Planum Australe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Planum Australe, fotografia da Mars Global Surveyor.

Planum Australe (em latim: "o plano austral") é o pólo sul do planeta Marte. Estende-se para o sul desde as latitudes 75°S, e está centrado em torno das coordenadas 83.9ºS, 160.0ºE. A geologia desta região foi explorada pela frustrada missão da NASA Mars Polar Lander, que perdeu o contato com a Terra durante sua entrada na atmosfera de Marte.

Capa polar[editar | editar código-fonte]

O Planum Australe encontra-se parcialmente coberto por um capa polar permanente de uns 3 km de espessura, composta de gelo de água e dióxido de carbono. Uma capa de gelo sazonal forma-se acima da permanente durante o inverno marciano, estendendo-se desde 60°S em direção ao sul, atingindo uma espessura de 1 metro nas épocas mais frias do inverno.[1] É possível que o área da capa polar esteja retrocedendo devido a uma mudança climática localizada ou a um acontecimento mais amplo, um aquecimento global em Marte.[2]

Em 1966, Leighton e Murray propuseram que as capas polares marcianas contivessem um estoque de CO2 bem maior que a atmosfera. No entanto, atualmente pensa-se que ambos pólos estão compostos majoritariamente de gelo de água. Ambos os pólos exibem uma delgada coberta sazonal de CO2, enquanto ademais a capa polar sul contém um depósito de CO2 permanente, de 8 a 10 metros de espessura que se encontra acima do depósito de gelo de água. Talvez o argumento a favor para a tese de que a maioria do gelo é água, é que o gelo de CO2 não é o suficientemente forte mecanicamente para formar um calota estável de 3 km de espessura por longos períodos de tempo. [3] .

Dados da Mars Express da ESA indicam que na calota polar podem se distinguir três partes principais. A parte mais refletiva da capa é composta por aproximadamente um 85% de gelo seco e 15% de gelo de água. A segunda parte, onde a capa se delimita com as planícies circundantes, é composta quase exclusivamente de gelo de água. Finalmente, a calota de gelo é circundada por campos de permafrost que se estendem dezenas de quilômetros para o norte[4] .

O centro da calota polar permanente não se encontra localizado a 90º S, mas a aproximadamente a 150 km ao norte do pólo sul geográfico. A presença de duas regiões repletas de crateras de impacto no hemisfério ocidental (Hellas Planitia e Argyre Planitia) criam uma escarpa sobre o capa de gelo permanente. Os conseqüentes padrões climáticos derivados deste fato produzem neve branca e esponjosa com um alto albedo, em contraste com a neve mais escura que se forma na parte oriental da região polar.[5]

Aranhas marcianas[editar | editar código-fonte]

Um fenômeno único associado à capa polar do sul de Marte é o aparecimento de formações geológicas que têm aspecto de teia de aranhas, segundo o gelo de dióxido de carbono se derrete na primavera marciana. Estas formações recebem o nome de aranhas marcianas. A formação destas estruturas não é completamente conhecida, havendo várias teorias propostas por astrogeólogos.

Acidentes geográficos[editar | editar código-fonte]

Mapa topográfico do pólo sul marciano. Note-se como o Planum Australe se eleva acima dos terrenos circundantes, povoados de crateras.

Distinguem-se dois sub-regiões no Planum Australe: Australe Lingula e Promethei Lingula, seccionadas por vários cânions: Promethei Chasma, Ultimum Chasma, Chasma Australe e Australe Sulci. Teoriza-se que estes cânion são produto do vento catabático[6] . A maior cratera de Planum Australe é a cratera McMurdo.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Phillips, Tony. Mars is Melting Science @ NASA. Página visitada em 2006-10-20.
  2. Sigurdsson, Steinn. Global warming on Mars? RealClimate.org. Página visitada em 2006-10-20.
  3. Byrne, Shane. (14 February). "A Sublimation Model for Martian South Polar Ice Features". Science 299: 1051 - 1053.
  4. Water at Martian south pole European Space Agency. Página visitada em 2006-10-22.
  5. Mars' South Pole mystery Spaceflight Now. Página visitada em 2006-10-26.
  6. Kolb, Eric J.; Kenneth L. Tanaka. (2006). "Accumulation and erosion of south polar layered deposits in the Promethei Lingula region, Planum Australe, Mars". The Mars Journal 2: 1-9. Mars Informatics Inc.. doi10.1555/mars.2006.0001.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Wikinotícias
O Wikinotícias tem uma ou mais notícias relacionadas com este artigo: Massive ice deposits found on Mars

Ligações externas[editar | editar código-fonte]