Emu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde outubro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Como ler uma caixa taxonómicaEmu
Emu

Emu
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Casuariiformes
Família: Dromaiidae
Género: Dromaius
Espécies

Dromaius novaehollandiae
Dromaius baudinianus (extinto)
Dromaius ater (extinto)

O emu (Dromaius novaehollandiae, "Corredor da Nova Holanda" em latim) é a maior ave nativa da Austrália e, depois do avestruz, a segunda maior ave que vive hoje.

Ele habita a maioria das áreas menos povoadas do continente, evitando apenas a floresta densa e o deserto severo. Como todas as aves do grupo das Ratitas, não pode voar, mas, distintamente de alguns, tem pequenas asas escondidas sob as penas.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Emus são aves de cor marrom (castanho), de penas macias, que alcançam de 1.5 a 2 metros de altura e pesam até 60 kg, com o macho marginalmente menor.

São nômades oportunistas e seguem a chuva, se alimentando de grãos, flores, frutas, insetos e o que mais for disponível. Eles são capazes de viajar grandes distâncias em um trote rápido e econômico e que, se for necessário, pode correr a 50 km/h.

Espécies[editar | editar código-fonte]

Três diferentes espécies de emus existiam antes da colonização europeia em 1788:

  • O emu, Dromaius novaehollandiae, na maioria das regiões menos povoadas da Austrália continental. Sua população total varia de década em década de acordo com o regime de chuvas; de tão pouco como 200 000 indivíduos a até 1 000 000, com um valor médio em torno de 500 000 indivíduos. Embora não sejam mais encontrados nas densamente povoadas áreas agrícolas do sul e sudoeste, a provisão de água perene nas regiões áridas tem permitido a espécie estender seu território. Há três subespécies ou raças atualmente na Austrália:
    • D. novaehollandiae novaehollandiae - Sudeste da Austrália - possui um colar de penas brancas no período de reprodução.
    • D. novaehollandiae woodwardi - Norte da Austrália - delgado, mais pálido.
    • D. novaehollandiae rothschildi - Sudoeste da Austrália - mais escuro, não apresenta colar no período de reprodução.
    • D. novaehollandiae diemenensis - Tasmânia - O emu-da-tasmânia, tornou-se extinto por volta de 1850.
  • O Emu de Kangaroo Island, D. baudinianus foi dado como extinto por volta de 1827 em virtude de caça e incêndios frequentes. A espécie continental, de maior tamanho, foi introduzida na ilha Kangaroo na década de 1920.
  • O pequeno emu-negro D. ater tinha cerca de metade do tamanho da espécie continental. Em 1805 tinha sido caçado até a extinção por caçadores de focas e marinheiros visitantes.

O casal cruza a cada um ou dois dias e, todo segundo ou terceiro dia, a fêmea põe um ovo verde escuro, muito grande e de casca grossa, pesando cerca de meio quilograma. O macho fica choco por volta do sétimo ovo e começa a chocar os ovos. Daí em diante, ele não come, bebe ou defeca, e só levanta para virar os ovos, que ele faz cerca de 10 vezes por dia.

Pelas próximas oito semanas, ele sobreviverá da gordura corporal acumulada e qualquer orvalho da madrugada que ele possa alcançar do ninho, perdendo até um terço de seu peso e ficando cada vez mais fraco e confuso.

A fêmea continua pondo ovos, mas não cruza mais com o macho depois que ele começa a chocar os ovos.