Lophiiformes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaLophiiformes
Melanocetus johnsonii

Melanocetus johnsonii
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Superclasse: Osteichthyes
Classe: Actinopterygii
Subclasse: Neopterygii
Infraclasse: Teleostei
Ordem: Lophiiformes
Famílias
Ver texto.
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Lophiiformes

Lophiiformes (também chamados Pediculati) é uma grande e diversificada ordem de peixes actinopterígeos. O grupo é exclusivo de ambientes marinhos.

A ordem divergiu dos Percopsiformes há 50 milhões de anos, no Eocénico médio. A maioria das espécies é típica de ambientes de grande profundidade.

Tamboril é o nome vulgar de muitas espécies desta ordem, em particular pertencentes aos géneros Lophius e Lophioides.

Predação[editar | editar código-fonte]

Os lofiformes são peixes carnívoros que caçam com recurso a uma "vara de pesca" composta pelo illicium (vara), o primeiro raio da barbatana dorsal modificado, e esca (isca), uma excrescência carnosa. Esta adaptação resulta como um dispositivo para atrair presas para a zona da boca [1] . Os lofiformes têm a capacidade de distender a boca e o estômago de forma a engolir presas com o dobro do seu comprimento. As espécies abissais, abaixo da zona fótica, contam ainda com bioluminescência, adquirida através de simbiose com espécies de bactéria, como forma adicional de atrair as presas. Para maximizar este efeito, o peixe é geralmente de cor preta ou castanha escura, o que serve de camuflagem num ambiente sem luz.

Reprodução[editar | editar código-fonte]

As espécies abissais têm um método de reprodução único no reino animal que representa um caso extremo de dimorfismo sexual. O macho nasce sem sistema digestivo e com o único objetivo de encontrar uma fêmea através das feromonas que elas emitem. Uma vez encontrada a parceira, o macho fixa-se no seu flanco e funde-se com o seu corpo chegando a partilhar a mesma corrente sanguínea. Com o tempo, o macho degenera e torna-se apenas em gónadas masculinas fixas ao corpo da parceira, que libertam esperma quando as hormonas da fêmea indicam que está pronta a desovar. Se não encontrar uma fêmea, o macho morre. Esta característica invulgar evoluiu para compensar a dificuldade em encontrar parceiros nas condições afóticas das planícies abissais.

Famílias[editar | editar código-fonte]

Referências

Ordens de peixes teleósteos

Acipenseriformes | Albuliformes | Amiiformes | Anguilliformes | Ateleopodiformes | Atheriniformes | Aulopiformes | Batrachoidiformes | Beloniformes | Beryciformes | Cetomimiformes | Characiformes | Clupeiformes | Cypriniformes | Cyprinodontiformes | Elopiformes | Esociformes | Gadiformes | Gasterosteiformes | Gonorynchiformes | Gymnotiformes | Hiodontiformes | Lophiiformes | Mugiliformes | Myctophiformes | Notacanthiformes | Ophidiiformes | Osmeriformes | Osteoglossiformes | Perciformes | Percopsiformes | Pleuronectiformes | Polymixiiformes | Polypteriformes | Saccopharyngiformes | Salmoniformes | Scorpaeniformes | Semionotiformes | Siluriformes | Stephanoberyciformes | Stomiiformes | Synbranchiformes | Tetraodontiformes | Zeiformes |