Partido Renovador Trabalhista Brasileiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Partido Renovador Trabalhista Brasileiro
Para o Brasil mudar
Número no TSE 28
Presidente Levy Fidelix
Fundação 18 de fevereiro de 1997 (18 anos)
Sede São Paulo e Brasília
Ideologia Trabalhismo
Centrismo
Populismo
Espectro político Centro-direita[1]
Antecessor PTRB (1994)
Governadores (2010)
0 / 27
Prefeitos (2012)
16 / 5 568
Senadores (2010)
0 / 81
Deputados federais (2014)[2]
1 / 513
Deputados estaduais (2010)
10 / 1 024
Vereadores (2012)
420 / 56 810
Cores       Verde

      Amarelo

      Azul
Site
Página do PRTB

Política do Brasil
Partidos políticos
Eleições

Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) é um partido político brasileiro de Centro-direita.[1] Seu número eleitoral é o 28 e obteve registro definitivo em 18 de fevereiro de 1997.[3] Provém de membros do extinto PTR, partido que funcionou entre 1985 e 1993, que havia se fundido com o PST (Partido Social Trabalhista), originando o PP. Esse grupo, liderado por Levy Fidelix, já havia tentado organizar o PTRB, que somente disputou as eleições de 1994. o PTR reivindica o legado e ideário político de Fernando Ferrari, fundador do MTR e dissidente do PTB e do trabalhismo de Getúlio Vargas. De acordo com o programa divulgado no site do partido, a principal bandeira ideológica é o "trabalhismo participativo", no qual o capital possa interagir com o trabalho e estabelecer interesses mútuos, em vez de explorar o trabalho.

Seu presidente é Levy Fidelix, cuja ideia principal é o projeto de Aerotrem, causador de polêmicas em relação à sua viabilidade e custo de implantação. O partido abrigou, em 2000, o ex-presidente Fernando Collor de Mello em sua legenda, onde tentou se candidatar a prefeito de São Paulo nas eleições daquele ano, tendo sua candidatura impugnada às vésperas do dia da eleição, e em 2002, para governador de Alagoas, já em situação regular. Em 2004 apoiou a ex-prefeita Marta Suplicy na sua fracassada tentativa de reeleição na cidade de São Paulo.

Alagoas é o único estado em que o PRTB teve importância eleitoral, única e exclusivamente pela presença de Fernando Collor de Mello na legenda. Depois de ter recuperado seus direitos políticos, o ex-presidente tentou uma candidatura ao governo em 2002, numa coligação que garantia-lhe bastante tempo no horário eleitoral, uma vez que era composta pelo PFL, PTB, PPS e pelo PPB - o que, no entanto, não conseguiu fazê-lo vencer o governador reeleito Ronaldo Lessa.

Em 2006, Collor concorreu ao Senado, novamente pelo PRTB, sem o apoio oficial de nenhum grande partido, tendo entrado na disputa depois do início da propaganda eleitoral, substituindo o candidato anterior, um desconhecido motorista das Organizações Arnon de Mello. Collor venceu a eleição e tomou posse em 1 de fevereiro de 2007, mesmo dia em que deixou o PRTB e ingressou no PTB. Em 2010, o PRTB elegeu 2 deputados federais, um no estado do Rio de Janeiro, outro no Amapá - que no ano seguinte, deixaram o Partido para ingressar no novo PSD.

No mesmo ano, lançou Levy Fidelix como candidato à Presidência da República. Ele obteve 57.960 votos (0,06 % do total), terminando a eleição em 7º lugar.

Bancada na Câmara dos Deputados[editar | editar código-fonte]

Composição atual[editar | editar código-fonte]

Deputados AC AL AM AP BA CE DF ES GO MA MG MS MT PA PB PE PI PR RJ RN RO RR RS SC SE SP TO
1 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

Bancada eleita para a legislatura[editar | editar código-fonte]

Legislatura Eleitos  % AC AL AM AP BA CE DF ES GO MA MG MS MT PA PB PE PI PR RJ RN RO RR RS SC SE SP TO Diferença
54ª (2011-2015)
2 0,39 0 0 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 +2
53ª (2007-2011)
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 ±0
52ª (2003-2007)
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 ±0
51ª (1999-2003)
0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0

O único deputado eleito pelo partido em 2010, Áureo (RJ), saiu para se filiar ao SD na sua criação Fonte: Portal da Câmara dos Deputados - Bancada na Eleição.

Receitas[editar | editar código-fonte]

Ano Fundo partidário (R$) Total (R$)
Duodécimos Multas
2011 1.365.411,49[4] 217.763,17[5] 1.583.174,66
2012 1.398.405,88[6] 308.589,39[7] 1.706.995,27
2013 1.361.924,12[8] 310.249,78[9] 1.672.173,90

Participação do partido nas eleições presidenciais[editar | editar código-fonte]

Ano Candidato a Presidente Candidato a Vice-Presidente Coligação Votos  % Colocação
2014 Levy Fidélix José Alves de Oliveira sem coligação 446.878 0,43
2010 Levy Fidélix Luiz Eduardo Ayres Duarte sem coligação 57.960 0,06

Referências

  1. a b Gilberto Vieira (9 de março de 2014). PRTB e PMB marcharão juntos nas eleições de 2014", afirma Levy Fidelix PRTB. Visitado em 22 de novembro de 2014.
  2. Bancada da Eleição de 2014 para Deputado Federal (Titulares) Câmara dos Deputados.
  3. Tribunal Superior Eleitoral: Partidos políticos registrados no TSE, acessado em 25 de julho de 2007
  4. Distribuição do Fundo Partidário 2011 - Duodécimos TSE (24 de dezembro de 2011). Visitado em 30 de novembro de 2014.
  5. Distribuição do Fundo Partidário 2011 - Multas TSE (17 de julho de 2012). Visitado em 30 de novembro de 2014.
  6. Distribuição do Fundo Partidário 2012 - Duodécimos TSE (27 de dezembro de 2012). Visitado em 22 de novembro de 2014.
  7. Distribuição do Fundo Partidário 2012 - Multas TSE (29 de janeiro de 2013). Visitado em 22 de novembro de 2014.
  8. Distribuição do Fundo Partidário 2013 - Duodécimos TSE (27 de dezembro de 2013). Visitado em 21 de novembro de 2014.
  9. Distribuição do Fundo Partidário 2013 - Multas TSE (19 de maio de 2014). Visitado em 21 de novembro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]