Os Afro-sambas (1966)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou se(c)ção não cita fontes fiáveis e independentes (desde Março de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as no texto ou no rodapé, conforme o livro de estilo. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Os Afro-sambas
Álbum de estúdio de Baden Powell e Vinicius de Moraes
Lançamento fevereiro de 1966
Gravação 3 de janeiro de 1966
Gênero(s) Samba, MPB
Duração 32:42
Formato(s) LP
Gravadora(s) Forma
Produção Roberto Quartim
Cronologia de Baden Powell e Vinicius de Moraes
Último
Último
Vinícius e Caymmi no Zum Zum
(1965)
Vinícius: Poesia e Canção
(1966)
Próximo
Próximo

Os Afro-sambas é um álbum do violonista Baden Powell e do compositor e cantor Vinicius de Moraes, de 1966.

Álbum[editar | editar código-fonte]

Considerado por muitos críticos como um divisor de águas na MPB por fundir vários elementos da sonoridade africana ao samba, "Os Afro-sambas" é o segundo LP lançado pela parceria Baden Powell / Vínicius de Moraes. Segundo relata Vinicius, numa crônica escrita em 1965 e disponível no livro "Samba Falado" (Editora Beco do Azougue), o poeta recebera de Coqueijo Costa um disco com sambas-de-roda da Bahia, pontos de candomblé e toques de berimbau que encantaram Vinicius de Moraes. Baden Powell também fora à Bahia e conferira pessoalmente os cantos do candomblé baiano. Desse mútuo encantamento pelo samba e religiosidade encontrada na Bahia, surgiu o projeto dos Afro-sambas, que se tornou um álbum gravado em 1966.

As oito canções apresentam uma rica e singular musicalidade, que traz uma mistura de instrumentos do candomblé e da umbanda (como atabaques e afoxés) com timbres mais comuns à música brasileira (agogôs, saxofones e pandeiros).

O grande destaque do álbum é a faixa de abertura "Canto de Ossanha", futuro clássico da MPB, que conta com a participação nos vocais da atriz Betty Faria e na flauta de Nicolino Cópia.

Baden Powell realizou em 1990 uma regravação deste álbum, novamente acompanhado pelo Quarteto em Cy, em que basicamente manteve os mesmos arranjos mas procurou obter uma melhor qualidade sonora, uma forma de homenagear o amigo Vinícius, então já falecido.

Faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as faixas são de autoria conjunta de Baden Powell e Vinícius de Moraes.

  1. Canto de Ossanha - 03:23
  2. Canto de Xangô - 06:28
  3. Bocoché - 02:34
  4. Canto de Iemanjá - 04:47
  5. Tempo de amor - 04:28
  6. Canto do Caboclo Pedra-Preta - 03:39
  7. Tristeza e solidão - 04:35
  8. Lamento de Exu - 02:16

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

  • Produção e direção artística: Roberto Quartin e Wadi Gebara
  • Técnico de gravação: Ademar Rocha
  • Contracapa: Vinicius de Moraes
  • Fotos: Pedro de Moraes
  • Capa: Goebel Weyne
  • Arranjos e regência: Maestro Guerra Peixe
  • Vocais: Vinicius de Moraes, Quarteto em Cy e Coro Misto
  • Sax tenor: Pedro Luiz de Assis
  • Sax barítono: Aurino Ferreira
  • Flauta: Nicolino Cópia
  • Violão: Baden Powell
  • Contrabaixo: Jorge Marinho
  • Bateria: Reisinho
  • Atabaque: Alfredo Bessa
  • Atabaque pequeno: Nelson Luiz
  • Bongô: Alexandre Silva Martins
  • Pandeiro: Gilson de Freitas
  • Agogô: Mineirinho
  • Afoxé: Adyr Jose Raimundo

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Saravá! Escute a playlist no portal Cultura Brasil - Rádio e Tv Cultura de SP - e conheça a historia dos Afro-sambas.
Ícone de esboço Este artigo sobre um álbum de Baden Powell é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Vinicius de Moraes
Álbuns e EPs: Orfeu da Conceição (1956) | Canção do amor demais (com Elizeth Cardoso) (1958) | Por toda minha vida (com Lenita Bruno e Orquestra) (1959) | Vinícius e Odete Lara (1963) | De Vinicius e Baden especialmente para Ciro Monteiro (1965) | Os Afro-sambas (1966) | Garota de Ipanema (1967) | Vinícius em Portugal (1969) | Amália / Vinicius (com Amália Rodrigues) (1970) | Como Dizia O Poeta... (1971) | Toquinho e Vinicius (1971) | Marilia / Vinicius (1972) | Vinicius canta: Nossa Filha Gabriela (1972) | São Demais Os Perigos Dessa Vida (1972) | O Bem-Amado (1973) | Vinicius & Toquinho (1974) | Vinicius / Toquinho (1975) | Deus lhe pague (1976) | Um pouco de ilusão (1980) | A Arca de Noé (1980) | A Arca de Noé 2 (1981) | Brasília Sinfonia da Alvorada (1983) | Vinicius em Cy (com Quarteto em Cy) (1993) | Prelúdios e Canções de Amor (com Claudio Santoro) (2000) | Canção do amor demais (com Olivia Byington) (2003) | Jobim Sinfônico (2003) | Berimbau (com Paula Morelenbaum) (2004)
Álbuns ao vivo: Vinícius e Caymmi no Zum Zum (1965) | Vinícius: Poesia e Canção (1966) | En La Fusa con Maria Creuza y Toquinho (1970) | Vinícius + Bethânia + Toquinho - En La Fusa (1971) | Saravá Vinicius! - Vinicius de Moraes en São Paulo con Quarteto em Cy y Toquinho (1974) | O Poeta e o Violão | Tom, Vinicius, Toquinho e Miúcha - Gravado ao vivo no Canecâo (1975) | Poeta, moça e violão - Vinicius, Clara e Toquinho (1991) | Vivendo Vinicius (2000) | Tom canta Vinicius (com Tom Jobim) (2000))
Coletâneas: Vinícius (1967) | Antologia Poética (1977) | 10 anos de Toquinho e Vinicius (1979) | Testamento... (1980) | História da Música Popular Brasileira – Grandes Compositores (1982) | Songbook – Volume 1 (1993) | Songbook – Volume 2 (1993) | Songbook – Volume 3 (1993) | Vinicius de Moraes por Odete Lara (1998)