Joseph Schildkraut

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Joseph Schildkraut
Joseph Schildkraut no trailer de "Marie Antoinette" de 1938
Outros nomes Josef Schildkraut
Pepi
Nascimento 22 de março de 1896
Viena
Nacionalidade  Áustria
Morte 21 de janeiro de 1964 (67 anos)
Nova Iorque, Nova Iorque, Estados Unidos
Ocupação Ator
Cônjuge Leonora Rogers (1963 - 1964)
Marie McKay (1932 - 1962)
Elise Bartlett (1923 - 1930)
Atividade 1915 - 1965
Oscares da Academia
Melhor ator coadjuvante
1938 - The Life of Emile Zola
Página oficial
IMDb: (inglês)


Joseph Schildkraut (Viena, Áustria, 22 de março de 1896 - Nova Iorque, Estados Unidos, 21 de janeiro de 1964) foi um ator de teatro e cinema austríaco.

Infância[editar | editar código-fonte]

Nascido em Viena, Áustria, Schildkraut era o filho do ator de teatro (e depois de cinema) Rudolf Schildkraut. O mais novo Schildkraut se mudou para os Estados Unidos no início dos anos 1900. Ele apareceu em muitas produções da Broadway. Entre as peças em que atuou destaca-se uma produção notável de Peer Gynt.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Em 1921, Joseph atuou como personagem título da primeira produção teatral americana de Ferenc Molnár, Liliom, a peça que viria ser a base do musical Carousel, de Rodgers e Hammerstein.

Ele, então, começou a trabalhar em cinema mudo, embora, ocasionalmente, tenha voltado para o teatro. Ele começou a fazer sucesso cedo em filmes como Chevalier de Vaudrey em Orphans of the Storm, de D. W. Griffith, com Lillian Gish. Mais tarde, ele foi destaque no Filme épico de Cecil B. DeMille The King of Kings, como Judas Iscariotes, em 1927. O pai de Schildraut, Rudolf, também apareceu no filme. Joseph também interpretou Gaylord Ravenal, em 1929 na versão cinematográfica de Show Boat, romance de Edna Ferber. O personagem do filme de 1929, era muito mais parecido com o original de Ferber do que o do musical clássico de Rodgers e Hammerstein bem como nas versões do musical de 1936 e 1951.

Schildkraut recebeu o Oscar de melhor ator coadjuvante pelo seu papel como Alfred Dreyfus em The Life of Emile Zola, de 1937. Ganhou ainda mais fama ao interpretar o ambicioso Duque de Orléans no épico histórico Marie Antoinette, de 1938, ao lado de Norma Shearer, Tyrone Power, John Barrymore e Robert Morley, e fez uma performance notável como o vilão Nicolas Fouquet na versão de 1939 de O Homem da Máscara de Ferro.

Joseph também é lembrado pelo papel de Otto Frank em O Diário de Anne Frank, de 1959. Ele foi um ator ativo e fez participações em vários programas de televisão, em 1953 interpretou Claudius na versão televisiva, nomeada Hallmark Hall of Fame, Hamlet, com Maurice Evans no papel título. Ele também apareceu em dois episódios de The Twilight Zone. Em 1963 foi indicado no Emmy como Melhor ator por sua performance em uma participação especial no drama Sam Benedict da NBC, com Edmond O'Brien e Richard Rust.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Schildkraut foi casado três vezes. Ele morreu na cidade de Nova Iorque, Nova Iorque. Por sua contribuição à indústria cinematográfica, foi premiado com uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood no número 6780 da Hollywood Boulevard.

Filmografia parcial[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Joseph Schildkraut