Alcalose respiratória

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alcalose respiratória
Diagrama de Davenport (em inglês)
Classificação e recursos externos
CID-10 E87.3
CID-9 276.3
DiseasesDB 406
MedlinePlus 000111
eMedicine med/2009
MeSH D000472
Star of life caution.svg Aviso médico

Alcalose respiratória é um desequilíbrio ácido-básico causado por respiração alveolar aumentada (hiperventilação) levando a uma concentração diminuída de dióxido de carbono arterial plasmático (PaCO2). Isso leva a concentrações diminuídas de H+ e cálcio sanguíneo livremente ionizado (Ca++). [1]

Tipos[editar | editar código-fonte]

Existem dois tipos de alcalose respiratória: crônica e aguda.

  • Na alcalose respiratória aguda, níveis elevados de dióxido de carbono são "expirados" pelos pulmões, que estão hiperventilando.
  • Na alcalose respiratória crônica, para cada 10 mM baixados na pCO2 no sangue, existe uma queda correspondente de 5 mM de ion bicarbonato. A queda de 5 mM de ion bicarbonato é uma compensação que reduz o efeito da alcalose causado pela queda da pCO2 no sangue. Isto é conhecido pelo termo compensação metabólica.

Causas[editar | editar código-fonte]

As causas de hiperventilação alveolar vistos na alcalose respiratória incluem[2] :

Sinais e sintomas[editar | editar código-fonte]

Os sintomas da alcalose respiratória estão relacionados à diminuição dos níveis sanguíneos de dióxido de carbono, e incluem[2] :

Além disso, a alcalose pode desestabilizar o balanço do cálcio iônico, e causar sintomas de hipocalcemia (como tetania e desmaios) sem queda nos níveis séricos totais de cálcio.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências