Amélia Muge

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Amélia Muge
Informação geral
Nome completo Maria Amélia Salazar Muge
Nascimento <1954 (64 anos)
Local de nascimento Moçambique
Nacionalidade Portugal Portuguesa

Amélia Muge (de seu nome completo Maria Amélia Salazar Muge[1]) é uma cantora, instrumentista, compositora e escritora de letras para canções, portuguesa nascida em Moçambique em 1952.

A sua música junta tradição e inovação, partindo da música tradicional portuguesa e africana para alcançar uma grande modernidade. Recorre tanto a instrumentos tradicionais como a "novas tecnologias" nessa busca de inovação.

A música da Amélia Muge destaca-se também pela beleza das letras das suas canções, musicando tanto poemas seus como poemas de vários poetas da língua portuguesa, entre os quais se destacam Fernando Pessoa e Grabato Dias, sem esquecer os poemas de origem tradicional.

Percurso[editar | editar código-fonte]

Formou o grupo Irmãs Muge, com a sua irmã Teresa, que em 1967 ficaram em 3.º lugar no I Festival da Canção Ligeira de Lourenço Marques.

Vive em Portugal desde 1984. Aparece no disco "Braguesa" de Júlio Pereira. Em Portugal estudou Belas Artes e História.

O seu primeiro disco a solo, "Múgica", foi lançado em 1992. Em 1994 editou o álbum "Todos os Dias". É nomeada com como melhor cantora nos prémios Blitz.

Com João Afonso e José Mário Branco gravou em 1995 o disco "Maio Maduro Maio" dedicado à obra de José Afonso. O disco recebeu o Prémio José Afonso atribuído pela Câmara Municipal da Amadora.

Em 1998 participa no colectivo "Terras de Canto", com Lucilla Galiazzi e Elena Ledda. Na Expo 98 toca com Vozes Búlgaras do Pirin Folk Ensemble. O disco "Taco A Taco" é editado nesse ano. Volta a vencer o Prémio José Afonso com esse disco.

Em conjunto com os Gaiteiros de Lisboa participa no disco "Novas Vos Trago", promovido pela Comissão Nacional para os Descobrimentos Portugueses, onde são recriados alguns romances da tradição portuguesa.

Participa no disco "Habelas Hailas" do galegos Camerata Meiga. Os Underground Sound of Lisbon incluem a sua remistura de "Taco a Taco" no seu álbum "Etnocity".

Amélia Muge e António José Martins produziram o álbum "Esta Voz Que Me Atravessa" de Mafalda Arnauth editado em 2001.

Regressa aos discos em 2002 com o disco "A Monte" que é intercalado com alguns textos de alguns dos autores e compositores mais marcantes no percurso artístico de Amélia Muge.

Estreia-se na dramaturgia com "O Dono do Nada", uma peça pensada para crianças e adultos, estreada em Outubro de 2003.

Com António José Martins produziu, em 2006, o álbum "Cantos da Língua" do ACERT. Participa também no tema "Senhora de Dois Nomes" do disco "Popétnico" dos Fadomorse.

Em 2007 é editado o disco "Não Sou Daqui" gravado desde o início de 2006.

É a autora de "O Fado da Procura", um dos grandes sucessos do disco "Para Além da Saudade" de Ana Moura.

Em fins de 2008 apresenta-se ao vivo no espectáculo "Uma Autora, 202 Canções". O registo desse concerto é lançado em 2009 num formato livro+CD com ilustrações da própria cantora.

É lançado o CD "Periplus" de Amélia Muge e do grego Michales Loukovikas. O disco, com "deambulações luso-gregas", foi um dos nomeados para o Prémio Autores da Sociedade Portuguesa de Autores na categoria de Melhor Álbum do Ano de 2012.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

No concerto "Uma Autora, 202 Canções" incluiu temas compostos para si e também cantados por outros, como Camané ou Ester Formosa (Espanha), Ana Moura, Mafalda Arnauth ou Mísia e temas com letras dela como no caso dos Gaiteiros de Lisboa.

Escreveu para nomes como Pedro Moutinho, Rui Júnior e O Ó que Som tem, Cristina Branco, entre outros.

