Cayetana Fitz-James Stuart

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cayetana Fitz-James Stuart
XVIII Duquesa de Alba de Tormes
XI duquesa de Berwick, XVII duquesa de Huéscar, IV duquesa de Arjona, XVII duquesa de Híjar, XI duquesa de Liria e Jérica, X duquesa de Montoro, XIV condessa-duquesa de Olivares
180
A Duquesa de Alba no Palacio de Dueñas.
Maridos Pedro Luis Martínez de Irujo y Artázcoz
Jesús Aguirre y Ortiz de Zárate
Afonso Díez Carabantes
Nome completo
María del Rosario Cayetana Paloma Alfonsa Victoria Eugenia Fernanda Teresa Francisca de Paula Lourdes Antonia Josefa Fausta Rita Castor Dorotea Santa Esperanza Fitz-James Stuart y de Silva Falcó y Gurtubay
Casa Casa de Alba
Pai Jacobo Fitz-James Stuart y Falcó
Mãe Maria del Rosario de Silva y Gurtubay
Nascimento 28 de março de 1926
Palácio de Liria, Madri
Morte 20 de novembro de 2014 (88 anos)[1] [2]
Sevilha
Brasão

Cayetana Fitz-James Stuart (Palácio de Liria, 28 de março de 1926  — Palácio de Dueñas, Sevilha, 20 de novembro de 2014) foi a 18.ª Duquesa de Alba de Tormes, sendo a terceira mulher a usar este título por direito próprio. Seu nome completo era María del Rosario Cayetana Paloma Alfonsa Victoria Eugenia Fernanda Teresa Francisca de Paula Lourdes Antonia Josefa Fausta Rita Castor Dorotea Santa Esperanza Fitz-James Stuart y de Silva Falcó y Gurtubay[3] .

Vida e família[editar | editar código-fonte]

Era filha única de Don Jacobo Fitz-James Stuart y Falcó, 17.º Duque de Alba (1878-1953) e de sua mulher, D. Maria del Rosario de Silva y Gurtubay, 15.ª Duquesa de Aliaga e 9.ª Marquesa de San Vicente del Barco (1900-1934). Chefe da Casa de Alba desde 24 de setembro de 1953 até à data da sua morte, foi sucedida pelo seu filho mais velho, Carlos Juan Fitz-James Stuart y Martínez de Irujo, duque de Huéscar. A Casa de Alba foi fundada no século XV e representa uma das famílias mais ilustres da Espanha.

Cayetana foi batizada na capela do Palácio Real em Madri, em 17 de abril de 1926, sendo apadrinhada pelo casal real Alfonso XIII e Vitória Eugénia. A relação de Cayetana com seu pai foi bastante próxima, fazendo com que herdasse o gosto por arte e cultura de seu genitor. Sua mãe contraiu tuberculose e, para evitar uma possível infecção, passava pouco tempo com a filha.[4]

Detentora de 45 títulos nobiliárquicos (cinco ducados, um condado-ducado, 20 condados, um vice-condado e 18 marquesados)[5] , era a mais titulada dos nobres espanhóis e do mundo, tendo sido a terceira mulher a dirigir a casa de Alba nos seus mais de 500 anos de história. Os títulos da duquesa serão distribuídos entre seus herdeiros.

Segundo o Livro Guinness dos Recordes, Cayetana de Alba era "cinco vezes duquesa, dezoito vezes marquesa, vinte condessa, viscondessa, condessa-duquesa e condestável, além de ser catorze vezes Grande de Espanha". A duquesa foi uma conhecida socialite espanhola e aparecia com frequência em vários programas de televisão e artigos de imprensa.

Casamentos e descendência[editar | editar código-fonte]

Em 12 de outubro de 1947, D. Cayetana casou com Don Pedro Luis Martínez de Irujo y Artázcoz (1919-1972), filho do Duque de Sotomayor. O casamento foi um grande acontecimento social sendo descrito pelo jornal francês Libération como "o casamento mais caro do mundo ".[6] Deste casamento nasceram seis filhos, tendo todos recebido da mãe títulos nobres com Grandeza de Espanha:

Depois de enviuvar, a duquesa de Alba voltou a casar em 16 de março de 1978 com o Dr. Jesús Aguirre y Ortiz de Zárate (1937-2001), doutorado em Teologia e antigo padre Jesuíta. Onze anos mais novo do que a Duquesa, ele manteve uma excelente relação com os filhos desta. Durante o seu casamento ele administrou, em conjunto com o seu enteado Carlos, o património dos Alba [7] .

No dia 5 de outubro de 2011, a duquesa de Alba contraiu de novo matrimónio com Afonso Díez Carabantes, 25 anos mais novo e funcionário da Segurança Social. A cerimónia não contou com a presença de um dos filhos da duquesa que sempre se mostrou contra o terceiro casamento da mãe.[8] .

