Sofena

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde janeiro de 2014).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Provincia Sophene
Ծոփք
Sofena
Província do(a) Império Romano

século I a.C.530 d.C.
Location of Armênia
Província de Sofena por volta de 120 d.C.
Capital: Amida
Período : Antiguidade Clássica
 -  Incorporada pelo Império Romano século I a.C.
 -  Anexada à Armênia IV 530

Sofena (em armênio: Ծոփք , Copʿkʿ; em grego: Σωφηνή; transl.: Sōphēnē) foi uma província do Reino da Armênia e do Império Romano localizada no sudoeste do reino, na moderna região sudeste da Turquia[1] .

História[editar | editar código-fonte]

A região que se tornaria a Sofena era parte do Reino de Urartu nos séculos VII e VIII a.C. Depois de anexá-la ao seu reino no século VIII a.C., o rei Argistis I de Urartu reassentou muitos de seus habitantes em sua nova cidade de Erebuni (a moderna capital da Armênia, Erevã). Por volta de 600 a.C., a Sofena tornou-se parte do emergente Reino da Armênia da dinastia Orôntida, que agiu como sátrapas da Armênia, primeiro sob o Império Medo e depois, Império Aquemênida.

Depois das campanhas de Alexandre, o Grande, na década de 330 a.C. e o subsequente colapso do Império Aquemênida, a Sofena manteve-se parte do reino independente da Armênia Maior. No início do século III a.C., instigado pelo Império Selêucida, que tentava enfraquecê-lo, a Sofena se separou da Armênia para formar o Reino de Sofena, governado por um ramo da dinastia real armênia dos orôntidas. Posteriormente, a Sofena se separou também do reino sofeno-comageno e deu origem ao Reino de Comagena.

Domínio romano[editar | editar código-fonte]

Por volta de 200 a.C., em sua tentativa de finalmente subjugar a Armênia, Antíoco III, o Grande, conquistou toda a região e instalou os generais armênios Artáxias I e Zariadres como governadores (estrategos) na Armênia e em Sofena respectivamente. Depois da derrota de Antíoco pelos romanos na Batalha de Magnésia em 190 a.C., os dois se declararam reis independentes. Zariadres e seus descendentes governaram o Reino de Sofena até ele ser novamente unificado com a Armênia por Tigranes, o Grande, na década de 80 a.C.

Pompeu deu a Sofena para Artavasdes II depois de derrotar Tigranes, pai dele[2] . A Sofena tornou-se em seguida parte do Império Romano e foi transformada numa província com capital em Amida (moderna Diyarbakır). O Reino da Armênia continuou como reino cliente dos romanos até o período bizantino.

Em 530, a Sofena foi incluída na recém-criada província da Armênia IV[3] .

Referências

  1. The History of Rome By Theodor Mommsen, William Purdie Dickson.
  2. Richardson, Peter, Univ of South Carolina Press, 1996, p. 96.
  3. Joshua, The Chronicle of Pseudo-Joshua the Stylite, Liverpool University Press, 2001, p. 54.