Ouro de Tolo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Ouro de Tolo"
Single de Raul Seixas
do álbum Krig-ha, Bandolo!
Lado A Ouro de Tolo
Lado B A Hora do Trem Passar
Lançamento Maio de 1973[1]
Formato(s) Disco de vinil de 7 polegadas, tocado à 33 1/3 RPM
Gravação 1973
Gênero(s) Folk rock
Duração 02:51 (Lado A)
01:51 (Lado B)
Gravadora(s) Philips Records
Composição Raul Seixas
Produção Marco Mazzola e Raul Seixas
Cronologia de singles de Raul Seixas
Último
Último
Let me Sing, Let me Sing
(1972)
Gita
(1974)
Próximo
Próximo
Lista de faixas de Krig-ha, Bandolo!
Último
Último
"Cachorro Urubu"
(10)
Próximo
Próximo

Ouro de Tolo é um compacto do cantor e compositor Raul Seixas, lançado em maio de 1973 pela gravadora Philips Records e presente no álbum Krig-ha, Bandolo!.[2] [1] Em 2009, foi escolhida pela revista Rolling Stone Brasil a 16ª entre as 100 maiores músicas brasileiras.[3]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Ouro de Tolo
N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Ouro de Tolo"   Raul Seixas 2:51
2. "A Hora do Trem Passar"   Raul Seixas / Paulo Coelho 1:51
Duração total:
4:42

Contexto e análise[editar | editar código-fonte]

O nome faz uma alusão a sua utilização durante a Idade Média quando falsos alquimistas prometiam realmente transformar chumbo em ouro, quando a linguagem da alquimia era, na verdade, metafórica ou simbólica, referindo-se à transformação espiritual do homem de um estado "pesado", o chumbo, para outro de elevação, o ouro.[4] [5] Assim, transpondo para os próprios ideais e aspirações de Raul Seixas na época, percebe-se que ele indica que o verdadeiro ouro estava no despertar da consciência individual, visando à construção da Sociedade Alternativa, e não no discurso ufanista e triunfalista da ditadura militar da época.[5] Logo, o disco voador ao final da letra seria uma referência a essa nova sociedade a ser construída.[5]

Lançamento e promoção[editar | editar código-fonte]

Em 7 de junho de 1973, de acordo com uma estratégia de marketing proposta por Paulo Coelho, Raul Seixas convocou a imprensa para registrar sua aparição na Avenida Rio Branco, onde cantou a música Ouro de Tolo.[4] A cena foi exibida no horário nobre da TV, no Jornal Nacional.[4] A canção era um ataque ao conformismo do país a respeito das ilusórias vantagens oferecidas pela ditadura.[4] O evento catapultou as vendas do compacto, tornando-se sucesso instantâneo e preparando o lançamento do seu primeiro LP solo, Krig-ha, Bandolo!, em 21 de julho de 1973.[4] [6]

Referências

  1. a b RADA NETO, 2013, p. 1.
  2. DAPIEVE, 1996, p. 19.
  3. As 100 Maiores Músicas Brasileiras - "Ouro de Tolo" Rolling Stone Brasil Spring (2009). Visitado em 6 de janeiro de 2014.
  4. a b c d e Ouro de tolo Revista de História (9 de junho de 2008). Visitado em 3 de fevereiro de 2012.
  5. a b c BOSCATO, 2006, p. 152.
  6. PASSOS e BUDA, 1992, p. 65.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • PASSOS, Sylvio e BUDA, Toninho. Raul Seixas: uma antologia. São Paulo: Martin Claret, 1992.
  • BOSCATO, Luis Alberto Lima. Vivendo a sociedade alternativa. Tese de Doutorado. São Paulo: FFLCH/USP, 2006.
  • RADA NETO, José. Raul(zito) Seixas como produtor musical: aprendizado prático e construção da imagem artística. Anais do XXVII Simpósio Nacional de História. Julho de 2013.
  • DAPIEVE, Arthur. Brock: o rock brasileiro dos anos 80. São Paulo: Editora 34, 1996. ISBN: 9788573260083.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma canção é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.