Grêmio Esportivo Juventus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Juventus
Nome Grêmio Esportivo Juventus
Alcunhas Moleque Travesso
Tricolor Jaraguaense
Tricolor do Jaraguá Esquerdo
Mascote Moleque Travesso
Fundação 1º de maio de 1966 (48 anos)
Estádio João Marcatto
Capacidade 10.000 pessoas[1]
Localização Brasao JaraguadoSul SantaCatarina Brasil.svgJaraguá do Sul Santa CatarinaSC BrasilBrasil
Presidente Brasil Jeferson Luís de Oliveira
Treinador Brasil Rafael Rocha
Patrocinador Brasil Jornal O Correio do Povo
Brasil Metalnox
Brasil Leoni Imóveis
Brasil Tronic
Brasil Casas da Água
Brasil Fort Atacadista
Material esportivo Brasil Kaiapó's Sports
Competição Santa Catarina Campeonato Catarinense
Santa Catarina 1º Divisão 8º Colocado
Santa Catarina 2º Divisão 2º Colocado
Santa Catarina 2º Divisão 7º Colocado
Website Juventus de Jaraguá do Sul
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Grêmio Esportivo Juventus é um clube brasileiro de futebol, sediado na cidade de Jaraguá do Sul, no estado de Santa Catarina. Suas cores são bordô, preto e branco.

História[editar | editar código-fonte]

O Juventus foi fundado no dia 1º de maio de 1966, por um grupo de 27 pessoas do Movimento da Juventude Católica de Jaraguá do Sul, incluindo os Padres Elemar Scheidt e Odílio Erhardt, tendo como seu primeiro presidente o Sr. Loreno Antônio Marcatto. Inicialmente, as cores do clube seriam vermelho, branco e preto, conforme o estatuto. Porém, o bordô foi adotado posteriormente, durante a disputa do Campeonato Catarinense de 1976, em homenagem ao clube homônimo existente em São Paulo.

Sua primeira sede foi o salão Paroquial Cristo Rei, mudando mais tarde para o Estádio João Marcatto, este doado ao clube pelos Senhores Dorval Marcatto, Loreno Antonio Marcatto, Vergílio Chiodini e Renato Pradi. O terreno contava, inicialmente, com uma área de 10.120m².

O tricolor jaraguaense atuou na primeira divisão entre os anos de 1976 e 1980, voltando em 1990 para a disputa da Segunda Divisão Catarinense. E foi preciso somente um ano na Segunda Divisão, para que o Juventus conseguisse seu acesso à divisão de elite do futebol Catarinense. O regulamento previa que somente o campeão subiria, mas uma mudança de última hora tornou possível o acesso, já que o Juventus ficou em segundo lugar na competição.

A equipe jogou a primeira divisão entre 1991 e 1997, ano em que foi rebaixada e encerrou as atividades. Em 1996, durante a gestão de Ângelo Margutte, a equipe de futebol do Juventus passou a se denominar Jaraguá Atlético Clube. Para justificar mudança na denominação da equipe, Margutte usou como argumento o fato do uso do nome da cidade facilitar a identificação da equipe e a obtenção de patrocínio. Esta foi a fase mais crítica do clube, onde uma gigantesca dívida foi contraída. O Juventus, então chamado Jaraguá, ficou com a sua imagem prejudicada na cidade e como resultado do colapso financeiro, foi rebaixado para a Segunda Divisão do Campeonato Catarinense.

Em decisão do Conselho Deliberativo, optou-se por encerrar as atividades profissionais por tempo indeterminado, até que a dívida fosse totalmente paga e a imagem do clube recuperada. Em julho de 1998, o Jaraguá voltou a se chamar Grêmio Esportivo Juventus. Em abril de 1999 o Juventus fechou um contrato com a Radix Assessoria e Consultoria, para que respondesse pela Gestão do Departamento de Futebol. No contrato, ficou estabelecido que a Radix seria responsável pelo futebol amador, semi-profissional e profissional do clube, tendo autonomia administrativa, financeira e jurídica. O contrato de gestão era válido até 2005, porém os maus resultados da parceria, dentro e fora de campo, aliados ao aumento do endividamento do clube, acabaram fazendo com que a diretoria do Juventus solicitasse o rompimento do contrato no ano de 2000.

Em 2004, o Juventus retornou à disputa de competições de futebol profissional. Neste ano, conquistou seu primeiro título estadual, a Série B1 Catarinense. Em 2005, participou da Série A2, porta de entrada para a primeira divisão de Santa Catarina. Depois de altos e baixos no decorrer da competição, o tricolor acabou garantindo uma das últimas vagas à elite Estadual, retornando nove anos depois de seu rebaixamento. E logo no seu retorno, em 2006, o Juventus surpreendeu e conquistou a terceira colocação, atrás apenas do Figueirense e do Joinville, repetindo assim o feito de 1994.

Em 2007, o Juventus deixou escapar a inédita vaga para a Copa do Brasil de 2008 ao perder o título do primeiro turno na última rodada, na derrota para o Figueirense por 2 a 1 em Florianópolis. A vaga ficou com o Criciúma.

Em 2008, com uma preparação deficitária, o elenco montado às pressas não conseguiu boa campanha e acabou rebaixado para a Divisão Especial, ao ficar em 11º lugar dentre 12 equipes. E por pouco o clube não ficou de fora da Divisão Especial, disputada no mesmo ano. A participação somente foi viabilizada após uma parceria inédita com o seu rival, o Joinville, que emprestou sua equipe para o Juventus, porém, sem obter sucesso.

