Acadêmicos do Sossego

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sossego
Bandeira do GRES Acadêmicos do Sossego.png
Fundação 10 de novembro de 1969 (51 anos) [1][2]
Cores
Símbolo Lira[3]
Bairro Largo da Batalha[1][2]
Desfile de 2021
Site oficial
www.academicosdosossego.com

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos do Sossego (ou simplesmente Acadêmicos do Sossego) é uma escola de samba da cidade de Niterói, que atualmente participa do Carnaval do Rio de Janeiro. oriunda do Largo da Batalha[1][2], já realizou ensaios no Clube da Torre[4][5] e na Avenida Rui Barbosa, n.º 264.[6].

Atualmente realiza seus ensaios no Barreto, mais precisamente no Combinado 5 de Julho, ao lado de outra escola de samba niteroiense, que também participa do carnaval carioca, a Unidos do Viradouro. Foi quatro vezes campeã do Grupo Especial do carnaval de Niterói. Também possuiu outros dois títulos no Grupo de Acesso niteroiense. No carnaval do Rio de Janeiro, conquistou quatro campeonatos em grupos de acesso.

História[editar | editar código-fonte]

A escola foi fundada em 10 de novembro de 1969[4] por Odir de Oliveira Costa e César de Melo Loureiro, com as cores eram verde e vermelho, desfilando no ano seguinte como bloco carnavalesco, com um enredo sobre Ari Barroso.[7] Ainda em 1970, adotou as cores vermelho e amarelo, e no ano de 1978, alterou novamente suas cores oficiais para as atuais azul e branco.[7] Nesse ano, sagrou-se campeão entre os blocos de Niterói.[7]

Após ser campeã do Carnaval de 1981,[7] subiu para a divisão principal do Carnaval, onde pôde disputar contra as duas grandes escolas do município, Acadêmicos do Cubango e Unidos do Viradouro, acabou novamente rebaixada ao segundo grupo[7] em 1983, quando, após desfilar com outras nove escolas,[8] obteve a oitava colocação, empatada com a Combinado do Amor, e após um sorteio, a Sossego perdeu a vaga no Grupo I.[9]

Em 1984, desfilou no Grupo II com outras 5 escolas,[9] obtendo nova a vitória, e nova ascensão.[7] Na apuração do desfile de 1985, ficou à frente de Cubango e Viradouro, perdendo o título para a Corações Unidos e a União da Ilha da Conceição, empatadas no primeiro lugar. Um fato curioso é que na apuração deste ano um vereador rasgou parte do mapa de contagem contendo uma das notas do Sossego, o que resultou na repetição da nota do quesito anterior (9), motivo pelo qual ficou em 2° lugar. Dizem os mais antigos que se isso não ocorresse, o Sossego ganharia o carnaval do ano.

De 1986 a 1988, já com as duas maiores escolas da cidade fora da disputa, uma vez que passaram a participar do Carnaval do Rio, a Sossego firmou uma hegemonia na cidade, obtendo o tri-campeonato.[7] Em 1989, por conflitos internos, a agremiação não desfilou, o que levaria ao seu consequente rebaixamento para 1990. No entanto, o Senhor Beirute, presidente da Associação das Escolas de Samba das Cidades de Niterói e São Gonçalo, não permitiu que a agremiação fosse rebaixada. Ao desfilar com o enredo “Beijo te beija”, a Sossego conquistou seu tetra campeonato. Após o carnaval de 1992 a entidade seria extinta e a sua sede vendida, quando Almir Augusto Monteiro, Luiz Besouchet e João Preá não permitiram e recuperaram a agremiação.

No ano seguinte a nova direção apresenta um belo desfile, do carnavalesco Gil Gouvea, com o enredo “Tratado de amor”, conquistando o 2° lugar. Em 1994, o carnavalesco Newton Galhano é contratado e com o enredo “Só vai ao Bonfim quem tem” trazendo para o desfile da Amaral Peixoto duas grandes personalidades da localidade: Lizete, a mais antiga baiana da escola, que não desfilava desde 1990 por problemas de saúde; e uma grande personagem do Acadêmicos do Cubango, mãe Luizinha. Nesse ano, o Sossego obteve o vice-campeonato. Após o carnaval de 1995 em que novamente fica em 2° lugar, com o enredo “Deixem nossas matas sempre verdes”, ganhando o troféu de melhor ala de baianas, comandada por Arlete Matias e melhor comissão de frente.

