TV Acre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
TV Acre
Rede Amazônica
Rádio TV do Amazonas Ltda.
Rio Branco, Acre
Brasil
Tipo Empresa privada
Canais
04 VHF analógico
14 UHF e 4.1 Virtual digital
Outros canais 07 VHF (Senador Guiomard)
Sede Bandeira de Rio Branco.svg Rio Branco, AC
Edifício Tufic Assmar - Rua Jatobá, 14 - Loteamento Novo Horizonte
Slogan Sua escolha, nossa história
Rede Rede Amazônica (Globo)
Fundador Phelippe Daou
Pertence a Rede Amazônica
Proprietário Phelippe Daou
Presidente Phelippe Daou
CNPJ 04.387.825/0001-61
Fundação 16 de outubro de 1974 (40 anos) [nota 1]
Prefixo ZYA 200
Cobertura Estado do Acre (exceto Bujari, Jordão e Santa Rosa do Purus)
Redes anteriores TV Record e Rede Tupi (REI) (1974-1975)
Rede Bandeirantes (1975-1986)
Potência 5 kW
Página oficial Rede Amazônica

TV Acre é uma emissora de televisão brasileira com sede na cidade de Rio Branco, capital do estado do Acre. Opera nos canais 4 VHF e 14 UHF digital e é afiliada da Rede Globo. A emissora faz parte da Rede Amazônica, um complexo de emissoras de rádio e televisão espalhadas pelo norte brasileiro (exceto nos estados do Pará e Tocantins), de propriedade do empresário Phelippe Daou.

Até o ano de 2008, a emissora seguia normalmente a programação gerada pela Rede Globo das cidades do Rio de Janeiro e São Paulo. Porém, devido as novas regras de classificação indicativa do Ministério Público, a Rede Globo passou a gerar um sinal alternativo para as emissoras com o fuso horário em uma hora a menos em relação ao horário de Brasília (Rede Fuso). No caso da TV Acre, por estar com o fuso horário em duas horas a menos em relação ao Jorário de Brasília, a mesma transmite a programação da Rede Fuso só que com 1 hora a menos do que nos outros estados. Aos domingos, a TV Acre e o restante das emissoras que transmitem a Rede Fuso deixam de adotar tal sistema de programação a partir das 02:00 (01:00 em Rio Branco) com a mudança de horário da série Plantão Médico e exibindo em simultaneidade com o resto do país o Corujão e só voltam a Rede Fuso a partir das 02:00 (01:00 em Rio Branco) da segunda-feira com a exibição do episódio Plantão Médico, que é levado ao ar nesses estados 24 horas depois dos estados que adotam o Horário de Brasília ou que estão a 1 hora desse horário. A Rede Fuso não é exibida aos domingos devido aos programas terem uma classificação indicativa DJCTQ - L.svg ou DJCTQ - 10.svg, sendo assim, a gravação de programas é desnecessária.

História[editar | editar código-fonte]

O jornalista Phelippe Daou, entrou em 1972 na concorrência para adquirir a primeira emissora no estado, enquanto no mesmo ano entrava no ar a TV Amazonas. A concorrência saiu dois anos depois.

Em 1974, a convite do jornalista Phelippe Daou, o diretor-presidente da Rádio TV do Amazonas, Pedro Paulo Menezes Campos Pereira, chega a TV Acre como o primeiro funcionário contratado para assumir a função de repórter e âncora do primeiro telejornal da emissora, Jornal do Acre, tendo apresentado também, o programa esportivo A Bola é Nossa.

Foi na época de Campos Pereira que a TV Acre gerou as primeiras imagens aos telespectadores e justamente coube ao esporte o privilégio de ter as imagens na tela do televisor.

Com primeiras imagens geradas através de um pequeno transmissor instalado no Palácio do Bispo, no centro do Rio Branco, a TV Acre entrou no ar no canal 4, em caráter experimental em junho, apresentando primeiras imagens gravadas em fitas, vindas da TV Amazonas de Manaus, com cenas da Copa do Mundo de 1974. A exibição das partidas da copa tinha atraso de um dia em relação da emissora de Manaus.

Nesta época, um fato curioso e ao mesmo tempo histórico, foi à improvisação que fora implantada para alcançar os telespectadores. A chegada da nova Rede de Televisão surpreendeu a população local, que na sua maioria não possuía aparelho de televisão. Para difundir mais rapidamente, a emissora que acabara de chegar criando o acesso de um maior número de pessoas. As primeiras transmissões tiveram como palco a praça pública.

O diretor Tufic Assmar e o radialista Pedro Paulo Menezes Campos Pereira, transportavam e instalavam dois aparelhos de televisão na esplanada do Palácio Rio Branco, onde os receptores ficavam ligados para o público, sendo exibidos, desta forma, os tapes dos jogos da Copa do Mundo de Futebol, sempre do dia anterior. Sempre saudosista, Campos Pereira falava aos amigos com brilho nos olhos sobre a respeito da primeira transmissão ao vivo da história da televisão no Acre: a Copa do Mundo de 1974.

