Sandra Day O'Connor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. (desde outubro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Sandra Day O'Connor (El Paso, 26 de março de 1930) é uma jurista estadunidense, que foi juíza associada da Suprema Corte dos Estados Unidos de 25 de setembro de 1981 a 31 de janeiro de 2006.

Casou-se com John Jay O'Connor III em 1952 e tem três filhos: Scott, Brian e Jay. Gradou-se e doutorou-se na Universidade de Stanford.

Foi Subprocuradora do Condado de San Mateo, Califórnia, de 1952 a 1953;advogada civil para o Centro Mercantil Quatermaster de Frankfurt, Alemanha, de 1954 a 1957; advogada em Marivale, Arizona, de 1958 a 1960; Subprocuradora Geral do Arizona de 1965 a 1969; foi nomeada senadora pelo estado de Arizona em 1969 e posteriormente reeleita por dois períodos bienais; eleita juíza do Tribunal do Condado de Maricopa em 1975 e exerceu esse cargo até 1979; ingressou no Tribunal de Apelações do Arizona em 1979 e ficou até 1981.

O presidente Ronald Reagan a nomeou juíza associada da Suprema Corte dos Estados Unidos, cargo que assumiu em 25 de Setembro de 1981. Renunciou a seu cargo de juíza e abandonou a Suprema Corte em 31 de Janeiro de 2006.

Marcou sua magistratura pela moderação e equilíbrio entre o conservadorismo em questões penais e liberalismo em questões sobre o aborto.

Precedido por
Potter Stewart
Juíza associada da Suprema Corte dos Estados Unidos
25 de setembro de 1981 - 31 de janeiro de 2006
Sucedido por
Samuel Alito Jr.