Curcumina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Química.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde dezembro de 2009.

Curcumin
Alerta sobre risco à saúde
Curcumin-enol.png
Nome IUPAC (1E,6E)-1,7-bis (4-hydroxy-
3-methoxyphenyl) -1,6-
heptadiene-3,5-dione
Outros nomes curcumin
diferuloylmethane
C.I. 75300
Natural Yellow 3
Identificadores
Número CAS 458-37-7
SMILES
Propriedades
Fórmula molecular C21H20O6
Massa molar 368.38 g/mol
Aparência Bright yellow-orange powder
Ponto de fusão

183 °C (361 K)

Compostos relacionados
Compostos relacionados Ácido cinâmico (ácido (E)-3-fenil-2-propenoico; possível precursor na biossíntese da curcumina)
Excepto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições PTN

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

A curcumina é um pigmento que ocorre naturalmente e que faz parte de um componente activo do açafrão-da-Índia (Curcuma longa). É utilizado como um estimulante aromático suave utilizado na produção do caril em pó, que confere ao açafrão-da-índia a sua cor amarela. É utilizado como um corante natural para alimentos, com o código de aditivo alimentar E100.

A curcumina está presente em 2 a 5% do açafrão-da-Índia. Foi isolada pela primeira vez por Vogel em 1842, é um pó insolúvel na água e no éter etílico, mas solúvel no etanol e no DMSO. A sua estrutura foi descrita por Lampe e Milobedeska em 1910 e quimicamente é um diferoilmetano com a fórmula C21H20O6 e peso molecular 368,4 .

O corante comercial encontrado no mercado contém três cucurminoides que lhe conferem a cor amarelo alaranjada típica: a curcumina (77%), a demetoxicurcumina (17%) e a bisdemetoxicurcumina (3%).[1]

A curcumina contem uma mistura de antioxidantes fitonutrientes fortes, conhecidos como os curcuminoides, e que tem sido descrita como tendo propriedades anti inflamatórios; também é conhecido por ser bom para o fígado. Considerando o facto da sua origem vegetal, é apropriada para o consumo de vegetarianos. Diversos estudos buscaram sua eficácia na prevenção de cânceres de mama, cavidade oral, estômago, esôfago, intestino, cólon, pulmão e figado.[1] Em descoberta no ano de 2009 ficou compravado o seu grande poder na cura de câncer de esôfago.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b José de Felippe Junior; Curcumina e Câncer : antiproliferativo, antiapoptótico, antiangiogênico e antimetastático - www.portaleducacao.com.br