Apesar de ter jogado nos principais clubes da cidade, Campos Pereira tinha paixão pelo Rio Branco FC, também tinha grande admiração por duas equipes do futebol nacional: Fluminense FC e Corinthians. Seus comentários eram sinceros e polêmicos. O jornalista fez história não apenas no jornalismo esportivo, mas também no policial e político. Fez cobertura de jogos do Campeonato Brasileiro e também da Seleção Brasileira, além de cobrir visita de vários presidentes em solo acreano.

Em 16 de outubro de 1974, a TV Acre entra no ar definitivamente após quatro meses de testes, com primeiras imagens geradas através de um pequeno transmissor instalado o Palácio do Bispo.

As fitas com a programação gravada eram enviadas pela TV Amazonas de Manaus por viagens de aviões diariamente e exibidas com um dia de atraso em relação da emissora de Manaus, através de um televisor colocado na esplanada do Palácio Rio Branco, onde centenas de pessoas se reuniam para assistir às notícias do Brasil.

A nova emissora exibia a programação das redes Tupi e Record. No mesmo ano, se instalou definitivamente a sede na Rua Silvestre Coelho, centro do Rio Branco. Atualmente tem a sua sede própria: Rua Jatobá, 14, bairro Novo Horizonte.

Em 1975, a TV Acre passa a ter geração própria através da Embratel e aos poucos foi se modernizando. Com a geração da emissora pelo satélite, acabaram-se as viagens diárias de avião Manaus até Rio Branco, que geravam atrasos na exibição de programação gravada. No mesmo ano, a emissora torna-se afiliada à Rede Bandeirantes. A emissora opera desde então sozinha no Acre por 10 anos.

Em 20 de abril de 1986, deixa a Rede Bandeirantes e passa retransmitir a programação da Rede Globo. Vários programas locais da emissora são extintos, mas mantém o jornalismo local. Ironicamente, a afiliação à nova rede levou a exibição de telejornais há duas horas a menos em relação do horário de Brasília. Quando o governo federal do Brasil passou a adotar horário de verão anualmente desde 1985, passou a ter a programação de menos de 3 horas em relação de Brasília.

A partir dos anos 90, passou exibir telejornal nos intervalos, o telejornal Jornal 24h.

Em 2001, a TV Acre mudou todos os equipamentos, alguns desde anos 80 e grande maioria nos anos 90, para se transformar analógica para digital e se tornou hoje a emissora de TV mais moderna no Estado.

Quando o Ministério da Justiça reclassificou para maiores de 14 anos, a novela Celebridade no início de 2004, a TV Acre mudou a programação da Rede Globo, passando exibir às 21hs (antes era 20hs gravada, pois era classificada para maiores de 12 anos e exibida após 20hs). Enquanto isso, após a exibição da Sessão da Tarde (por volta das 15hs30), eram exibidos duas séries de classificação livre, depois a novela das 6, o telejornal local, a novela das 7 e o Jornal Nacional e finalmente Celebridade. Depois da novela Celebridade, era exibido o que passou a programação da Rede Globo (incluindo partidas de futebol de quarta-feira) ocorrido há duas horas atrás até a madrugada.

A emissora perdeu o primeiro funcionário da emissora: Pedro Paulo Menezes de Campos Pereira, que morreu no dia 27 de junho de 2004, aos 67 anos, de insuficiência pulmonar, quando então era comentarista da Rádio Difusora Acreana, a primeira emissora do rádio do Acre. Era casado com Dona Zilma e tinha oito filhos. Campos Pereira, ou Campito, como era chamado pelos amigos, nasceu em junho de 1936, na cidade de Rio Branco. Foi jogador de futebol, técnico, presidente da então Federação Acreana de Desporto e um dos fundadores da Associação dos Cronistas Esportivos. Apaixonado pelo radio-jornalismo, ele conquistou espaço na Imprensa, onde foi padrinho de muitos que hoje militam na área. O radialista começou sua carreira nos fins dos anos 60, quando trabalhou na Rádio Novo Andirá até ser contratado pela TV Acre em 1974.

Em 8 de abril de 2008, por determinação do Ministério da Justiça, que reclassificou a novela Duas Caras para a exibição em horário após 21hs, a TV Acre foi obrigada a entrar no sistema implantado pela Rede Globo chamado Rede Fuso. A rede implantada exibe um pacote básico de programação da rede nacional (que acompanha o horário de Brasília), porém com atraso de 2 horas em relação à Rede Nacional (a Rede Globo), o que gerou algumas modificações na programação Globo neste Estado. Tais modificações estão os telejornais locais do Bom Dia Acre (exibido na faixa das 6h30, porém depois do Bom Dia Brasil às 6hs05), ACTV (exibido na faixa das 11h55, porém depois do Jornal Hoje às 11hs50), Jornal do Acre (exibido na faixa das 19h05, após a novela das 6, às 19hs20).

