Paulina Chiziane

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Paulina Chiziane
Paulina Chiziane
Nascimento 4 de junho de 1955 (62 anos)
Manjacaze,  Moçambique
Influenciados
Prémios Prémio José Craveirinha de Literatura de 2003
Género literário Romance, conto
Movimento literário Pós-modernismo
Magnum opus Sétimo juramento

Paulina Chiziane (Manjacaze, Gaza, 4 de Junho 1955) é uma escritora moçambicana.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Paulina Chiziane cresceu nos subúrbios da cidade de Maputo, anteriormente chamada Lourenço Marques. Nasceu numa família protestante onde se falavam as línguas Chope e Ronga. Aprendeu a língua portuguesa na escola de uma missão católica. Começou os estudos de Linguística na Universidade Eduardo Mondlane sem, porém, ter concluído o curso.

Participou activamente à cena política de Moçambique como membro da Frelimo (Frente de Libertação de Moçambique), na qual militou durante a juventude.[2] A escritora declarou, numa entrevista, ter apreendido a arte da militância na Frelimo. Deixou, todavia, de se envolver na política para se dedicar à escrita e publicação das suas obras. Entre as razões da sua escolha estava a desilusão com as directivas políticas do partido Frelimo pós-independência, sobretudo em termos de políticas filo-ocidentais e ambivalências ideológicas internas do partido, quer pelo que diz respeito às políticas de mono e poligamia, quer pelas posições de economia política marxista-leninista, ou ainda pelo que via como suas hipocrisias em relação à liberdade económica da mulher.

Iniciou a sua actividade literária em 1984, com contos publicados na imprensa moçambicana. Com o seu primeiro livro, Balada de Amor ao Vento, editado em 1990, tornou-se a primeira mulher moçambicana a publicar um romance.

Paulina vive e trabalha na Zambézia.

Obras[editar | editar código-fonte]

Romance[editar | editar código-fonte]

Outras obras[editar | editar código-fonte]

  • Eu, mulher… por uma nova visão do mundo (Testemunho, em 1992 e publicado em 1994)[3]

Prémios[editar | editar código-fonte]

Obras sobre Paulina Chiziane[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. «O ato de colonizar está nas mentes». Revista Bastião. Consultado em 1 de setembro de 2014 
  2. MARTINS, 2006.
  3. Paulina Chiziane (2013). «[Testemunho] Eu, mulher... Por uma nova visão do mundo». Abril, Revista do Núcleo de Estudos de Literatura Portuguesa e Africana da UFF, v. 5, n.10 (2013). Consultado em 23 de fevereiro de 2018 

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.