O então presidente, não conformado com as subsequentes derrotas, resolve abandonar o carnaval fluminense e seguindo os passos da Cubango e Viradouro, se filia à Associação das Escolas de Samba da Cidade do Rio de Janeiro. No ano seguinte, o Carnaval de Niterói seria extinto, retornando apenas na década seguinte. Assim, a Sossego estreia no carnaval carioca com o enredo "E o cinema virou samba, tem pipoca no ar", que deu à escola o vice-campeonato do grupo "E". No ano posterior conquistou seu primeiro campeonato carioca pelo grupo D, com o enredo “Olha o passarinho, um álbum de família”.

Em 1998, com o carnavalesco Max Lopes e o estreante Cahê Rodrigues, obtém o terceiro lugar no grupo e o direito de acesso ao grupo B, já na Marquês de Sapucaí. Terminado o carnaval, o até então presidente e sua diretoria deixam a agremiação e João Carlos Paes assume a presidência. Por mais dois anos a agremiação permaneceu no Sambódromo, retornado ao grupo C em 2001, quando obtém novo vice-campeonato, e retorna ao Grupo B, na Sapucaí. De 2002 a 2005 a agremiação foi rebaixada duas vezes, retornando ao grupo D, quinta divisão do Carnaval do Rio.

Após 2006, a Sossego é assumida por Almir Alves da Silva (Mica), juntamente com os conselheiros Djalma da Conceição e Almir Augusto Monteiro, ambos ex-presidentes, que trazem de volta o já consagrado carnavalesco Cahê Rodrigues.

Em 2008, já sob o mandato de José Adriano Valle da Costa (Folha), a Sossego é campeã do grupo de acesso D.

Em 2009, a agremiação homenageou sua cidade, Niterói, com o enredo Sorria, Você Está Numa Cidade Com Muito Sorriso, Suor e Sossego, conquista o título da quarta divisão - naquele ano chamada de Grupo RJ-2, retornando à Passarela do Samba.

Em 2010, novamente homenageou a cidade de Niterói.[10] No ano seguinte, a escola apresentou o enredo Sua Majestade, o Rei Sol, que abordava o astro solar como tema de seu carnaval. Nesse ano, Dinho (ex-Cubango), passou a ser o novo diretor de bateria da escola,[11] que teve à frente como rainha Camila Macedo.[12] Devido a um estouro de tempo e problemas na evolução, a Sossego acabou rebaixada novamente, voltando para o desfile da Estrada Intendente Magalhães.

Em 2015, a escola perdeu seu presidente Luiz Gustavo, que passou mal aos 39 anos, na véspera do desfile da agremiação, sendo internado, e vindo a falecer na sexta-feira, após o Carnaval.[13] No desfile, termina em 9° lugar. Em 2016, com uma homenagem ao centenário do poeta Manoel de Barros, a escola se sagra campeã da Série B, e retorna a Sapucaí após 4 anos desfilando na Intendente Magalhães, sendo sua estreia na Série A. Para 2017, anunciou a contratação do intérprete Leandro Santos, vindo da Tuiuti, e do carnavalesco Márcio Puluker, que desenvolveu o enredo prestando uma homenagem a atriz Zezé Motta. E para contar a história da atriz, a azul e branca levou para a avenida um samba-enredo em formato de diálogo, recurso inédito no carnaval. Com uma competente apresentação, a escola conseguiu uma permanência tranquila na Série A, obtendo o 11° lugar.

Visando o carnaval de 2018, a Sossego promoveu mudanças em alguns departamentos, contratando o carnavalesco Petterson Alves, que desenvolveu o enredo "Ritualis". Para o carro de som, a escola contratou o experiente Nêgo, que volta à Sapucaí após sua última passagem pela Imperatriz em 2015. Como forma de conter despesas, a escola optou por encomendar seu samba-enredo para a parceria encabeçada por Felipe Filósofo, vencedora na escola nos últimos dois carnavais. Com uma apresentação muito aquém do esperado, principalmente nos quesitos plásticos, a escola terminou em 13° e último lugar, sendo a princípio rebaixada para a Série B. Entretanto, devido ao cancelamento do rebaixamento do Grupo Especial, a Sossego teve seu descenso anulado e permanecerá na Série A em 2019, numa decisão tomada em plenária realizada na LIERJ um mês após os desfiles.

