Partido Renovador Trabalhista Brasileiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Partido Renovador Trabalhista Brasileiro
Para o Brasil mudar
Número no TSE 28
Presidente Levy Fidelix
Fundação 18 de fevereiro de 1997 (17 anos)
Sede São Paulo e Brasília
Ideologia Trabalhismo
Centrismo
Populismo
Getulismo
Espectro político Direita[1]
Antecessor PTRB (1994)
Governadores (2010)
0 / 27
Prefeitos (2012)
16 / 5 568
Senadores (2010)
0 / 81
Deputados federais (2010)
2 / 513
Deputados estaduais (2010)
10 / 1 024
Vereadores (2012)
420 / 56 810
Cores       Verde

      Amarelo

      Azul
Site
Página do PRTB
Política do Brasil
Partidos políticos
Eleições

Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) é um partido político brasileiro de direita.[1] Seu número eleitoral é o 28 e obteve registro definitivo em 18 de fevereiro de 1997.[2] Provém de membros do extinto PTR, partido que funcionou entre 1985 e 1993, que havia se fundido com o PST (Partido Social Trabalhista), originando o PP. Esse grupo, liderado por Levy Fidelix, já havia tentado organizar o PTRB, que somente disputou as eleições de 1994. o PTR reivindica o legado e ideário político de Fernando Ferrari, fundador do MTR e dissidente do PTB e do trabalhismo de Getúlio Vargas. De acordo com o programa divulgado no site do partido, a principal bandeira ideológica é o "trabalhismo participativo", no qual o capital possa interagir com o trabalho e estabelecer interesses mútuos, em vez de explorar o trabalho.

Seu presidente é Levy Fidelix, cuja ideia principal é o projeto de Aerotrem, causador de polêmicas em relação à sua viabilidade e custo de implantação. O partido abrigou, em 2000, o ex-presidente Fernando Collor de Mello em sua legenda, onde tentou se candidatar a prefeito de São Paulo nas eleições daquele ano, tendo sua candidatura impugnada às vésperas do dia da eleição, e em 2002, para governador de Alagoas, já em situação regular. Em 2004 apoiou a ex-prefeita Marta Suplicy na sua fracassada tentativa de reeleição na cidade de São Paulo.

Alagoas é o único estado em que o PRTB teve importância eleitoral, única e exclusivamente pela presença de Fernando Collor de Mello na legenda. Depois de ter recuperado seus direitos políticos, o ex-presidente tentou uma candidatura ao governo em 2002, numa coligação que garantia-lhe bastante tempo no horário eleitoral, uma vez que era composta pelo PFL, PTB, PPS e pelo PPB - o que, no entanto, não conseguiu fazê-lo vencer o governador reeleito Ronaldo Lessa.

Em 2006, Collor concorreu ao Senado, novamente pelo PRTB, sem o apoio oficial de nenhum grande partido, tendo entrado na disputa depois do início da propaganda eleitoral, substituindo o candidato anterior, um desconhecido motorista das Organizações Arnon de Mello. Collor venceu a eleição e tomou posse em 1 de fevereiro de 2007, mesmo dia em que deixou o PRTB e ingressou no PTB. Em 2010, o PRTB elegeu 2 deputados federais, um no estado do Rio de Janeiro, outro no Amapá - que no ano seguinte, deixaram o Partido para ingressar no novo PSD.

No mesmo ano, lançou Levy Fidelix como candidato à Presidência da República. Ele obteve 57.960 votos (0,06 % do total), terminando a eleição em 7º lugar.

Bancada na Câmara dos Deputados[editar | editar código-fonte]

Composição atual[editar | editar código-fonte]

Deputados AC AL AM AP BA CE DF ES GO MA MG MS MT PA PB PE PI PR RJ RN RO RR RS SC SE SP TO
1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Bancada eleita para a legislatura[editar | editar código-fonte]

Legislatura Eleitos  % AC AL AM AP BA CE DF ES GO MA MG MS MT PA PB PE PI PR RJ RN RO RR RS SC SE SP TO Diferença
54ª (2011-2015)
2 0,39 0 0 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 +2
53ª (2007-2011)
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 ±0
52ª (2003-2007)
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 ±0
51ª (1999-2003)
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

O único deputado eleito pelo partido em 2010, Áureo (RJ), saiu para se filiar ao SD na sua criação Fonte: Portal da Câmara dos Deputados - Bancada na Eleição.

Receitas[editar | editar código-fonte]

Ano Fundo partidário (R$) Total (R$)
Duodécimos Multas
2011 1.365.411,49[3] 217.763,17[4] 1.583.174,66
2012 1.398.405,88[5] 308.589,39[6] 1.706.995,27
2013 1.361.924,12[7] 310.249,78[8] 1.672.173,90

Participação do partido nas eleições presidenciais[editar | editar código-fonte]

Ano Candidato a Presidente Candidato a Vice-Presidente Coligação Votos  % Colocação
2014 Levy Fidélix José Alves de Oliveira sem coligação 446.878 0,43
2010 Levy Fidélix Luiz Eduardo Ayres Duarte sem coligação 57.960 0,06

Referências

  1. a b Gilberto Vieira (9 de março de 2014). PRTB e PMB marcharão juntos nas eleições de 2014", afirma Levy Fidelix PRTB. Visitado em 22 de novembro de 2014.
  2. Tribunal Superior Eleitoral: Partidos políticos registrados no TSE, acessado em 25 de julho de 2007
  3. Distribuição do Fundo Partidário 2011 - Duodécimos TSE (24 de dezembro de 2011). Visitado em 30 de novembro de 2014.
  4. Distribuição do Fundo Partidário 2011 - Multas TSE (17 de julho de 2012). Visitado em 30 de novembro de 2014.
  5. Distribuição do Fundo Partidário 2012 - Duodécimos TSE (27 de dezembro de 2012). Visitado em 22 de novembro de 2014.
  6. Distribuição do Fundo Partidário 2012 - Multas TSE (29 de janeiro de 2013). Visitado em 22 de novembro de 2014.
  7. Distribuição do Fundo Partidário 2013 - Duodécimos TSE (27 de dezembro de 2013). Visitado em 21 de novembro de 2014.
  8. Distribuição do Fundo Partidário 2013 - Multas TSE (19 de maio de 2014). Visitado em 21 de novembro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]