Países Baixos (região)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
História dos Países Baixos (região)
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Gália Belga
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Germânia Inferior
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Germânia Superior
Flag of None.svg
Império das Gálias
Arms of burgundy.png
Países Baixos Burgúndios
13841477
25px
Bispado de Liège
9851795
Flag - Low Countries - XVth Century.png
Dezessete Províncias
14771556
Flag - Low Countries - XVth Century.png
Países Baixos Espanhóis
15561581
Prinsenvlag.svg
República das Sete Províncias Unidas dos Países Baixos
15811795
Países Baixos do Sul
1581-1713
Países Baixos Austríacos
17131794
Estados Unidos da Bélgica
República Batava
17951806
Flag of France.svg
Primeira República Francesa
17951805
Reino da Holanda
18061810
Primeiro Império Francês
18051815
Flag of the Netherlands.svg
Reino Unido dos Países Baixos
18151830
Flag of the Netherlands.svg
Países Baixos
Flag of Luxembourg.svg
Grão Ducado de Luxemburgo
Flag of Belgium.svg
Bélgica
      Editar

Os Países Baixos, a região histórica de de Nederlanden, são os países das terras baixas que ocupam o delta dos rios Reno, Escalda e Mosa. O termo não é comum no contexto moderno porque a região não corresponde exatamente aos estados soberanos da Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo, para os quais um termo alternativo foi aplicado, Benelux, após a Segunda Guerra Mundial.

Antes da formação dos países da Idade Moderna, os Países Baixos se referiam a uma ampla área do norte da Europa, estendendo-se aproximadamente de Dunquerque, como ponto mais a sudoeste, até a região de Schleswig-Holstein, como limite a nordeste; do estuário do Escalda, ao sul, até a Frísia no norte. Os Países Baixos foram o cenário das primeiras cidades setentrionais, construídas a partir do desenvolvimento de antigos centros, que marcaram o novo despertar da Europa no século XII. Nessa época, tornaram-se uma das regiões mais densamente povoadas da Europa, juntamente com o norte da Península Itálica.

Trata-se de um conjunto de regiões diversas e não uma região homogênea, porém todas dividem um grande número de similaridades.

  • A maior parte dessas regiões era limitada pelo Mar do Norte ou pelo Canal da Mancha. Aquelas que não tinham acesso ao mar eram ligadas política e economicamente às que tinham acesso, de forma a unir o litoral e o interior. Uma descrição poética também chama a região de "os Países Baixos do Mar".
  • A maioria falava neerlandês médio, que mais tarde evoluiria para o neerlandês atual. No entanto, algumas regiões, como o Bispado de Liège, a Flandre Romana (nas imediações de Cambrai, Lille, Tournai), a parte francófona do Brabante, perto de Nivelles, e Namur, onde a francês ou o valão era a língua dominante, são muitas vezes consideradas também como parte dos Países Baixos.Mons
  • A maioria deles dependia de um senhor ou conde apenas nominalmente, com as cidades efetivamente sendo governadas por corporações e conselhos e embora na teoria parte de um reino, sua interação com seus governantes era regulada por um conjunto rígido de liberdades descrevendo o que o reino poderia ou não esperar deles.
  • Todos eles dependiam do comércio e da manufatura e encorajavam o livre fluxo de bens e especialistas.

De particular importância para as cidades era a manufatura e comércio de tecidos feitos de lã, a primeira indústria européia. As cidades que cresceram ao redor desse comércio incluíam Liège, Leuven, Mechelen, Antuérpia, Bruxelas, Ypres, Gante e Utrecht, utilizando uma lista compilada por Henri Pirenne.

Em 1477 as propriedades burgúndias na região, os Países Baixos burgúndios passaram através da herdeira Maria da Borgonha para os Habsburgos. No século seguinte os Países Baixos correspondiam aproximadamente às Dezessete Províncias cobertas pela Sanção Pragmática de 1549 do imperador do Sacro Império Carlos V, que liberou as províncias de suas arcaicas obrigações feudais. Depois que as Dezessete Províncias declararam sua independência da Espanha dos Habsburgos, as províncias dos Países Baixos Meridionais foram recapturadas (1581), e às vezes são chamadas de Países Baixos espanhóis.

Em 1713, após o Tratado de Utrecht seguiu-se a Guerra da Sucessão Espanhola, que levou a Espanha a ceder os Países Baixos espanhóis à Áustria, passando então a região a ser chamada de Países Baixos austríacos. O Reino Unido dos Países Baixos (1815-1830) uniu temporariamente os Países Baixos novamente.

Em português, a forma plural Países Baixos é usada atualmente para designar o país (no Brasil e em Portugal usa-se mais o termo Holanda), mas em neerlandês o plural foi abandonado, com o agradável efeito que se pode distinguir o atual país da antiga região. Então Nederland (singular) é a forma usada para denominar o país moderno e de Nerderlanden (plural) para os domínios de Carlos V.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Paul Arblaster. A History of the Low Countries. Palgrave Essential Histories Series New York: Palgrave Macmillan, 2006. 298 pp. ISBN 1-4039-4828-3.
  • J. C. H. Blom and E. Lamberts, eds. History of the Low Countries (1999)
  • B. A. Cook. Belgium: A History (2002)
  • Jonathan Israel. The Dutch Republic: Its Rise, Greatness, and Fall 1477-1806 (1995)
  • J. A. Kossmann-Putto and E. H. Kossmann. The Low Countries: History of the Northern and Southern Netherlands (1987)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Países Baixos (região)