Com a permanência na Sapucaí assegurada, a Sossego anunciou o tema "Não se meta com a minha fé, acredito em quem quiser" que a partir da figura religiosa mexicana Jesús Malverde, abordaria a questão da diversidade religiosa. Inicialmente, o enredo foi desenvolvido por Leandro Valente, foi substituído por Rodrigo Almeida cerca de um mês antes do Carnaval. A prévia divulgação de uma das alegorias causou polêmica, pois a escultura, representando o Diabo, era bastante semelhante à fisionomia do prefeito do Rio, Marcelo Crivella. Após a polêmica, na semana anterior ao Carnaval, a escultura foi retirada do desfile - sendo trocada pela imagem do ex-prefeito Eduardo Paes trajado como um buda - e um diretor de carnaval da agremiação foi demitido.[14] A escola terminou em 12° lugar, se livrando do rebaixamento na última nota. Após o desfile de 2019, Wallace Palhares renunciou à presidência da escola para assumir a LIERJ.

Para o carnaval de 2020, a escola inicialmente contratou o carnavalesco Marco Antonio Falleiros, que desenvolveu enredo que celebrava as raízes sagradas, históricas e personagens do cortejo negro que nasceu em Pernambuco, unindo o samba ao maracatu. A exemplo de 2019, Falleiros deixou a escola, que posteriormente contratou o Alex de Oliveira para liderar uma comissão de carnaval. Na reta final, poucas semanas antes de seu desfile, tal comissão foi novamente trocada, desta vez pela dupla Rodrigo Marques e Guilherme Diniz.[15] A Sossego ainda mexeu no casal de mestre-sala e porta-bandeira: Emanuel Lima permaneceu como mestre-sala e a princípio dançaria com Bruna Santos.[16] Após a saída desta última para a Mocidade, foi substituída por Cassiane Figueiredo.[17] Posteriormente, a escola fez outra troca no posto, ao contratar Marcinho Siqueira e Cristiane Caldas.[18] Nêgo foi recontratado para comandar o carro de som da escola em substituição a Guto, que deixou a azul e branca a menos de dois meses do desfile após ter gravado o samba-enredo no CD oficial e ter feito dupla com o veterano por um curto período. [19] Na apuração, a Sossego terminou em oitavo lugar, sendo este seu melhor desempenho no carnaval carioca e na história da escola.

Para o carnaval de 2021, a escola se reforça contratou o carnavalesco André Rodrigues, vindo da Mocidade Unida da Mooca, sendo esta sua primeira experiência no carnaval carioca. O enredo da escola para o próximo carnaval abordará uma saga épica imaginada entre o presente e futuro, com a narrativa inspirada em relatos de Davi Kopenawa Yanomami, xamã ianonâmi. Alem da chegada de Fabricio Pires e Giovanna Justo com casal de Mestre Sala e Porta Bandeira.

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Intérpretes da escola no desfile de 2015.
Imagem do desfile de 2013.
Imagem do desfile de 2015.

Presidência[editar | editar código-fonte]

Presidente Mandato Referência
Sidney Ferreira 1984 [carece de fontes?]
Dilson 1985-1986 [carece de fontes?]
Ademir Ferreira 1987-1988 [carece de fontes?]
Djalma da Conceição 1989 [carece de fontes?]
Sidney Ferreira 1990 [carece de fontes?]
Lú Moreno 1991 [carece de fontes?]
Joaquim 1992 [carece de fontes?]
Almir Augusto Monteiro 1993 - 1998 [20]
Joao Carlos 1999 - 2002 [20]
Luiz Borges 2003 [20]
Augusto Elias 2004-2006 [20]
Almir (Mica) 2007 [6][13]
José Adriano Valle da Costa (Folha) 2008-2012 [20]
Gustavo (Gustavinho) 2013-2015
Luiz Carlos dos Santos (Mancha) 2015-2016 [carece de fontes?]
Wallace Palhares 2017-2019 [21]
Hugo Júnior 2020-atualidade [22]
Presidente de Honra Mandato Referência
Ânderson Pipico 2019-atualidade [22]


Intérpretes[editar | editar código-fonte]

