Germânia Inferior

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Provincia Germania Inferior
Província da Germânia Inferior
Província do(a) Império Romano

83295
Location of Germânia Inferior
Germânia Inferior em 120
Capital: Colônia Agripinense
Período : Antiguidade Clássica
 -  Região conquistada por Júlio César e anexada à Gália Bélgica 57 a.C.
 -  Separada da Gália Bélgica 83 d.C.
 -  Anexada pelo rebelde Império das Gálias 260-274 d.C.
 -  Reformas de Diocleciano 295 d.C.

Germânia Inferior foi uma província do Império Romano localizada na margem ocidental do Reno, no território da moderna Alemanha. De acordo com Ptolemeu (Geographia 2.9), a província abrangia a bacia do Reno desde a foz até a foz do Obringa, um rio que tem sido identificado como sendo ou o Aar ou o Mosela[1] . Este território inclui o território atual de Luxemburgo, o sul dos Países Baixos, parte da Bélgica e parte da Renânia do Norte-Vestfália.


Geografia e história[editar | editar código-fonte]

O exército da Germânia Inferior aparece nas inscrições tipicamente como EX.GER.INF. (Exercitus Germaniae Inferioris) e incluía diversas legiões, com o número variando de acordo com o período: destas, a I Minervia e a XXX Úlpia Victrix eram as mais que mais frequentemente estavam na Germânia. A frota Classis Germanica da marinha romana, encarregada de patrulhar o Reno e a costa Mar do Norte, estava baseada em Castra Vetera e, posteriormente, e Colônia Agripinense.

Os primeiros confrontos entre o exército romano e os povos da Germânia Inferior ocorreram ainda durante as Guerras Gálicas de Júlio César, que invadiu a região em 57 a.C. e, nos três anos seguintes, aniquilou diversas tribos, inclusive os eburones e os menápios, a quem ele chamou de "germânicos", mas que eram provavelmente celtas ou, pelo menos, celto-germânicas. A influência germânica (principalmente através dos tungros) aumentou durante o período romano, levando à assimilação completa de todas os celtas da região.

A Germânia Inferior já tinha assentamentos romanos em 50 a.C. e foi, a princípio, parte da Gália Bélgica; ela foi separada numa província separada por volta de 80 ou 83 e, posteriormente, tornou-se uma província imperial. Ela estava ao norte da Germânia Superior (o adjetivo "Inferior" é uma referência à posição no curso do Reno, equivalendo ao "baixo Reno") e as duas juntas compunham a Germânia Menor.

Cidades[editar | editar código-fonte]

Os principais assentamentos romanos na província eram Castra Vetera e a Colônia Úlpia Trajana (Xanten), Corióvalo (Heerlen), Albaniana (Alphen aan den Rijn), Lugduno Batavoro (Katwijk), Fórum Adriano (Voorburg), Úlpia Noviômago Batavoro (Nimegue), Traiecto (Utreque), Atuatuca Tungroro (Tongeren), Bona e Colônia Agripinense (Colônia), a capital da província.

Reforma de Diocleciano[editar | editar código-fonte]

Provincia Germania Secunda
Província da Germânia Secunda
Província do(a) Império Romano

295406
Location of Germânia Secunda
Diocese da Gália, ca. 400
Capital: Colônia Agripinense
Período : Antiguidade Tardia
 -  Reformas de Diocleciano 295 d.C.
 -  Conquistada pelos bárbaros 406 d.C.

Como se atesta na Notitia Dignitatum do início do século V, a província foi renomeada para Germânia Secunda (ou Germânia II) no século IV durante a reforma administrativa do imperador romano Diocleciano (r. 284-305) e passou a se subordinar à Diocese da Gália. Até o fim do controle romano, ela foi uma província fortemente militarizada habitada por cidadãos romanos e francos ripuários. Sua capital permaneceu sendo Colônia Agripinense, que também tornou-se a sede do bispo cristão encarregado da província eclesiástica que sobreviveu até a época da queda do Império Romano do Ocidente.

Depois que a região foi abandonada pelos romanos, acabou tornando-se a centro do Reino Franco.

Referências

  1. "Obringa" em Bruzen la Martiniere, Le Grand Dictionnaire Geographique Volume 6, 1737; Albert Forbiger, Handbuch Der Alten Geographie Volume 3, Mayer und Wigand, 1848, fn (***) p. 126f.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Jona Lendering, De randen van de aarde. De Romeinen tussen Schelde en Maas, (2000 Amsterdam)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]