Zenódoto de Éfeso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Zenódoto (em grego: Ζηνόδοτος; Éfeso, c. 323 a.C. ou 333 a.C. - Alexandria, 260 a.C.) foi um filólogo e gramático da Grécia Antiga. Nascido em Éfeso, na Ásia Menor, foi estudante de Filetas de Cós[1] e professor do rei Ptolomeu II Filadelfo. No ano de 284 a.C. foi nomeado por Ptolomeu I Sóter como o primeiro diretor da grande Biblioteca de Alexandria e ali organizou o que seria a maior coleção de textos manuscritos da antigüidade.

Vida[editar | editar código-fonte]

Zenódoto é descrito pelo Suda (localização: Zeta 74, segundo Ada Adler [2] ) como tendo sido o primeiro "editor" (em grego: διορθωτής diorthōtes) de Homero [3] . Seus colegas na biblioteca de Alexandria foram Alexandre da Etólia e Licofrón de Calcis[1] , a quem foi designada a responsabilidade por organizar, respectivamente, os escritos trágicos e cômicos. Zenódoto ocupou-se com os poetas épicos, notadamente Homero.

Desde a descoberta do manuscrito Codex Venetus A da Ilíada de Homero por Jean-Baptiste-Gaspard d'Ansse de Villoison, aumentou-se o escólio que possuímos sobre o texto de Zenódoto [3] . Em mais de quatrocentas passagens é possível identificar as leituras de Zenódoto[3] , em razão de Aristarco de Samotrácia ter apontado em seus comentários clara discordância nas interpretações de certas palavras nos textos homéricos. Aristarco foi um severo crítico de Zenódoto, mas graças a sua obra podemos identificar o trabalho feito por Zenódoto, isto é, o uso de um signo marginal, o obélos ou dardo (-)[4] [5] , empregado para marcar linhas suspeitas[6] . É reconhecido pelos helenistas que o texto de Zenódoto caracteriza-se pela "excentricidade", reflexo em dada medida da tradição na qual se baseia [3] [7] .

Zenódoto foi possivelmente o primeiro a dividir a Ilíada e a Odisséia em vinte e quatro cantos [1] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Ulrich von Wilamowitz-Moellendorff, Homers Ilias (1887-1888). Zurique: Georg Olms, 2006, pp. 196, 200 e 212
  2. http://www.stoa.org/sol-bin/search.pl?db=REAL&field=adlerhw_gr&searchstr=zeta,74 [Suda online, zeta 74 de Zenódoto (Ζηνόδοτος) por Ada Adler]]
  3. a b c d Martin Litchfield West, Studies in the Text and Transmission of the Iliad. Munique: Saur, 2001, pp. 33 e 34
  4. Helmut van Thiel, Homeri Ilias. Zurique: Georg Olms, 1996, p. XVII
  5. Richard Janko, The Iliad: A Commentary. Cambridge: Cambridge University Press, 1992, p. 23
  6. Stephanie West, The transmission of the text. In: A commentary on Homer's Odyssey. Oxford: Clarendon Press, 1988, pp. 41 e 42
  7. Martin L. West sustenta que "o texto associado ao nome de Zenodoto é tão excentrico, que é impossível considerá-lo como o produto de um processo racional de seleção de leituras de diferentes fontes, ou mesmo um processo racional de fato". Nesse aspecto, a opinição de West diverge da de outros helenistas (tais como: Wolf, Düntzer, Cobet, Schwartz, Wecklein, Pasquali, Nickau) que defenderiam o fato de que Zenódoto teria tido acesso a diversas cópias dos textos de Homero e, portanto, seria o editor do que seria uma melhor versão do texto. WEST, Op. cit., p. 37
Precedido por
Demétrio de Faleros
Diretores da

Biblioteca de Alexandria
283 a.C. - 270 a.C.

Sucedido por
Calímaco de Cirene