Com dificuldades financeiras, o clube procurou outro parceiro para tentar retornar à Divisão Principal do Catarinense. O jogador da Seleção Brasileira de futsal, Falcão, através de sua empresa Falcão Sports, assumiu o departamento de futebol do clube no início de 2009, conquistando o acesso à Divisão Principal de 2010 com o vice-campeonato da Divisão Especial. A parceria foi rompida e o Moleque Travesso foi rebaixado com uma campanha melancólica. No ano seguinte, uma nova parceria com empresários foi firmada, mas, sem êxito, o Juventus acabou amargando pela primeira vez em sua história dois anos inteiros e consecutivos na segunda divisão estadual (em 2008 a segunda divisão foi disputada no mesmo ano que a primeira, e no seguinte já veio a conquista do acesso).

Com uma diretoria completamente nova, em 2012 o Juventus resgatou sua identidade tricolor nos uniformes de jogo, o que não ocorria desde antes do clube se profissionalizar, nos anos 70. A volta ao uniforme tricolor deu sorte e o Moleque Travesso conquistou o vice-campeonato da Segunda Divisão, e o consequente retorno à Divisão de Elite de Santa Catarina.

Invencibilidade[editar | editar código-fonte]

O Juventus detém uma das maiores invencibilidades dentro das competições oficiais do futebol catarinense. O feito foi conquistado em 2004, ano do retorno do clube ao profissionalismo, na Série B1. O Moleque Travesso ficou 23 partidas sem perder um jogo sequer, entre os dias 30/05 (data da derrota por 2 a 1 para o Carlos Renaux) e 09/10 (data da derrota para o Operários Mafrenses), totalizando 130 dias sem derrotas. Foram 14 vitórias e 9 empates.

As 23 partidas disputadas neste período foram:

02/06/04 — GE Juventus 1x0 CA Fraiburgo
06/06/04 — GE Juventus 1x0 Brusque FC
09/09/04 — Figueirense B 0x1 GE Juventus
16/06/04 — SD Camboriuense 1x1 GE Juventus
20/06/04 — GE Juventus 5x0 Real Sport AC
27/06/04 — Concórdia FC 1x1 GE Juventus
30/06/04 — Concórdia FC 0x0 GE Juventus
04/07/04 — GE Juventus 1x0 Concórdia FC
07/07/04 — Blumenau EC 1x2 GE Juventus
11/07/04 — GE Juventus 3x1 Blumenau EC
14/07/04 — GE Juventus 3x1 Brusque FC
18/07/04 — Brusque FC 1x1 GE Juventus
25/07/04 — EC Internacional 1x1 GE Juventus
01/08/04 — GE Juventus 2x1 CA Operários Mafrenses
08/08/04 — CA Canoinhas 0x0 GE Juventus
15/08/04 — GE Juventus 1x1 Blumenau EC
22/08/04 — CA Fraiburgo 0x0 GE Juventus
29/08/04 — GE Juventus 2x0 Carlos Renaux
04/09/04 — Brusque FC 0x2 GE Juventus
08/09/04 — GE Juventus 3x0 Figueirense B
12/09/04 — GE Juventus 2x2 SD Camboriuense
19/09/04 — Real Sport AC 0x2 GE Juventus (jogo em Gaspar)
26/09/04 — GE Juventus 2x1 Concórdia FC

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

  • Atualizado em 22 de fevereiro de 2014.[2]


Goleiros
Jogador
Brasil Maurício
Brasil Luís
Brasil André
Defensores
Jogador Pos.
Brasil Neto Z
Brasil João Antônio Z
Brasil Lucas Staudt Z
Brasil Wesley Z
Brasil Ângelo LD
Brasil Sebá LD
Brasil Rodrigo Crasso LE
Brasil Wellington LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
Brasil André Barreto V
Brasil Anderson Pedra V
Brasil Lito V
Brasil Borges V
Brasil Naza V
Brasil Rafael Carioca M
Brasil Paulinho Souza M
Brasil Marcelo Moscatelli M
Brasil Willian Henrique M
Brasil Tatuí M
Brasil Robson M
Atacantes
Jogador
Brasil Jabá
Brasil Édipo
Brasil Bahia
Brasil Maicon
Legenda
  • Capitão: Capitão
  • Prata da casa: Prata da casa
  • Suspenso.: Jogador suspenso
  • Lesionado: Jogador lesionado/contundido
  • +: Jogador em fase final de recuperação
  • +: Jogador que volta de lesão/contusão
  • Sem condições.: Jogador sem condições físicas ou não regularizado junto à CBF ou Impossibilitado de Jogar por Razões Contratuais.
  • Seleção Brasileira: Seleção Brasileira


Títulos[editar | editar código-fonte]

Estaduais[editar | editar código-fonte]

Municipais[editar | editar código-fonte]

Outras conquistas[editar | editar código-fonte]

Torneios estaduais[editar | editar código-fonte]

  • Campeonato de Integração Waldomiro Schützler: 1993.

Categorias de base[editar | editar código-fonte]

Histórico em competições nacionais[editar | editar código-fonte]

Ranking da CBF[editar | editar código-fonte]

  • Posição: 264º
  • Pontuação: 2 pontos

Ranking criado pela Confederação Brasileira de Futebol que pontua todos os times do Brasil.

Torcida organizada[editar | editar código-fonte]

  • Torcida Organizada Raça Tricolor - 07/06/1993

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre clubes brasileiros de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Cadastro Nacional de Estádios de Futebol
  2. Elenco atual de Futebol (em português) Site oficial do Grêmio Esportivo Juventus. Visitado em 22 de fevereiro de 2014.