segurança e Ambiente
  • Centro de Estudos de Engenharia

Faculdade de Filosofia[editar | editar código-fonte]

Esta faculdade oferta uma única graduação:

  • Licenciatura em Filosofia

Curso de Pós-Graduação:

  • Mestrado em Filosofia

Órgão suplementar:

  • Centro de Investigação em Filosofia.

Faculdade de Letras e Ciências Sociais[editar | editar código-fonte]

Esta faculdade oferta as seguintes graduações

  • Licenciatura e, Tradução e Interpretação Francês/Português
  • Licenciatura em Administração Pública
  • Licenciatura em Antropologia
  • Licenciatura em Arqueologia
  • Licenciatura em Ciência Política
  • Licenciatura em ensino de Francês
  • Licenciatura em ensino de Inglês
  • Licenciatura em ensino de Línguas Bantu
  • Licenciatura em ensino de Português
  • Licenciatura em Geografia
  • Licenciatura em História
  • Licenciatura em Linguística
  • Licenciatura em Linguística e Literatura
  • Licenciatura em Literatura Moçambicana
  • Licenciatura em Serviço Social
  • Licenciatura em Sociologia
  • Licenciatura em Tradução e Interpretação Inglês/Português

Cursos de pós-graduação:

  • Mestrado em Governação e Administração Pública
  • Mestrado em História de Moçambique e da África Austral
  • Mestrado em Linguística
  • Mestrado em População e Desenvolvimento
  • Mestrado em Sociologia Rural e Gestão de Desenvolvimento
  • Mestrado em Ensino de Português como Língua Segunda
  • Doutoramento em Linguística

Órgãos suplementares:

  • Centro de Estudos Africanos
  • Centro de Análise de Políticas
  • Centro de Coordenação dos Assuntos do Género
  • Centro de Línguas
  • Arquivo Histórico de Moçambique

Faculdade de Medicina[editar | editar código-fonte]

Esta faculdade oferta somente uma graduação:

  • Licenciatura em Medicina

Órgão suplementar:

  • Hospital Central de Maputo (mantém, na verdade, parceria, já que a universidade não sustenta o hospital)

Faculdade de Veterinária[editar | editar código-fonte]

Esta faculdade oferta as seguintes graduações:

  • Licenciatura em Medicina Veterinária
  • Licenciatura em Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • Licenciatura em Ciência e Tecnologia Animal

Cursos de pós-graduação:

  • Mestrado em Segurança de Alimentos
  • Mestrado em Produção Animal
  • Mestrado em Medicina Veterinária Preventiva

Órgão suplementar:

  • Centro de Biotecnologia
  • Hospital Escolar Veterinário

Reitores[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Afiliação Forma de eleição
José Veiga Simão[13] 21 de agosto de 1962 - 15 de janeiro de 1970 Faculdade de Ciências e Tecnologia
da Universidade de Coimbra
Indicação do Ministro do Ultramar
Vítor Pereira Crespo[19] 15 de janeiro de 1970 - Janeiro de 1972 Faculdade de Ciências e Tecnologia
da Universidade de Coimbra
Indicação do Ministro do Ultramar
José Alberto da Gama Fernandes de Carvalho[20] Janeiro de 1972 - 25 de abril de 1974 Faculdade de Ciências e Tecnologia
da Universidade de Coimbra
Indicação do Ministro do Ultramar
José Marques Correia Neves[21] 25 de abril de 1974 - Janeiro de 1976 Faculdade de Engenharia
da Universidade de Lourenço Marques
Indicação da Junta de Salvação Nacional
Fernando Ganhão[14] janeiro de 1976 - 24 de abril de 1986 Faculdade de Letras e Ciências Sociais
da Universidade de Lourenço Marques
Indicação presidencial
Rui Baltazar dos Santos Alves[22] 24 de abril de 1986 - Fevereiro de 1990 Faculdade de Direito
da Universidade Eduardo Mondlane
Indicação presidencial
Narciso Matos[23] Fevereiro de 1990 - Junho de 1995 Faculdade de Ciências
da Universidade Eduardo Mondlane
Indicação presidencial
Brazão Mazula[24] Junho de 1995 - 3 de Fevereiro de 2007 Faculdade de Letras e Ciências Sociais
da Universidade Eduardo Mondlane
Indicação presidencial
Filipe Couto[25] 3 de Fevereiro de 2007 - maio de 2010 Faculdade de Filosofia
da Universidade Eduardo Mondlane
Indicação presidencial
Orlando António Quilambo[26] Maio de 2010 - presente Faculdade de Ciências
da Universidade Eduardo Mondlane
Eleição indireta

