William Henry Harrison

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
William Henry Harrison
9º presidente dos Estados Unidos Estados Unidos
Período de governo 4 de março de 1841
a 4 de abril de 1841
Vice-presidente John Tyler
Antecessor(a) Martin van Buren
Sucessor(a) John Tyler
Senador dos Estados Unidos por Ohio
Período de governo 4 de março de 1825
a 20 de maio de 1828
Antecessor(a) Ethan Allen Brown
Sucessor(a) Jacob Burnet
Membro da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos pelo 1º distrito de Ohio
Período de governo 8 de outubro de 1816
a 3 de março de 1819
Antecessor(a) John McLean
Sucessor(a) Thomas R. Ross
Governador do Território de Indiana
Período de governo 10 de janeiro de 1801
a 28 de dezembro de 1812
Sucessor(a) Thomas Posey
Secretário do Território do Noroeste
Período de governo 28 de junho de 1798
a 1º de outubro de 1799
Antecessor(a) Winthrop Sargent
Sucessor(a) Charles Willing Byrd
Vida
Nascimento 9 de fevereiro de 1773
Condado de Charles City, Colônia da Virgínia
Morte 4 de abril de 1841 (68 anos)
Washington, D.C.,
 Estados Unidos
Dados pessoais
Alma mater Hampden–Sydney College
Universidade da Pensilvânia
Cônjuge Anna Harrison (1795–1841)
Partido Whig
Religião Episcopal
Profissão Oficial militar
Assinatura Assinatura de William Henry Harrison
Serviço militar
Serviço/ramo Exército dos Estados Unidos
Milícia de Indiana
Anos de serviço 1791–1797
1811
1812–1814
Graduação Tenente (exército)
Major General (milícia)
Unidade Legião dos Estados Unidos
Comandos Exército do Noroeste
Batalhas/guerras Guerra Indígena do Noroeste
Guerra de Tecumseh
Guerra de 1812

William Henry Harrison (Condado de Charles City, 9 de fevereiro de 1773Washington, D.C., 4 de abril de 1841) foi um oficial militar e político que serviu como o nono presidente dos Estados Unidos, sendo o primeiro a morrer em exercício. Ele tinha 68 anos e 23 dias quando tomou posse, o mais velho presidente até Ronald Reagan em 1981, e o último presidente a nascer antes da Declaração de Independência dos Estados Unidos. Harrison morreu no 32º dia de seu mandato por causa de uma pneumonia, servindo o mandato mais curto na história presidencial norte-americana. Sua morte iniciou uma breve crise constitucional, porém essa crise acabou resolvendo muitas questões deixadas em aberto pela Constituição sobre a sucessão presidencial até a ratificação da Vigésima Quinta Emenda.

Antes de ser eleito presidente, Harrison serviu como o primeiro representante do Território do Noroeste no congresso e governador do Território de Indiana. Ele conseguiu fama nacional por liderar as forças armadas norte-americanas contra os índios na Batalha de Tippecanoe em 1811, conseguindo o apelido de "Tippecanoe" (ou "Velho Tippecanoe"). Como general na Guerra anglo-americana de 1812, sua maior contribuição foi a vitória na Batalha do Tâmisa em 1813, que terminou com os conflitos na região.

Após a guerra, Harrison mudou-se para Ohio, onde foi eleito para a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos e depois, em 1824, para o senado. Ele serviu um mandato truncado até ser nomeado ministro plenipotenciário na Colômbia. Lá, Harrison pediu para Simón Bolívar fazer o país adotar uma democracia similar a norte-americana. Ele então voltou para sua fazenda em Ohio, vivendo em aposentadoria até ser indicado a presidência em 1836. Derrotado, ele aposentou-se novamente até ser eleito em 1840. Harrison morreu de pneumonia em abril de 1841, um mês após ter tomado posse.

Início de vida[editar | editar código-fonte]

Primeiros anos e educação[editar | editar código-fonte]

William Henry Harrison nasceu em 9 de fevereiro de 1773, filho caçula de Benjamin Harrison V e o sétimo de Elizabeth Bassett Harrison. Eles eram uma proeminente família política que vivia no Condado de Charles City, Virgínia.[1] Ele foi o último presidente a nascer como um súdito britânico antes da Independência. Seu pai era um fazendeiro e representante no Congresso Continental que assinou a Declaração de Independência. Ele foi governador da Virgínia entre 1781 e 1784.[2] O irmão mais velho de William, Carter Bassett Harrison, foi eleito deputado por Virgínia na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos.[1]

Em 1787, aos 14 anos de idade, Harrison entrou no Hampden-Sydney College.[3] Ele ficou na escola até 1790, tornando-se bem versado em latim e francês básico. Seu pai episcopal o tirou da escola, possivelmente por causa de um ressurgimento religioso que estava ocorrendo na instituição presbiteriana. Ele então estudou por pouco tempo em uma escola no Condado de Southampton. Ele supostamente envolveu-se com os quakers e metodistas anti-escravagistas lá.

