Satellaview

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Fevereiro de 2008).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

O Satellaview era um acessório para o Nintendo's Super Famicom (SNES) no Japão que funcionava como um modem via satélite. Ele custava ¥14,000.

O nome "Satellaview" acredita-se originar da fusão das palavras Satellite+view (Satélite + Visão). Entretanto, o nome completo do console raramente é usado, sendo mais conhecido como BS-X; sendo que BS significa Broadcast Satellaview (Satellaview Difundido), e X significa "desconhecido" ou "sem nome".

Parece que em algum lugar da internet, alguém começou a chamá-lo de "Bandai" Satellaview, e a maioria dos sites atuais se referem a ele assim, mas não há nem sinal do logo da Bandai ou qualquer tipo de documentação com o nome da empresa, ou mesmo a própria interface de BIOS.

Os títulos para BS-X se dividiam em várias categorias:

  • Lançamentos exclusivos, continuações em séries famosas disponíveis apenas no BS-X; elas ainda são exclusivas, porque nunca foram relançadas.
  • Relançamentos idênticos aos cartuchos normais de jogos do Super Famicom, exceto o formato desenvolvido para ser distribuído por satélite.
  • Remakes de antigos jogos de Famicom, extremamente melhorados, como nos casos do BS Zelda e BS Mario ExciteBike
  • Títulos de Super Famicom remixados também foram lançados, como no caso de BS Zelda: Kodai no Sekiban
  • Criações originais; havia uma porção de jogos de BS-X que não faziam parte de nenhuma série de sucesso.

Independente do jogo lançado, eles eram distribuídos em servidores que ficavam online por semanas ou mesmo dias, normalmente divididas em quatro partes. Alguns jogos tinham fases extras que iam além do jogo original, como BS Zelda "~Map2~" (o único nome conhecido), o qual incluía nove dungeons completamente novas, além das nove já existentes no primeiro BS Zelda distribuído. Entretanto, a save de um jogador não poderia ser usada nos novos mapas, e assim como no The Legend of Zelda's "Second Quest", o jogador tinha que começar do zero.

O sistema vinha no mínimo com:

  • Adaptador Satellaview, encaixado no fundo do Super Famicom e plugado na (anteriormente inútil) porta de expansão;
  • Bracket em formato de L, que energizava o Satellaview através do Super Famicom;
  • Cartucho de Aplicações "BS-X : Soreha namae o nusumareta machi no monogatari" (traduz-se como A História da Cidade Onde Os Nomes Foram Roubados)

Essa aplicação era um jogo na verdade. O jogador escolhia o nome e sexo, e caminhava pela cidade, sendo que cada casa ou loja na cidade era um link direto para um jogo em particular, que estaria carregado e pronto para jogar, caso o jogador escolhesse aquela construção.

O sistema deluxe continha o básico mais:

A base do BS-X continha uma memória própria, mas não era muito (cerca de 512KB) então para jogos maiores, ou para vários jogos serem salvos de uma vez, um Cartão de Memória deveria ser comprado, senão a data antiga seria apagada.

O BS-X foi desenvolvido e lançado pela Nintendo, e St. GIGA foi responsável pelo servidor de aquivos e manutenção de outras coisas após cada jogo ser lançado.

Recursos Interativos[editar | editar código-fonte]

O sistema precisava que você assinasse com a estação de rádio satélite da St. GIGA, e durante um tempo limitado (entre 4:00 e 7:00 PM), você poderia baixar jogos e receber noticias sobre o mundo dos jogos (assim como propagandas), e salvar em um cartão de memória plugado no Satellaview. Também era possível jogar questionários, você recebia um score parcial ao fim da partida. Enviando seu highscore (provavelmente por e-mail, mas talvez via interface), seu score poderia ser gravado, e se fosse um score muito alto, você poderia ganhar um presente, como cartão telefônico ou um flash card.

Viva-Voz[editar | editar código-fonte]

Alguns jogos, como os dois BS Zeldas, tinham um recurso de “Viva-Voz” (voz armazenada em buffer), onde um “narrador” guiaria os jogadores através do jogo e daria dicas úteis ou avisos.

Um dos primeiros jogos, ou provavelmente o primeiro de um console da Nintendo, no BS Zelda: Kodai no Sekiban todas as CG´s eram gravados por atores (provavelmente ao vivo), assim como numa estação de rádio.

Graças a inclusão da Viva-Voz, o relógio, e outros elementos em tempo real, os BS Zeldas só poderiam ser jogados em algumas horas do dia, ao contrário da maioria dos jogos de BS-X.

Datas de Distribuição[editar | editar código-fonte]

Satellaview foi distribuído de 23 de Abril de 1995 até 30 de Junho de 2000. Ele continuou recebendo novos jogos até Março de 1999. O primeiro jogo no sistema foi o BS Zelda, um remake do famoso jogo de Famicom, o Zelda no Densetsu (aka. The Legend of Zelda). Ele logo foi seguido por BS Zelda: Kodai no Sekiban. Sem motivos aparentes, houve uma briga entre a Nintendo e a St. GIGA (algo a ver com o que ela compartilhava) e o serviço foi desabilitado.

Ícone de esboço Este artigo sobre hardware de jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Ícone de esboço Este artigo sobre a Nintendo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.