Pessoas notáveis[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Visão e Missão». Portal UEM 
  2. «A Fundação». Portal da FundUEM 
  3. a b c d e «UEM em números - 2012». Portal UEM. Consultado em 29 de abril de 2017 
  4. «Reitor da Universidade Eduardo Mondlane». Portal UEM 
  5. «Vice-Reitoria Acádemica». Portal UEM  Texto "urlhttp://www.uem.mz/index.php/gabinete-do-vice-reitora-academico" ignorado (ajuda);
  6. «Vice-Reitor para a administração e Recursos». Portal UEM 
  7. «Universidade Eduardo Mondlane». SARUA 
  8. «Top Mozambique - July 2016 Edition». Webometrics Ranking of World Universities. Consultado em 22 de janeiro de 2017 
  9. a b c «Nota Histórica». Portal UEM 
  10. a b «Os Portugueses no Congo: Lição 6 - Cultura, educação e ensino em Angola». ReoCities Athens. Consultado em 28 de abril de 2016 
  11. Rodrigues, Eugénia (2012). «Moçambique e o Índico: a circulação de saberes e práticas de cura» (PDF). Universidade de Lisboa 
  12. Taimo, Jamisse Uilson (2010). «Ensino Superior em Moçambique: História, Política e Gestão» (PDF). Piracicaba: Universidade Metodista de Piracicaba 
  13. a b «Curriculum Vitae: Prof. Doutor José Veiga Simão» (PDF). Universidade da Beira Interior. Consultado em 29 de abril de 2017 
  14. a b Fernandes, Carlos (Julho de 2013). «Intelectuais orgânicos e legitimação do Estado no Moçambique pós-independência: o caso do Centro de Estudos Africanos (1975-1985)». 48. Salvador: Afro-Ásia 
  15. Brito, Carlos Estrela; Ferasso, Marcos; Brito, Sandra Manuel P.P.Lopes Estrela. «A Gestão Universitária em Moçambique: Autonomia e os Modelos de Governo e Gestão das Instituições de Ensino Superior» (PDF). 5ª Conferência FORGES Fórum da Gestão do Ensino Superior nos Países e Regiões de Língua Portuguesa 
  16. Costa, Ana Bénard da; Barreto, Antónia (2010). «Actas do Congresso COOPEDU - "Portugal e os PALOP: Cooperação na Área da Educação"» (PDF). Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) 
  17. «Reitor da UEM poderá ser afastado por permitir homenagem a Gilles Cistac». Jornal Savana. Consultado em 29 de abril de 2017 
  18. «Faculdades e Escolas». Portal UEM 
  19. Formosinho, Sebastião J.; Burrows, Hugh D. (2013). Fernando Pinto Coelho o mestre e o professor universitário: no centenário do seu nascimento. [S.l.]: Imprensa da Universidade de Coimbra. p. 52 e 53 
  20. Carvalho, José Alberto Fernandes de (Janeiro de 1972). Palavras proferidas no acto de posse de reitor da Universidade de Lourenço Marques. [S.l.]: Departamento de Bibliothecas e Registros da Universidade de Lourenço Marques. 8 páginas 
  21. «Homenagem ao professor Correia Neves» (PDF). Universidade Federal de Minas Gerais. Consultado em 29 de abril de 2017 
  22. «Dr. Rui Baltazar dos Santos Alves». Conselho Constitucional de Moçambique. Consultado em 29 de abril de 2017 
  23. Mário, Mouzinho; Fry, Peter; Levey, Lisbeth; Chilundo, Arlindo (2003). «Higher Education in Mozambique: A Case Study». Maputo: Imprensa & Livraria Universitária da Universidade Eduardo Mondlane. p. 10 
  24. Mangue, Manuel Valente (2007). «Consolidação do Processo de Informatização em Sistemas de Bibliotecas Universitárias da África do Sul, Brasil e Moçambique» (PDF). Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais. p. 10 
  25. «Nomeação do novo Reitor da UEM». Blog Moçambique para todos. Consultado em 29 de abril de 2017 
  26. «"Educação necessita de soluções concretas"-Nyusi». Jornal Folha de Maputo. Consultado em 29 de abril de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Moçambique é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.