Enfurecido, seu pai escravagista o transferiu para a Filadélfia, embarcando com Robert Morris, provavelmente por causa de treinamento médico disponível na cidade. Harrison entrou na Universidade da Pensilvânia em 1790, continuando a estudar medicina com o Dr. Benjamin Rush.[4] Como Harrison explicou para seu biógrafo, ele não gostava da matéria. Pouco depois em 1791, seu pai morreu, o deixando sem dinheiro para pagar os estudos. Com dezoito anos, ele ficou aos cuidados de Morris.[5]

Início da carreira militar[editar | editar código-fonte]

Henry Lee III, governador da Virgínia, amigo do pai de Harrison, soube da situação empobrecida dele após a morte do pai e lhe convenceu a se alistar no exército. Um dia após encontrar-se com Lee, aos dezoito anos de idade, Harrison foi comissionado como um alferes no 11º Regimento de Infantaria do Exército dos Estados Unidos. Ele foi designado para Cincinnati no Território do Noroeste, onde o exército estava lutando a Guerra Indígena do Noroeste.[6]

O General Anthony Wayne assumiu o comando do exército ocidental em 1792 após seu predecessor, Arthur St. Clair, ter sofrido uma enorme derrota. Harrison foi logo promovido a tenente por causa de sua rigorosa atenção à disciplina, e no ano seguinte ele foi promovido para servir como ajudante de ordens. Harrison aprendeu com Wayne como comandar um exército de forma bem sucedida no Velho Oeste. Ele participou da decisiva vitória na Batalha de Fallen Timbers em 1794, que terminou com o conflito.[7] Após a guerra, Harrison foi um dos signatários do Tratado de Greenville em 1795, que abriu muito do atual estado do Ohio para colonização.[1] [8] [9]

Após a morte de sua mãe em 1793, Harrison herdou parte da propriedade da família, incluindo três mil acres de terra e vários escravos. Ainda no exército, ele vendeu sua parte para o irmão.[10]

Casamento e família[editar | editar código-fonte]

Em 1795, Harrison conheceu Anna Symmes. Ela era a filha do Juiz John Cleves Symmes, uma importante figura de Ohio, e antigo representante no Congresso da Confederação.[1] Quando Harrison pediu a Symmes permissão para casar-se com Anna, ele recusou. Harrison esperou Symmes sair para uma viagem de negócios, então ele e Anna fugiram e se casaram em 25 de novembro de 1795.[11] Depois disso, Symmes, preocupado se Harrison conseguiria sustentar Anna, vendeu ao casal uma terra de 160 acres em North Bend.[12]

Juntos eles tiveram dez filhos. Nove viveram até a vida adulta e um morreu ainda criança. Anna estava frequentemente doente, principalmente devido a suas gravidezes.[13] Mesmo assim, ela viveu 23 anos a mais que Harrison, morrendo com 88 anos no dia 25 de fevereiro de 1864.

Acredita-se que Harrison teve seis filhos com uma de suas escravas, Dilsia. Quando ele concorreu a presidente, Harrison não queria "filhos escravos bastardos" por perto, então ele deu quatro deles para seu irmão, que os vendeu para um fazendeiro da Georgia. Através dessa linhagem, Harrison é o bisavô do famoso ativista dos direitos dos negros Walter Francis White. White foi presidente da NAACP de 1931 a 1955.[14]

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Harrison saiu do exército em 1797 e começou a fazer campanha entre seus amigos e familiares para conseguir um cargo no governo do Território do Noroeste. Com a ajuda de seu amigo Timothy Pickering, Secretário de Estado, ele foi recomendado para ser o novo Secretário do Território do Noroeste. Ele foi nomeado para o cargo, tempo o qual ele também serviu como governador interino durante as frequentes ausências do governador Arthur St. Clair.[1] [8] [15] [16]

Membro do Congresso[editar | editar código-fonte]

