Chester A. Arthur

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Chester A. Arthur
21º Presidente dos Estados Unidos Estados Unidos
Mandato 19 de setembro de 1881
a 4 de março de 1885
Vice-presidente Nenhum
Antecessor(a) James A. Garfield
Sucessor(a) Grover Cleveland
20º vice-presidente dos Estados Unidos Estados Unidos
Mandato 4 de março de 1881
a 19 de setembro de 1881
Antecessor(a) William A. Wheeler
Sucessor(a) Thomas A. Hendricks
Vida
Nome completo Chester Alan Arthur
Nascimento 5 de outubro de 1829
Fairfield, Vermont,
 Estados Unidos
Morte 18 de novembro de 1886 (57 anos)
Nova Iorque, Nova Iorque,
 Estados Unidos
Dados pessoais
Alma mater Union College
State and National Law School
Cônjuge Ellen Lewis Herndon (1859–1880)
Partido Republicano (1854–1886)
Religião Episcopalismo
Profissão Advogado
Assinatura Assinatura de Chester A. Arthur
Serviço militar
Lealdade Estados Unidos
União
Serviço/ramo Exército da União
Graduação General de Brigada
Unidade Guarda de Nova Iorque
Batalhas/guerras Guerra de Secessão

Chester Alan Arthur (Vermont, 5 de outubro de 1829Nova York, 18 de novembro de 1886) foi um advogado, militar e político estadunidense. Foi o vigésimo primeiro presidente dos Estados Unidos, de 1881 a 1885, e vigésimo vice-presidente de seu país. Assumiu a presidência em 19 de setembro de 1881, após a morte do titular, James A. Garfield.

Chester Alan Arthur nasceu em 5 de outubro de 1829 em Fairfield, Vermont, seu pai William Arthur era um pregador irlandês da Igreja Batista, vindo do Canadá Inferior (atual Quebec) Arthur se formou no Union College, em 1848. Atuou como professor, entrou para a ordem dos advogados e praticou advocacia em Nova Iorque. Na Guerra Civil[1] , serviu como general intendente do Estado de Nova Iorque. Em 1860, Arthur foi nomeado como militar pessoal do Governador Edwin D. Morgan.[2]

Em 1871, quando o presidente Ulysses Grant o nomeou coletor do porto de Nova Iorque, Arthur proveu a Alfândega de mais funcionários do que o necessário, mantendo-os por serem membros do partido em vez de funcionários do governo, numa clara demonstração de corporativismo republicano.

O presidente Rutherford B. Hayes (1877 - 1880), tentando reformar a Alfândega, afastou Arthur em 1878. Republicanos como Rosco Conkling, diretor da Alfândega, e aliado de Arthur, lutaram pela reindicação de Grant em 1880. Ao fracassarem, eles relutantemente aceitaram a indicação de Arthur para a vice-presidência, na chapa do partido.

Durante seu breve exercício da vice-presidência, Arthur permaneceu ao lado de Conkling em sua luta contra o presidente Garfield. Mas quando Arthur o sucedeu na presidência, ele estava disposto a provar que estava acima da máquina política.

Evitando velhos amigos políticos, ele se associou às elites de Washington, Nova Iorque e Newport. Para a indignação dos republicanos "stalwart" (resolutos, leais), Arthur agora defendia a reforma do serviço civil. A pressão popular forçou um Congresso desajeitado a atender ao presidente.

Assim como seus antecessores republicanos, Arthur lutou com a questão de como o seu partido estava a desafiar os democratas no Sul e como, se em tudo, para proteger os direitos civis dos negros sulistas.[3]

Em 1883, ele aprovou a Lei Pendleton, que estabelecia uma Comissão de Serviço Civil bipartidária e exigia um "sistema de avaliação" que tornava a seleção para alguns cargos do governo apenas por concurso com exames escritos. O sistema também protegia os funcionários contra afastamentos por motivos políticos.

Ao sancionar a primeira lei federal geral de imigração, o governo Arthur aprovou uma medida em 1882 que excluía pobres, criminosos e portadores de deficiência mental. O Congresso suspendeu a imigração chinesa por dez anos, posteriormente tornando a restrição permanente.

Arthur também tentou reduzir as taxas para que o governo não ficasse embaraçado devido a superávits anuais de receita. Mas o Congresso elevou praticamente na mesma proporção em que ele abaixou.

Quando Arthur sancionou a Lei Tarifária de 1883, habitantes enfurecidos do Oeste e do Sul se voltaram para o Partido Democrata para alterá-la, fazendo com que a questão despontasse como uma grande disputa política entre as partes.

Arthur demonstrou como presidente que estava acima das facções dentro do Partido Republicano, apesar de não acima do partido em si. Talvez seu motivo fosse, em parte, um segredo bem-guardado do qual tinha conhecimento desde o ano posterior à sua ascensão à presidência: o de que estava sofrendo de uma doença renal fatal. Ele disputou a indicação presidencial em 1884 para não parecer que temia a derrota, mas não foi indicado novamente. Chester A. Arthur faleceu em 1886, em Nova Iorque.

Referências

  1. Reeves 1975, p. 4; Howe, p. 4
  2. Howe, pp 18-19.
  3. Reeves 1975, pp 306-308; Doenecke, pp 105-108.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Willis J. Abbot. The Naval History of the United States (em inglês). [S.l.]: Peter Fenelon Collier, 1896. vol. 2. Página visitada em 21 de setembro de 2012.
  • Edward L. Ayers. The Promise of the New South: Life After Reconstruction (em inglês). Nova Iorque: Oxford University Press, EUA, 2007. ISBN 978-0-19-532688-8
  • Justus D. Doenecke. The Presidencies of James A. Garfield and Chester A. Arthur (em inglês). Lawrence, Kansas: University Press of Kansas, 1981. ISBN 978-0-7006-0208-7

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons
Ícone de esboço Este artigo sobre um Presidente dos Estados Unidos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.