Carnavais Intérpretes oficiais Ref.
1984-1992 Odir Sereno
1993-1995 Wilsinho do Sossego
1996 Odir Sereno
1997 Torino
1998 Odir Sereno
1999 Bebeto Porto
2000–2001 Juarez Maia [23]
2002 Edmilson Villas [24]
2003 Bebeto Porto [25]
2004 Odir Sereno [26]
2005 Diego Chocolate [27]
2006 Sidney GGB [28]
2007 Odir Sereno [29]
2008–2009 Anderson Kybba [30][31]
2010–2011 Anderson Kybba e Clóvis Pê [32][33]
2012–2013 Ademir Ribeiro e Neném Gavião [34][35]
2014 Alexandre Simpatia e Ademir Ribeiro [36]
2015 Alexandre Simpatia, Ademir Ribeiro e Lico Monteiro
2016 David do Pandeiro [37][38]
2017 Leandro Santos [39]
2018 Nêgo
2019 Guto e Juliana Pagung [40]
2020 Nêgo [19][22]
2021 Nino do Milênio
A bateria da escola no desfile de 2013.
A velha guarda da escola no desfile de 2015.

Comissão de frente[editar | editar código-fonte]

Coreógrafo(a) Período Ref.
Celma Pinto Ferreira 1983-1995
Marli Mattos 1996
Claudia Barros 1997-1998
Nino Jovanete 1999
Claudio Dita 2007-2009
Edu de Souza 2010
Claudio Andrade 2011-2012
Tom Barros 2013-2014
André Lúcio 2015-2016
Jardel Lemos 2017 [41]
Thiago Manhaes 2018
Vinicius Rodrigues 2019
Jardel Lemos 2020 - Atualmente [22][42]

Mestre-sala e Porta-bandeira[editar | editar código-fonte]

Casal Período Ref.
Arthur e Leila Ogeda 1978-1990
Augusto Elias e Jane 1991-1992
Antonio e Renata 1993
Augusto Elias e Fabiana 1994
Augusto Elias e Angélica 1995-1996
Marcelo Borges e Verônica Menezes 1997-1998
Marcelo Borges e Taninha 1999
Marcelo Borges e Cristiniellen 2000
Paulo César e Christina 2003
Marcelo Borges e Pamela Christo 2007-2009
Marcelo Borges e Rosilaine Queiroz 2010-2012
Victor Hugo e Karina Lírio 2013-2016 [43]
Wesley Cherry e Naninha 2017-2018
Marcinho Souza e Bruna Santos 2019 [44]
Marcinho Siqueira e Cristiane Caldas 2020 [18]
Fabrício Pires e Giovanna Justo 2021

Diretores[editar | editar código-fonte]

Ano Direção de Carnaval Direção de Harmonia Mestre de Bateria Ref.
2007 Almir Jhunior Serjão Carneiro Gilson Nunes
2008 Serjão Carneiro Serjão Carneiro Gilson Nunes
2009-2010 Serjão Carneiro Serjão Carneiro Elias
2011 Comissão de Carnaval Márcio Marins Dinho
2012 Comissão de Carnaval Cesar Chopp
2013-2015 Comissão de Carnaval Spinelli Chopp [43]
2016 Almir Jhunior, Thiago Lepletier e Vinicius Natal André Jales, Olenir e Spinelli Barrão [45]
2017 Almir Jhunior Alexandre Atila
2018 Almir Jhunior e Paulo Brandão Greg Tavares Atila
2019 Hugo Júnior, Wallace Oliveira André Jales, Carlos Jorge e Wagner França Laion Arc
2020 Alexandre Dias e Serginho Aguiar Fabiano Marins, William Klüver e Ygor Silva Laion Arc [22]

Corte de bateria[editar | editar código-fonte]

Período Rainha Madrinha Ref
20072010 Fernanda Cristina Rosemary Bonifácio
20112015 Camila Macedo -
2016 Camila Macedo -
2017 Cris Alves - [46]
2018 Maryanne Hipólito -
2019 Dany Storyno -
2020 Celi Costa - [47][22]

