Kenneth I da Escócia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Kenneth I
Rei dos Pictos
Reinado 843 a 13 de setembro de 858
Sucessor Donaldo I
Descendência
Constantino I da Escócia
Aedh da Escócia
Máel da Escócia
Nome completo
Kenneth MacAlpin
Casa Alpin
Pai Alpín mac Echdach
Nascimento 810
Iona
Morte 13 de setembro de 858 (48 anos)
Cinnbelachoir, Escócia
Enterro Iona, Escócia

Cináed mac Ailpín (gaélico moderno: Coinneach mac Ailpein), anglicanizado como Kenneth MacAlpin e mais conhecido por seu nome régio moderno de Kenneth I (Iona, 810 – Cinnbelachoir, 13 de setembro de 858) foi o Rei dos Pictos e, de acordo com um mito nacional, o primeiro rei da Escócia.

Reinado[editar | editar código-fonte]

Foi o primeiro rei de Scone, a região de Galloway, ou de Dalriada, na Escócia ocidental. A unificação da Escócia teve início quando Kenneth MacAlpin se tornou rei dos Pictos e dos Escoceses.

Sucedeu ao pai em 841. Em 843, adquiriu ou conquistou os pictos. Em 843 os pictos tinham unido suas terras com as de Dal Riata e aceitaram em 846 como seu rei Kenneth MacAlpin, rei dos escoceses. Uma das razões seria que Kenneth descendia da linha real picta por sua mãe. Como os pictos eram uma sociedade matriarcal, Kenneth tinha provavelmente direito de unir os dois reinos, mas lamentavelmente, poucas gerações mais tarde, a língua e cultura singular dos pictos se perdeu.

Contra os pictos, pirateavam os dinamarqueses, com êxito desde 841. Kenneth invadiu seis vezes e sem sucesso a Lothian, a Nortumbria, queimou Dunbar e tomou Melrose. Decisivo passo ao unificar o reino celta, pela primeira vez chamado de Escócia.

Viu a mudança para o centro da igreja de Iona rumo à corte em Dunkeld. Foi o primeiro a governar a Escócia como um reino. Tanto rei de Dalriada (o povo de fala gaélica, descendentes dos irlandeses que viviam no oeste da Escócia) quanto dos pictos (misteriosos escoceses nativos).

A unidade nasceu da batalha, derrotou os pictos em 843, e por intensa mistura das populações, pois os de Dalriada mudaram-se para o leste, evitando os ataques dos vikings. Mudou o centro de seu governo de Dalraida para o leste dos pictos, e transferiu a cadeira ou trono da coroação, que continha a antiga Pedra do Destino, para sua coroação em 843 em Scone, quando foi coroado rei da Escócia. Também ordenou transferir as relíquias de São Columba de Iona para Dunkeld, e aumentou o mosteiro no lugar de Dunkeld para receber as relíquias de São Columba. Constantino II da Escócia mais tarde as transferiu para Santo André.

Em 841 Kenneth MacAlpin se tornou governante de Dal Riata, reino no sudoeste onde viviam os escoceses de sangue irlandês. Em 843, invadiu Alba a terra dos Pictos, em ataque bem planejado, pois há muito os pictos combatiam os vikings que tentavam invadir o norte e o oeste de Alba. Como os pictos estavam exaustos, foram derrotados e MacAlpin se tornou seu rei, e a lenda ainda diz que pela mãe teria direito ao trono Picto. Logo a Alba ficou conhecida como Escócia.

Kenneth MacAlpin sempre buscou aumentar o país. Os Anglos eram fortes ao sul, e queriam também aumentar seu território tomando terra escocesa. Kenneth os atacou seis vezes. Atravessou a fronteira no rio Forth, invadiu a Bemicia, onde queimou e pilhou aldeias.

Manteve seu país unido por 16 anos, apesar dos ataques dos anglos em Strathclyde e dos vikings nas ilhas do norte. Data dele o reino unido dos Pictos e da Escócia. Tratava-se de reis guerreiros, celtas que se defendiam dos homens do norte, dinamarqueses e ingleses. Muitos morriam em batalha e os principais magnatas escolhiam então um deles para o substituir. Nunca eram monarcas fracos, pois tinham que defender sua posição e lutar para manter o poder. Muitos reis de Alba viriam da família de MacAlpin.

Precedido por
Drest X
Rei dos Pictos
843 - 858
Sucedido por
Donaldo I
Ícone de esboço Este artigo sobre reis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.