Depois do telejornal Bom Dia Acre, vinha às programações gravadas de Mais Você, Globo Notícia, TV Globinho e em seguida a programação ao vivo de Globo Esporte e Jornal Hoje. Depois do telejornal ACTV, vinha às programações gravadas de Vídeo Show, Vale a Pena Ver de Novo, Sessão da Tarde, Globo Notícia, a série Kenan & Kel e as novelas Malhação e das 6. Depois do telejornal Jornal do Acre, vinha a novela das 7, o Jornal Nacional e a novela das 9 (mais de 21hs) e o restante a programação da Rede Globo até a madrugada.

A programação da Rede Fuso é levada ao ar para os telespectadores de todos os Estados brasileiros que têm hora de atraso em relação ao horário de Brasília (Amazonas, Acre, Rondônia, Roraima, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul).

Após o fim da novela Duas Caras e início da exibição de A Favorita, a novela das 21hs passou ser exibida às 20hs gravada e a programação de tarde e noite modificou para menos de 1 hora.

No dia 24 de junho do mesmo ano, houve alteração de fuso horário brasileiro no Acre e extremo-oeste e sudoeste do Amazonas, o que deixou o estado com apenas 1 hora a menos em relação ao Horário de Brasília. A mudança fez com que à emissora entrasse na chamada Rede Fuso, implantada pela Rede Globo para transmissão aos estados que possuem uma hora a menos em relação ao horário oficial.

Com isso, no dia seguinte, houve nova mudança de horário: o Bom Dia Acre passou ser depois Bom Dia Brasil, o Amazônia TV depois do Jornal Hoje e o Jornal do Acre depois da novela das 6.

Em 2010 houve a estadualização[1] dos sinais das emissoras da Rede Amazônica em seus respectivos estados, o que significa que cada emissora em seu estado de origem envia a programação local para seus próprios municípios (antes as emissoras do interior dos estados cobertos pela Rede Amazônica recebiam a programação originada pela TV Amazonas, de Manaus). Com isso, a TV Acre ganhou um sinal de satélite próprio no BrasilSat B4 para essa finalidade.

Em 26 de julho de 2012 a emissora inaugurou seu sinal em HDTV em Rio Branco, reinaugurou a retransmissora de Brasiléia e entregou a sede da emissora em Rio Branco inteiramente reformada e estreou novos cenários para seus telejornais, seguindo o modelo do Jornal do Amazonas e de outros telejornais da Rede Globo, a fim de se aproximar do telespectador.

Em fevereiro de 2013 a emissora ganha uma página para divulgação de suas matérias jornalísticas no Portal G1, das Organizações Globo. A página pode ser acessada através do endereço g1.globo.com/acre.

Programação[editar | editar código-fonte]

A atual programação da TV Acre conta com os programas:[2]

  • Bom Dia Amazônia AC (segunda à sexta)
  • Acre TV (segunda à sábado)
  • Globo Esporte AC (segunda a sábado)
  • Jornal do Acre (segunda à sábado)
  • Amazônia Repórter (sábados)
  • Amazônia em Revista (sábados)
  • Zappeando (sábados)
  • Amazônia Rural (domingos).

Os programas Zappeando e Amazônia Rural são produzidos pelo canal AmazonSat, da Rede Amazônica, em Manaus. Apesar do nome, o telejornal Bom Dia Amazônia é produzido e gerado por cada emissora da Rede Amazônica para seus respectivos estados, deixando de ser transmitido em rede regional desde 2009. O antigo AmazôniaTV foi extinto em 1º de abril de 2013, passando a se chamar AcreTV. Em junho de 2013 o programa Amazônia em Revista passou a ser produzido e gerado por cada emissora da Rede Amazônica para seus respectivos estados. Em dezembro de 2013 o Viagens pela Amazônia foi substituído pelo programa Amazônia Repórter, produzido e exibido em rede regional.

• A emissora transmite a programação da Rede Fuso com 1 hora de atraso em relação aos outros estados que adotam esse sistema de programação, com exceção do Jornal Nacional e das transmissões esportivas.

Cobertura[editar | editar código-fonte]

As estações do interior do estado, ao invés de serem identificadas tradicionalmente pelo próprio nome da emissora/cabeça de rede, como ocorre com a maioria das emissoras de outros estados brasileiros (exemplo: TV Acre Acrelândia), são identificadas apenas pelo nome do município onde estão localizadas (por exemplo, TV Acrelândia, TV Assis Brasil). A exerção é a TV Cruzeiro do Sul no Cruzeiro do Sul.

Emissora[editar | editar código-fonte]

Repetidoras[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. A emissora gerou suas primeiras imagens no mês de junho, transmitindo as partidas da Copa do Mundo de 1974

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]