John Tyler

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
John Tyler
10º Presidente dos Estados Unidos Estados Unidos
Mandato 4 de abril de 1841
a 4 de março de 1845
Vice-presidente Nenhum
Antecessor(a) William Henry Harrison
Sucessor(a) James K. Polk
10º vice-presidente dos Estados Unidos Estados Unidos
Mandato 4 de março de 1841
a 4 de abril de 1841
Antecessor(a) Richard Mentor Johnson
Sucessor(a) George M. Dallas
Senador dos Estados Unidos pela Virgínia
Mandato 4 de março de 1827
a 29 de fevereiro de 1836
Antecessor(a) John Randolph
Sucessor(a) William Cabell Rives
23º governador da Virgínia
Mandato 10 de dezembro de 1825
a 4 de março de 1827
Antecessor(a) James Pleasants
Sucessor(a) William Branch Giles
Membro da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos pelo 23º distrito da Virgínia
Mandato 17 de dezembro de 1816
a 4 de março de 1827
Antecessor(a) John Clopton
Sucessor(a) Andrew Stevenson
Vida
Nome completo John Tyler, Jr.
Nascimento 29 de março de 1790
Condado de Charles City, Virgínia,  Estados Unidos
Morte 18 de janeiro de 1862 (71 anos)
Richmond, Virgínia,
Second national flag of the Confederate States of America.svg Estados Confederados da América
Dados pessoais
Alma mater College of William & Mary
Cônjuge Letitia Christian (1813–1842)
Julia Gardiner (1844–1862)
Partido Sem partido (1841–1862)
Religião Deísmo
Presbiterianismo
Profissão Advogado
Assinatura Assinatura de John Tyler

John Tyler, Jr. (Condado de Charles City, 29 de março de 1790Richmond, 18 de janeiro de 1862) foi o 10º presidente dos Estados Unidos logo após ser o 10º vice-presidente dos Estados Unidos. Natural da Virgínia, Tyler atuou como deputado estadual, governador, representante dos EUA e senador antes de ser eleito vice-presidente nas eleições de 1840. Ele foi o primeiro a ascender à presidência por morte do presidente, sucedendo William Henry Harrison. Sua oposição ao nacionalismo e forte apoio aos direitos estaduais o tornou querido por outros virginianos, mas o alienou da maioria de seus aliados políticos que o levaram até Washington. A presidência de Tyler foi prejudicada pelos dois partidos, e perto do final da sua vida ele aliaria-se com o Sul e os Estados Confederados da América.

Tyler nasceu em uma família aristocrata da Virgínia, descendente de ingleses, ganhando proeminência nacional em uma época de agitação política. Na década de 1820, o único partido político do país, o Democrata-Republicano, dividiu-se em várias facções, mas a maioria não compartilhava os rigorosos ideiais construtivistas de Tyler. Apesar de ter sido inicialmente um Democrata, sua oposição a Andrew Jackson e Martin van Buren o levou até o Partido Whig; ele foi eleito vice-presidente em 1840 na chapa Whig. Quando o Presidente Harrison morreu em 4 de abril de 1841, um mês após sua posse, um pequena crise constitucional começou sobre o processo de sucessão. Tyler imediatamente mudou-se para a Casa Branca, fez o juramento e assumiu todos os deveres e poderes presidenciais, um precedente que governaria sucessões futuras até ser validada pela Vigésima Quinta Emenda.

Como presidente, Tyler se opôs a plataforma Whig e vetou várias de suas propostas. Como resultado, a maioria dos membros do seu gabinte renunciaram, e os Whigs, chamando-o de Sua Acidência, o expulsaram do partido. Apesar de ter enfrentado um impasse na política doméstica, ele ainda conseguiu várias realizações internacionais, como o Tratado Webster-Ashburton com o Reino Unido e o Tratado de Wanghia com a Dinastia Qing da China. Tyler dedicou seus últimos dois anos no cargo na anexação do Texas. Ele tentou ser reeleito, mas o Whigs e os Democratas o impediram. Seus esforços para criar um novo partido foram infrutíferos. Entretanto, nos últimos dias do seu mandato, o Congresso ratificou uma resolução autorizando a anexação, que foi completada por seu sucessor, James K. Polk.

