Ouro de Tolo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A página está num processo de expansão ou reestruturação.
Esta página atravessa um processo de expansão ou reestruturação. A informação presente poderá mudar rapidamente, podendo conter erros que estão a ser corrigidos. Todos estão convidados a contribuir e a editar esta página. Caso esta não tenha sido editada durante vários dias, retire esta marcação.

Esta página foi editada pela última vez por Hlges (D C) 55 dias atrás. (Recarregar)

"Ouro de Tolo"
Single de Raul Seixas
do álbum Krig-ha, Bandolo!
Lado A Ouro de Tolo
Lado B A Hora do Trem Passar
Lançamento Maio de 1973[1]
Formato(s) Disco de vinil de 7 polegadas, tocado à 33 1/3 RPM
Gravação 1973
Gênero(s) Folk rock
Duração 02:51 (Lado A)
01:51 (Lado B)
Gravadora(s) Philips Records
Composição Raul Seixas
Produção Marco Mazzola e Raul Seixas
Cronologia de singles de Raul Seixas
Último
Último
Let me Sing, Let me Sing
(1972)
Gita
(1974)
Próximo
Próximo
Lista de faixas de Krig-ha, Bandolo!
Último
Último
"Cachorro Urubu"
(10)
Próximo
Próximo

Ouro de Tolo é um compacto do cantor e compositor Raul Seixas, lançado em maio de 1973 pela gravadora Philips Records e presente no álbum Krig-ha, Bandolo!.[2] [1] Em 2009, foi escolhida pela revista Rolling Stone Brasil a 16ª entre as 100 maiores músicas brasileiras.[3]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Ouro de Tolo
N.º Título Compositor(es) Duração
1. "Ouro de Tolo"   Raul Seixas 2:51
2. "A Hora do Trem Passar"   Raul Seixas / Paulo Coelho 1:51
Duração total:
4:42

Contexto e análise[editar | editar código-fonte]

O nome faz uma alusão a sua utilização durante a Idade Média quando falsos alquimistas prometiam realmente transformar chumbo em ouro, quando a linguagem da alquimia era, na verdade, metafórica ou simbólica, referindo-se à transformação espiritual do homem de um estado "pesado", o chumbo, para outro de elevação, o ouro.[4] [5] Assim, transpondo para os próprios ideais e aspirações de Raul Seixas na época, percebe-se que ele indica que o verdadeiro ouro estava no despertar da consciência individual, visando à construção da Sociedade Alternativa, e não no discurso ufanista e triunfalista da ditadura militar da época.[5] Logo, o disco voador ao final da letra seria uma referência a essa nova sociedade a ser construída.[5]

Lançamento e promoção[editar | editar código-fonte]

Em 7 de junho de 1973, de acordo com uma estratégia de marketing proposta por Paulo Coelho, Raul Seixas convocou a imprensa para registrar sua aparição na Avenida Rio Branco, onde cantou a música Ouro de Tolo.[4] A cena foi exibida no horário nobre da TV, no Jornal Nacional.[4] A canção era um ataque ao conformismo do país a respeito das ilusórias vantagens oferecidas pela ditadura.[4] O evento catapultou as vendas do compacto, tornando-se sucesso instantâneo e preparando o lançamento do seu primeiro LP solo, Krig-ha, Bandolo!, em 21 de julho de 1973.[4] [6]

Referências

  1. a b RADA NETO, 2013, p. 1.
  2. DAPIEVE, 1996, p. 19.
  3. As 100 Maiores Músicas Brasileiras - "Ouro de Tolo" Rolling Stone Brasil Spring (2009). Visitado em 6 de janeiro de 2014.
  4. a b c d e Ouro de tolo Revista de História (9 de junho de 2008). Visitado em 3 de fevereiro de 2012.
  5. a b c BOSCATO, 2006, p. 152.
  6. PASSOS e BUDA, 1992, p. 65.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • PASSOS, Sylvio e BUDA, Toninho. Raul Seixas: uma antologia. São Paulo: Martin Claret, 1992.
  • BOSCATO, Luis Alberto Lima. Vivendo a sociedade alternativa. Tese de Doutorado. São Paulo: FFLCH/USP, 2006.
  • RADA NETO, José. Raul(zito) Seixas como produtor musical: aprendizado prático e construção da imagem artística. Anais do XXVII Simpósio Nacional de História. Julho de 2013.
  • DAPIEVE, Arthur. Brock: o rock brasileiro dos anos 80. São Paulo: Editora 34, 1996. ISBN: 9788573260083.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma canção é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.