Harrison tinha muitos amigos nas elites do leste, e rapidamente conseguiu a reputação de um líder da fronteira.[15] Ele tinha vários empreendimentos de criação de cavalos que lhe deram fama no Teritório do Noroeste.[17] Ele defedia preços baixos para as terras, a principal preocupação dos habitantes daquela área no momento. O Congresso dos Estados Unidos havia ratificado uma política que levou a altos preços para as terras, algo que não foi bem recebido pelos cidadãos. Quando Harrison concorreu ao Congresso, ele fez campanha dizendo que trabalharia para alterar essa situação e incentivar a migração para o território.[18] Em 1799, aos 26 anos, ele derrotou o filho de St. Clair e foi eleito o primeiro deputado representante do Território do Noroeste. Seu mandato durou entre 4 de março de 1799 a 14 de maio de 1800.[1] [19] Como era representante de um território, não de um estado, ele não podia votar em projetos de lei, porém podia participar de debates, servir em comitês e propor legislações.[20]

Como representante, Harrison conseguiu a aprovação da Lei da Terra de 1804. Isso facilitou a aquisição de terras no Território do Noroeste por parte dos colonos comuns, permitindo que a terra fosse vendida em pequenos lotes. A disponibilidade de terras baratas foi um importante fator para o rápido crescimento populacional daquele território.[21] Harrison também serviu no comitê que decidiu como dividir o Território no Noroeste. O comitê recomendou dividir a área em dois segmentos, criando o Território de Ohio e o Território de Indiana. O projeto de lei foi aprovado e os territórios foram estabelecidos em 1800.[22]

O presidente John Adams, sem informar Harrison, o nomeou para ser o governador do Território de Indiana, baseando-se em seus "laços" com o oeste e sua aparente neutralidade política. O Senado confirmou a nomeação no dia seguinte.[23] Surpreso e desprevenido, Harrison aceitou depois do Partido Democrata-Republicano ter lhe assegurado que ele não seria tirado no cargo assim que eles chegassem ao poder nas eleições seguintes.[24] Ele então renunciou do Congresso.[25] O Território de Indiana consistia nos atuais estados de Indiana, Illinois, Michigan, Wisconsin e a parte leste de Minnesota.[26]

Governador[editar | editar código-fonte]

A mansão Grouseland, construída por Harrison em Vincennes.

Harrison mudou-se em 10 de janeiro de 1801 para Vincennes, a capital do recém estabelecido Território de Indiana.[25] Na cidade, ele construíu uma mansão chamada Grouseland por causa de seus muitos pássaros. Foi uma das primeiras estruturas de tijolos do território. A casa, que foi restaurada e hoje tornou-se uma atração turística popular, servia como o centro da vida política e social do território.[13] Ele também construiu uma segunda casa perto de Corydon, a segunda capital.[27]

Como governador, Harrison tinha vários poderes, incluindo a autoridade de nomear todos os oficiais do território, de criar a legislação e de controlar a divisão territorial em distritos. Uma de suas principais responsabilidades era obter o território das tribos nativo americanas. Isso permitira a expansão da colonização e o aumento da população para que o território virasse um estado.[1] Harrison queria expandir o território também por motivos pessoais, já que sua perspectiva política estava ligada ao crescimento de Indiana. Em 1803, o presidente Thomas Jefferson deu a Harrison permissão para negociar e fechar tratados com as tribos indígenas.

Harrison supervisionou o desenvolvimento de treze tratados que aumentaram o território em mais de sessenta milhões de acres, incluindo muito da atual porção sul de Indiana. O Tratado de St. Louis de 1804 com Quashquame levou a rendição dos sauk e meskwaki e a entrega da parte ocidental de Illinois e partes do Missouri. O tratado e a perda das terras foram sentidas por muits sauk e especialmente Black Hawk. Esta foi a principal razão pelo que os sauk se aliaram ao Reino Unido durante a Guerra de 1812. Harrison achou que o Tratado de Grouseland em 1805 havia apaziguado os problemas com os nativos, mas as tensões na fronteira continuaram altas.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Harrison, originalmente ganhou fama nacional pela liderança das forças dos Estados Unidos contra os ameríndios na Batalha de Tippecanoe, em 1811, onde obteve a alcunha "Tippecanoe" (ou "Old Tippecanoe"). De forma geral, na subsequente Guerra de 1812, sua mais notável contribuição foi uma vitória na Batalha do Rio Tâmisa, em 1813, que trouxe a guerra na sua região para uma conclusão bem sucedida.[28]

Depois da guerra, Harrison mudou-se para o estado de Ohio, onde foi eleito para o Congresso dos Estados Unidos e, em 1824, no Senado, atuou truncadamente, antes de ser nomeado Ministro Plenipotenciário, para a Colômbia, em maio de 1828. Na Colômbia, ele deu lições a Simon Bolivar, sobre melhores pontos de democracia, antes de regressar à sua fazenda no estado de Ohio,[28] onde viveu até à sua aposentadoria, em razão à sua nomeação fracassada para a presidência em 1836. Contrariado, ele se aposentou novamente, antes de aceitar a sua segunda candidatura presidencial ao ato eleitoral de 1840.[28]

Presidência[editar | editar código-fonte]

Harrison serviu apenas trinta dias, o mais curto período de governo de um presidente, antes de sua morte, em abril de 1841[28] . Sua morte criou uma breve crise constitucional, mas finalmente resolveu muitas questões sobre a sucessão presidencial deixada sem resposta pela Constituição, até à passagem da vigésima-quinta emenda.