Ascendência[editar | editar código-fonte]

Cayetana Fitz-James Stuart era descendente do rei Jaime II de Inglaterra através do filho natural Jaime Fitz-James, duque de Berwick, tido com a sua amante Lady Arabella Churchill.

Dona Cayetana descendia ainda da Casa de Bragança: os seus antepassados, os Condes de Gelves, tiveram origem em D. Álvaro de Bragança, neto de D. Afonso, primeiro Duque de Bragança.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
16. Carlos Miguel Fitz-James Stuart, 14.º Duque de Alba
 
 
 
 
 
 
 
8. Jacobo Fitz-James Stuart, 15.º Duque de Alba
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
17. Rosalía Ventimiglia
 
 
 
 
 
 
 
4. Carlos Fitz-James Stuart, 16.º Duque de Alba
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
18. Cipriano de Palafox, Conde de Montijo
 
 
 
 
 
 
 
9. María Francisca de Palafox, Duquesa de Peñaranda de Duero
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
19. María Manuela Kirkpatrick
 
 
 
 
 
 
 
2. Jacobo Fitz-James Stuart, 17.º Duque de Alba
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
20. Juan Falcó, Marquês de Castel Rodrigo
 
 
 
 
 
 
 
10. Manuel Falcó, Marquê de Almonacid de los Oteros
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
21. Carolina d’Adda
 
 
 
 
 
 
 
5. María del Rosario Falcó, Condessa de Siruela
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
22. Felipe Osorio, Conde de Siruela
 
 
 
 
 
 
 
11. María del Pilar Osorio, Duquesa de Fernán-Núñez
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
23. Francisca Gutiérrez de los Ríos, Duquesa de Fernán-Núñez
 
 
 
 
 
 
 
1. Cayetana Fitz-James Stuart, 18.ª Duquesa de Alba
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
24. Andrés de Silva, Duque de Aliaga
 
 
 
 
 
 
 
12. Alfonso de Silva, Duque de Híjar
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
25. María Isabel Campbell
 
 
 
 
 
 
 
6. Alfonso de Silva, Duque de Híjar
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
26. Luis Fernández de Córdoba, Duque de Medinaceli
 
 
 
 
 
 
 
13. María Fernández de Córdoba
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
27. Ángela Pérez de Barradas, Duquesa de Denia
 
 
 
 
 
 
 
3. María del Rosario de Silva, Marquêsa de San Vicente del Barco
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
14. Juan Gurtubay
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
7. María del Rosario Gurtubay
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
15. Adelaida González de Castejón
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Morte[editar | editar código-fonte]

Segundo o diário espanhol “El Mundo”, a duquesa foi hospitalizada em 16 de novembro de 2014 com pneumonia complicada por uma arritmia cardíaca. Era o segundo internamento nos últimos meses. Na terça-feira 18 de novembro, Cayetana deixou o hospital "por vontade própria" e foi levada para a sua residência, o palácio de Dueñas, onde passou as últimas horas com o marido, Alfonso Díez, e os seus seis filhos. Morreu em 20 de novembro, em Sevilha.[9]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cayetana Fitz-James Stuart

Referências

  1. Muere la duquesa de Alba (em espanhol) El País (20 de novembro de 2014).
  2. Morre na Espanha a duquesa de Alba, aristocrata com mais títulos no mundo G1 (20 de novembro de 2014).
  3. La Duquesa de Alba: Su vida y sus amores (em espahol) Revista Diez Minutos (2011). Visitado em 22 de outubro de 2011.
  4. - Noticias.uol.com.br (Página visitada em 21 de novembro de 2014)
  5. Ana Gomes Ferreira (20 de novembro de 2014). Duquesa de Alba (1926-2014), a última aristocrata de Espanha Jornal Público publico.pt. Visitado em 20 de novembro de 2014.
  6. La Revista: Nosotros los Alba (em castelhano). Visitado em 2007-04-28.
  7. Algorri, Luis (2001-05-21). Jesús Aguirre Ortiz de Zárate, Duque de Alba (em castelhano) Personajes Cántabros. Visitado em 2007-04-29.
  8. A duquesa de Alba casou - pela terceira vez- aos 85 anos, Jornal Público (5 de outubro de 2011)
  9. Ana Gomes Ferreira (20 de novembro de 2014). Duquesa de Alba (1926-2014), a última aristocrata de Espanha Jornal Público publico.pt. Visitado em 20 de novembro de 2014.


Precedido por
Jacobo Fitz-James Stuart y Falcó
XVII Duque
Armas dos Fitz-James Stuart, titulares do Ducado de Alba
Duquesa de Alba

24 de setembro de 1953 - 20 de novembro de 2014
Sucedido por
Carlos Fitz-James Stuart y Martínez de Irujo