Tyler aposentou-se da política até o início da Guerra de Secessão em 1861. Ele aliou-se ao governo dos Estados Confederados da América, vencendo uma eleição para a Câmara dos Representantes Confederados pouco antes de sua morte. Apesar de alguns terem elogiado as resoluções políticas de Tyler, sua presidência é tida em baixa estima por historiadores; hoje ele é considerado um presidente obscuro, com pouco presença na memória cultural norte-americana.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Infância[editar | editar código-fonte]

John Tyler, Jr., nasceu a 29 de março de 1790 no Condado de Charles City, na Virgínia (o mesmo condado onde William Henry Harrison nascera).[1] O pai de Tyler era John Tyler, Sr., e sua mãe Mary Armistead Tyler.[1]

Tyler foi educado, juntamente com 7 irmãos, para ser parte dos nobres de elite da região, recebendo uma boa educação.[1] Cresceu acreditando que a Constituição dos Estados Unidos seria para ser rigorosamente interpretada e nunca perderia essa convicção.[2]

Enquanto Tyler crescia, o seu pai, amigo de Thomas Jefferson, era dono de uma plantação de tabaco de mais de 1000 acres (4 km2) trabalhado por dúzias de escravos, além de trabalhar como juiz em Richmond. Quando Tyler tinha sete anos de idade, a sua mãe faleceu de um ataque cardíaco. Com 12 anos, ele entrou para o ramo preparatório do the College of William and Mary, alistando-se ali mesmo ao programa colegial.[1] Tyler acabaria o colégio em 1807, com dezessete anos.[1]

Advogado, guerra de 1812 e início da carreira política[editar | editar código-fonte]

Tyler estudou direito com seu pai, que se tornou Governador da Virgínia (1808-1811). Após ser legalmente admitido enquanto advogado iniciou a profissão no Condado de Charles City. Apoiou a luta contra os ingleses na guerra de 1812, assumindo o comando de uma pequena milícia embora não tenha participado em nenhuma ação.[1] Em 1811 tornara-se membro da Casa de Delegados da Virgínia, e em 1816 foi nomeado membro do concelho de estado.

Primeira esposa: Letitia Christian Tyler

Vida política[editar | editar código-fonte]

Durante um longo tempo democrata-republicano, Tyler foi eleito Vice-Presidente dos Estados Unidos, junto com William Henry Harrison, sobre o bilhete do Partido Whig.

Após a morte do presidente Harrison, em 4 de abril de 1841, apenas um mês após sua posse, a nação foi brevemente mergulhada um estado de confusão, relativa ao processo de sucessão. Em última instância, a situação foi resolvida com Tyler tornando-se o novo presidente, tanto em nome e em verdade, o que levou-o aos juramentos presidenciais, no dia 6 de abril de 1841 iniciando um costume que iria reger sucessões futuras.

Mas, só em 1967, os plenos poderes de sucessão do vice-presidente, iniciados por John Tyler, foram legalmente codificados na vigésima quinta alteração da Constituição estadunidense.

Provavelmente, a mais famosa e importante conquista da administração de Tyler, foi a anexação da República do Texas ao território estadunidense, em 1845. Tyler foi o primeiro presidente nascido após a aprovação da Constituição dos Estados Unidos da América (1787), e o único presidente a ter realizado o cargo de presidente e senador ao mesmo tempo.

Referências

  1. a b c d e f John Tyler: Life Before the Presidency. Página visitada em 2008-11-16.
  2. White House Biography of John Tyler. Página visitada em 2008-11-15.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Imagens e media no Commons
Precedido por
William Henry Harrison
Seal of the President of the United States.svg
10.º Presidente dos Estados Unidos
18411815
Sucedido por
James K. Polk
Ícone de esboço Este artigo sobre um Presidente dos Estados Unidos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.