Operação Reinhardt

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde junho de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Operação Reinhardt (em alemão: Aktion Reinhardt ou Einsatz Reihardt) é o codinome dado ao plano iniciado em 1942 pelo Terceiro Reich para exterminar sistematicamente os judeus, os roms, os sintis e os yeniches do Governo geral da Polônia ocupada pela Alemanha nazista. Durante a operação cerca de 1.700.000 pessoas foram mortas.

Concepção e desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

É em geral aceita entre os historiadores a hipótese de que a Operação Reinhard deve seu nome ao oficial nazista Reinhard Heydrich, que, durante a Conferência de Wannsee (20 de janeiro de 1942), foi incumbido por Heinrich Himmler de coordenar a Solução final para a questão Judaica: o assassinato de todos os judeus residentes em territórios ocupados pela Alemanha nazista. Apesar de já sofrerem discriminação, tortura, roubos e massacres, os judeus somente se tornaram alvo de uma campanha que visava a sua eliminação total a partir da implementação da solução final.

Após um atentado em que terroristas da resistência tchecoslovaca mataram Reinhard Heydrich o comando da Operação foi entregue ao oficial nazista Odilo Globocnik, responsável direto pela construção de campos de extermínio na porção leste da Polônia, então ocupada pela Alemanha.

Três campos de extermínio dotados de câmaras de gás foram erguidos durante a Operação: Treblinka, Sobibór e Belzec. Correspondências indicam que o campo de concentração e extermínio de Majdanek foi posteriormente incluído na Operação Reinhard.

Modus operandi[editar | editar código-fonte]

Os campos de extermínio foram construídos perto de estradas férreas e em áreas esparsamente povoadas (exceto Majdanek). Os nazistas diziam às vítimas que as viagens para o leste serviriam para povoamento e trabalho em áreas remotas.

Após se despirem, as vítimas eram então conduzidas às câmaras de gás. Monóxido de carbono (também Zyklon B, em Majdanek) era então despejado por tubos para as câmaras. As vítimas morriam por asfixia.

Além da morte de aproximadamente 2 milhões de pessoas, estima-se que a Operação Reinhard tenha resultado no roubo de 178.045.960 marcos (o equivalente a 700.000.000 dólares atuais) de judeus.

Odilo Globocnik foi engarregado de chefiar a Operação.
Memorial no campo de extermínio de Treblinka, que foi construído na Polônia sob ocupação nazista.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]