Antes da eleição para Presidente, Harrison serviu como o primeiro governador do Território de Indiana e, mais tarde, representante dos Estados Unidos, e senador por Ohio. Na sua posse presidencial, proferiu o discurso mais longo da história das inaugurações presidenciais do país: duas horas e quarenta e sete minutos.

Falecimento[editar | editar código-fonte]

Em 26 de março, Harrison ficou doente, com um resfriado. De acordo com a errada concepção médica da época, acreditava-se que sua doença foi diretamente causada pelo mau tempo na sua posse pois fazia muito frio. Seu discurso de posse foi ao ar livre e é o mais longo feito por um presidente americano para a ocasião. No entanto, a doença de Harrison não surgiu até mais de três semanas após o evento.

O resfriado rapidamente piorou, evoluindo para uma pneumonia que provocou a morte de Harrison em 4 de abril de 1841, em Washington. Encontra-se sepultado em William Henry Harrison Memorial, North Bend, Condado de Hamilton, Ohio nos Estados Unidos.[29]

Harrison serviu mais curto prazo de qualquer presidente americano: 4 março - 4 abril de 1841, 30 dias, 12 horas e 30 minutos.[30]

Após sua morte, foi sucedido na presidência pelo seu vice-presidente, John Tyler. Seu neto, Benjamin Harrison, foi posteriormente o vigésimo-terceiro presidente dos Estados Unidos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g William Henry Harrison Casa Branca. Visitado em 16 de dezembro de 2012.
  2. Owens 2007, p. 3
  3. Freehling, William. William Henry Harrison: Life Before the Presidency American President: A Reference Resource Universidade da Virgínia. Visitado em 16 de dezembro de 2012.
  4. Owen 2007, p. 14
  5. Langguth 2007, p. 16
  6. Owens 2007, pp. 14, 22
  7. Owens 2007, p. 27
  8. a b Langguth 2007, p. 160
  9. Owens 2007, pp. 21, 27-29
  10. Owens 2007, p. 39
  11. Owens 2007, pp. 38-39
  12. Owens 2007, p. 40
  13. a b Owens 2007, p. 56
  14. Janken, Kenneth Robert. Walter White: Mr. NAACP. Chapel Hill: UNC Press. p. 3-4.
  15. a b Owens 2007, p. 41
  16. Owens 2007, p. 9
  17. Owens 2007, p. 43
  18. Owens 2007, pp. 44-45
  19. HARRISON, William Henry, (1773 - 1841) Biographical Directory of the United States Congress. Visitado em 17 de dezembro de 2012.
  20. Owens 2007, p. 45-46
  21. Langguth 2007, p. 161
  22. Owens 2007, pp. 47-48
  23. Owens 2007, p. 50
  24. Owens 2007, p. 51
  25. a b Owens 2007, p. 53
  26. Owens 2007, pp. 49, 50, 54
  27. Funk 1969, p. 167
  28. a b c d William Henry Harrison - Biografia. Visitado em 25 de agosto de 2012.
  29. William Henry Harrison (em inglês) no Find a Grave.
  30. Miller Center (2008). President Harrison Dies–April 4, 1841 (em inglês) University of Virginia Events in Presidential History. Visitado em 25 de agosto de 2012.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Funk, Arville. A Sketchbook of Indiana History. Rochester: Christian Book Press, 1969.
  • Langguth, A. J.. Union 1812:The Americans Who Fought the Second War of Independence. Nova Iorque: Simon & Schuster, 2007. ISBN 978-1-4165-3278-1.
  • Owens, Robert M.. Mr. Jefferson's Hammer:William Henry Harrison and the Origins of American Indian Policy. Norman: University of Oklahoma Press, 2007. ISBN 978-0-8061-3842-8.

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Imagens e media no Commons
Precedido por
Martin Van Buren
Seal of the President of the United States.svg
9.º Presidente dos Estados Unidos
1841
Sucedido por
John Tyler
Ícone de esboço Este artigo sobre um Presidente dos Estados Unidos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.