Ngo Dinh Nhu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ngô Ðình Nhu (direita) recebe o vice-presidente dos Estados Unidos Lyndon Johnson, em Saigon, em 1961.

Ngô Ðình Nhu (Phu Cam, 7 de novembro de 1910Saigon, 2 de novembro de 1963) foi o irmão mais novo do primeiro presidente do Vietnã do Sul, Ngô Ðình Diệm, seu principal conselheiro político e chefe da polícia secreta do país, até seu assassinato por militares rebeldes em novembro de 1963. É considerado o cérebro por trás do governo autocrático de Diem.

Nascido em uma família nobre, mandarins na corte da capital imperial Hué no período anterior à ocupação francesa do país, Nhu formou-se na França e retornou ao Vietnã no início da Segunda Guerra Mundial, para trabalhar na Biblioteca Nacional de Hanói. Em 1943, casou-se com Tran Le Xuan, que passou a ser conhecida como Madame Nhu, mulher de grande influência no governo e na sociedade sul-vietnamita do pós-guerra, atuando como primeira-dama do país, em razão do cunhado presidente ser solteiro.

Em 1955, com a subida ao poder de Diem, indicado primeiro-ministro pelo imperador Bao Dai após a derrota francesa em Dien Bien Phu e a subsequente saída dos colonizadores do país, e logo depois transformado em presidente, com a monarquia sendo extinta, numa votação fraudada,[1] Nhu chegou ao poder no Vietnã.

Apesar de não ter qualquer cargo oficial no governo, ele comandou politicamente a região sul do país, formando milícias, exércitos particulares e uma polícia secreta. Vivendo no palácio presidencial com a mulher e o irmão, tornou-se símbolo da corrupção na sociedade sul-vietnamita.[2] Sob seu comando, torturas e mortes de opositores do regime se tornaram comuns, com mais de cinquenta mil deles sendo assassinados, fossem comunistas, dissidentes políticos ou cidadãos que protestassem contra a corrupção.[3]

Viciado em ópio e admirador de Adolf Hitler, de quem copiou os métodos da Gestapo para sua polícia,[4] Nhu e sua mulher acumularam grande fortuna fraudando resultados de loteria, manipulando o câmbio e extorquindo empresários sul-vietnamitas.[5]

Em 1963, a situação política no Vietnã atingiu uma crise sem precedentes, com a total desorganização do país frente aos protestos civis e religiosos dos monges budistas, combatidos à força e tendo centenas deles assassinados pelas milícias de Nhu, à corrupção reinante e aos ataques da guerrilha vietcong por todo o Vietnã do Sul diante de um exército impotente e inoperante, levando a uma situação insustentável para o regime de Diem, que perdeu o apoio dos Estados Unidos.[6]

Em 2 de novembro de 1963, o comando militar sul-vietnamita deu um golpe de estado no país, depondo o presidente Diem e seu irmão, que, depois de capturados em fuga numa cidade vizinha à capital, foram assassinados dentro de um carro blindado em Saigon.[7] Sua mulher, Madame Huh, e seus filhos, seguiram para o exílio na Europa.

Referências

  1. Karnow, pp. 55.
  2. Karnow (1997)
  3. Maclear, pp. 70–90.
  4. Olson, p. 65.
  5. Olson, p. 98.
  6. Gettleman, pp. 278–283.
  7. Karnow, pp. 300–326.

Bibliografia (em inglês)[editar | editar código-fonte]

  • Buttinger, Joseph. Vietnam: A Dragon Embattled. [S.l.]: Praeger Publishers, 1967.
  • Gettleman, Marvin E.. Vietnam: History, documents and opinions on a major world crisis. [S.l.]: Penguin Books, 1966.
  • Jacobs, Seth. Cold War Mandarin: Ngo Dinh Diem and the Origins of America's War in Vietnam, 1950–1963. [S.l.]: Rowman & Littlefield Publishers, 2006. ISBN 0-7425-4447-8
  • Karnow, Stanley. Vietnam: A history. [S.l.]: Penguin Books, 1997. ISBN 0-670-84218-4
  • Langguth, A. J.. Our Vietnam. [S.l.]: Simon and Schuster, 2000. ISBN 0-684-81202-9
  • Maclear, Michael. Vietnam:The ten thousand day war. [S.l.]: Methuen, 1981. ISBN 0-423-00580-4
  • Tucker, Spencer C.. Encyclopedia of the Vietnam War. [S.l.]: ABC-CLIO, 2000. ISBN 1-57607-040-0