Troneira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Troneira Cruzetada no Castelo de Santa Maria da Feira, Portugal.

A troneira (de trom ou do espanhol "tronera"), em arquitectura militar, é uma abertura circular, cruzetada, numa muralha ou numa ameia, própria para receber artilharia leve.

Também designa o espaço entre os merlões das ameias, por onde se enfia a boca da peça de artilharia (canhão).

O nome 'troneira' parece ter origem na antiga arma de artilharia 'trom', um pequeno canhão, usado mais recentemente para tiro de salva.[1]

Classificação segundo a forma[editar | editar código-fonte]

  • Troneira Simples - constituída por um vão circular e largo encimado por uma fenda vertical.
  • Troneira Cruzetada - composta por um orifício circular encimado por uma fenda vertical (para a observação em alcance), cortada por um rasgo transversal (para a observação em direção), em forma de cruz.
  • Troneira Recruzetada ou de Dupla Cruz - composta por um orifício circular e um fenda vertical com dois ou mais rasgos transversais para observação.
  • Canhoneira - de formato rectangular construída no corpo das fortificações no período de transição das fortalezas medievais para as abaluartadas.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Troneira Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) Tesauro. Página visitada em 11 de Maio de 2009.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • NUNES, António Lopes Pires. Dicionário de Arquitetura Militar. Casal de Cambra (Sintra): Caleidoscópio, 2005. ISBN 972-8801-94-7 p. 243-245.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Troneira
Ícone de esboço Este artigo sobre arquitetura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.