Trabalhou com artistas internacionais como Amancio Prada, Pirin Folk Ensemble, Camerata Meiga, Elena Ledda e Lucilla Galiazzi no colectivo "Terras do Canto", Carlo Rizzo e Ricardo Tesi, entre outros.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

  • Irmãs Muge - com a irmã Teresa (EP, Decca, 1971)
  • Amélia canta de Reinaldo Ferreira e Raúl Baza. Natal (45 RPM, LM Discos, 1972)
  • Múgica (UPAV, 1992)
  • Todos os Dias (Sony, 1994)
  • Maio Maduro Maio - com João Afonso e José Mário Branco (Sony, 1995)
  • Taco a Taco (Polygram, 1998)
  • A Monte (Vachier, 2002)
  • Não Sou Daqui (Vachier, 2007)
  • Uma Autora, 202 Canções (Caracter Editora, 2009)
  • Periplus. Deambulações Luso-gregas - com Michales Loukovikas (Edição dos autores, 2012)
  • Amélia com versos de Amália (Edição da autora, 2014)
  • Archipélagos. Passagens - com Michales Loukovikas (Edição dos autores, 2017)

Participações[editar | editar código-fonte]

  • Júlio Pereira, Braguesa : tema "Quatro Elementos" (Sassetti, 1983)
  • Galiza a José Afonso (disco colectivo) : tema "Menino do Bairro Negro" (Associação José Afonso, 1985)
  • Rui Júnior, Ó Tambor : temas "Afrodite" e "O Caramileiro" (Farol Música, 1996)
  • Amancio Prada, Rosas a Rosalía : dueto no tema "Como Chove Miudiño" (Fonomusic, 1997)
  • Rui Júnior, O Mundo Não Quer Acabar (Farol Música, 1998)
  • Novas vos Trago (disco colectivo) : temas "Donzela Guerreira" e "Dona Olívia" (Tradisom, 1998)
  • Camerata Meiga, Habelas Hailas : temas "A Tentação", "Da Folliña Dunha Rosa" e "Adios Meu Meniño, ¡Adios!" (Resistencia, 1999)
  • Moçoilas, Já Cá Vai Roubado (Casa da Cultura de Loulé, 2000)
  • Mafalda Arnauth, Esta Voz Que Me Atravessa : produção artística (EMI, 2001)
  • Canções de Embalar (disco colectivo) : dueto com Júlio Pereira no tema "Nana, Nana Meu Menino" (MVM, 2001)
  • Fausto, A Ópera Mágica do Cantor Maldito : dueto no tema "Um Breve Bilhete Apenas" (Sony, 2003)
  • Moçoilas, Qu'é que tens a ver com isso? (Ocarina, 2006)
  • Fadomorse, Popétnico : tema "Senhora de 2 Nomes" (Edição dos autores, 2006)
  • Trigo Limpo Teatro ACERT, Cantos da Língua : produção artística (ACERT, 2006)
  • Tucanas, Maria Café : tema "Molhar o Pé" (Farol Música, 2007)
  • Navegante, Meu Bem Meu Mal : dueto com João Afonso no tema "Ó Minha Salvé Rainha" (Tradisom, 2008)
  • A Presença das Formigas, Ciclorama : dueto no tema "A Menina da Canastra" (Edição dos autores, 2011)
  • Fernando Alvim, Os Fados e as Canções do Alvim : tema "De Mim Para Mim" (Universal, 2011)
  • Boémia, Os Peregrinos do Mar : dueto no tema "Num Sonho Imaginável" (Ovação, 2011)
  • Ruelles. Cap-Vert, Portugal, Brésil (disco colectivo) : temas "Vai-te Cuca", "Chamarrita do Pico", "Maria Gata" e "O Fado dos Encontros" (Association L'Estuaire, 2012)
  • Melech Mechaya, Gente Estranha : tema "Querubim Barbudo" (Ponto Zurca, 2014)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Certidão de lista de associadas da Audiogest» (pdf). IGAC/Ministério da Cultura. 25 de julho de 2007. Consultado em 9 de Janeiro de 2014.. Cópia arquivada (PDF) em 24 de Dezembro de 2013