João Henrique Carneiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
João Henrique Carneiro
João Henrique Carneiro
66º prefeito de Salvador Bandeira de Salvador.svg
Mandato 1 de janeiro de 2005
a 1 de janeiro de 2013
Antecessor(a) Antônio Imbassahy
Sucessor(a) ACM Neto
Deputado estadual da Bahia Bahia
Mandato 1995-2004
Vereador de Salvador Bandeira de Salvador.svg
Mandato 1989-1995
Vida
Nascimento 19 de Junho de 1959 (54 anos)
Feira de Santana, BA
Dados pessoais
Partido PDT (1989-2007)
PMDB (2007-2010)
PP (2011-2013)
PSL (2013-)

João Henrique de Barradas Carneiro (Feira de Santana, 19 de junho de 1959) é um político brasileiro, filho do ex-governador e atual senador baiano João Durval Carneiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

João Henrique Carneiro estudou no Centro Educacional Sophia Costa Pinto, em Salvador, 1978. É Economista formado pela Universidade Federal da Bahia e pós-graduou-se em Desenvolvimento Econômico pela Université du Québec à Montréal, no Canadá, em 1984.

Depois de ser eleito prefeito de Salvador foi considerado o pior do Brasil por várias vezes[2] . Alvo de revolta popular, incluindo passeatas como a "Desocupa João" [3] .

Já se proclamou evangélico da Igreja Batista, da qual está recentemente desviado, e foi casado com a deputada estadual Maria Luíza Orge Barradas Carneiro, com quem tem dois filhos. João foi acusado pela ex-mulher e deputada estadual de traição[4] .

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Começou sua carreira política em 1989, quando foi eleito vereador de Salvador. Após ser reeleito em 1993 cumpriu metade do segundo mandato de vereador até 1994, ano em que foi eleito deputado estadual. Como vereador foi líder do PSDB, vice-líder do governo na câmara e Presidente da Comissão de Direitos Humanos. Autor do projeto de lei dos Conselhos Tutelares de Salvador. Premiado pela imprensa especializada como o "Melhor Vereador do Ano" nos anos de 1990, 1991, 1992 e 1993. No ano de 1992 foi homenageado pela UNICEF como "O Melhor Vereador da Cidade".

Eleito deputado estadual em 1994 reeleito nas duas eleições seguintes: 1998 e 2002. Premiado em 1998 pela impresa especializada como "Destaque Parlamentar". Nas eleições de 2002 foi o mais votado deputado estadual eleito. Foi líder do PDT na Assembléia Legislativa em 1999 e 2000 e vice líder do bloco PDT, PSDB e PSB.

Na sua atuação parlamentar na Assembléia Legislativa da Bahia foi membro da Comissão Permanente da Seca em 1995 e da Comissão de Recursos Hídricos em 1996 e 1997. Foi titular da Comissão de Desenvolvimento Econômico e Turístico e da Comissão Especial de Combate à Fome em 1998; e da Comissão de Constituição e Justiça em 2001. Na Comissão de Defesa do Consumidor foi vice-presidente de 1995 a 1998 e presidente de 2001 a 2003.

Prefeito de Salvador[editar | editar código-fonte]

Em 2004, foi eleito prefeito da cidade de Salvador no segundo turno com 74,69% dos votos. Em abril de 2007, trocou o PDT pelo PMDB e no ano seguinte, mesmo com popularidade baixa, foi reeleito prefeito de Salvador no segundo turno com 58,46% dos votos válidos com apoio do seu sucessor ACM Neto e do ex-ministro Geddel Vieira Lima.[5] Atualmente, faz parte do PP.[6]

Popularidade Baixa[editar | editar código-fonte]

Em 2009, o prefeito teve a popularidade medida em 5,1 de 10 pelo instituto da Datafolha. Essa média foi a mais baixa entre todas capitais medidas e justifica-se principalmente pelo descaso com a mobilidade urbana e a segurança na cidade. Outro fator que ajudou nesta impopularidade foi o atraso excessivo nas principais obras de Salvador como o metrô.[7] .

Segundo pesquisa do IBOPE, com 79% de rejeição ao seu mandato[8] , João Henrique repete o baixo desempenho de antes. Apesar destes fracos índices, sua reeleição ocorreu em 2008 quando Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) ocupava o cargo de ministro da integração nacional, tendo privilegiado o estado baiano com 90% das verbas liberadas, segundo auditorias do Tribunal de Contas da União[9] .

Os fatos que justificam esta desaprovação estão no abandono da rés pública em que a cidade se encontra, evidenciada em fatos como a violenta desapropriação das barracas de praia, executada sem nenhum plano de amparo ou de geração de emprego e renda, injetando do dia para a noite mais de mil desempregados na cidade, além da permissão para devastação das reservas de mata atlântica ao longo da Avenida Paralela, do caos no trânsito com pistas esburacadas, com escassez de sinalização vertical ou horizontal e da apresentação do polêmico Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) que privilegia grupos econômicos e empreiteiras, tendo diversas contestações da parte do Ministério Público[10] [11] [12] por abrir mão de uma urbanização sustentável de longo prazo.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre João Henrique Carneiro


Precedido por
Antônio Imbassahy
Prefeito de Salvador
20052013
Sucedido por
ACM Neto