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Carnavais do GRES Acadêmicos do Sossego
Ano Colocação Divisão Enredo Carnavalesco Ref.
1978
1979 l de Niterói Lendas e mistérios do Amazônia
1980 l de Niterói Na ginga rica do Patropi
1981
1982 ll de Niteroi Pindorama - o país do futuro
1983 8.º Lugar
(Rebaixada)
I de Niterói [9]
1984 Campeã II de Niterói "Natureza - O show não pode parar" Alexandre Louzada [7][9]
1985 Vice-campeã
(Empatada com Viradouro)
I de Niterói "O sonho nosso de cada dia" [48][49]
1986 Campeã I de Niterói "Em se plantando tudo dá"
1987 Campeã I de Niterói "E deu rebu no paraiso"
1988 Campeã I de Niterói "Apoteose" Gil Gouvêa
1989 A escola não desfilou
1990 Campeã I de Niterói "Beijo te beija" Gil Gouvêa
1991 Vice-campeã I de Niterói Gil Gouvêa
1992 Vice-campeã I de Niterói "O teu cabelo não nega" Gil Gouvêa
1993 Vice-campeã I de Niterói "Tratado de amor" Gil Gouvêa
1994 Vice-campeã I de Niterói "Só vai ao Bonfim quem tem" Newton Galhano
1995 Vice-campeã I de Niterói Xingu - Deixem nossas matas sempre verdes Newton Galhano
1996 Vice-campeã
(Acesso)
Grupo E

(quinta divisão)

"E o cinema vira samba - Tem pipoca no ar" João Calheiro
1997 Campeã Grupo D

(quarta divisão)

"Olha o passarinho, um álbum de família" Mauro Quintaes
1998 3.º Lugar
(Acesso)
Grupo C

(quarta divisão)

"Em busca do destino" Max Lopes e Cahê Rodrigues [50]
1999 8.º Lugar Grupo B

(terceira divisão)

"500 anos de Brasil - O que Caminha viu e não viu" Mauro Quintaes
2000 9.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo B

(terceira divisão)

"Bahia em 4 tempos - de Caymmi ao axé, música baiana leva fé"
(Samba-enredo composto por Edilson Andrade, Ademir Magalhães, Jorge Cantagalo e Bira)
Mauro Quintaes e Eduardo Minucci [50]
2001 Vice-campeã
(Acesso)
Grupo C

(quarta divisão)

"Nação Guaykurú, um império no rio Paraguai"
(Samba-enredo composto por Edilson Andrade, Ademir Magalhães, Jorge Cantagalo e Bira)
Sérgio Murilo [50]
2002 9.º Lugar Grupo B

(terceira divisão)

"Andar com fé eu vou... Brasil, tua alma barroca" Alaor Júnior e Roberto Antônio
2003 12.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo B

(terceira divisão)

"Sossego atravessa a baía na barca da folia"
(Samba-enredo composto por Xéxa, Carlinhos Santa Rosa, Maneco, Serginho Ubiratan)
Carlinhos D'Andrade [50]
2004 11.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo C

(quarta divisão)

"Hoje é dia de feijão" Amaro Sérgio
2005 8.º Lugar Grupo D

(quarta divisão)

"Mata para que te quero..."
(Samba-enredo composto por Thiago Lepletier, Pedro Sang, Diego Ferreira, Armando Daltro e Paulo Travassos)
Letycia Fiuza [50]
2006 5.º Lugar Grupo D

(quarta divisão)

"Me engana que eu gosto no circo da vida!"
(Samba-enredo composto por Marcinho Simpatia, Guigui, Elizeu e Thiago Cavaco)
Marco Aramha e Marcyo de Olliveira [50]
2007 6.º Lugar Grupo D

(quarta divisão)

"A nação azul e branca de Parintins"
(Samba-enredo composto por Odir Sereno, Dudu do Cavaco, Jorge Bretas e Marcelo Quaty)
Cahê Rodrigues [50]
2008 Campeã Grupo D

(quarta divisão)

"A Corte do Samba e a Corte Real apresentam: O Brasil Colonial"
(Samba-enredo composto por Jorginho do Bairro, Dedé da Martins e Ivan di Wanda)
Almir Jhunior e Cahê Rodrigues
2009 Campeã Grupo RJ-2

(quarta divisão)

"Sorria, você está numa cidade com muito sorriso, suor e Sossego"
(Samba-enredo composto por Celso Tropical, Chiliquinho, Dede da Martins, Dudu, Ivan D' Wanda, João Marcos, Jorginho, Jorginho do Bairro, Marcio, Paulo Beto e Tuaregue)
Eduardo Pinho e Roberto Bezerra
2010 6.º Lugar Grupo RJ-1

(terceira divisão)

"Made in Nictheroy"
(Samba-enredo composto por Rubinho, Odir Sereno, André Kbeça, Marcelinho Ferreira e Vitor Alves)
Fabiano Santana e Eduardo Pinho [10]
2011 10.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo B

(terceira divisão)

"Sua majestade, o Rei Sol"
(Samba-enredo composto por Bira do Canto, Luiz Carlos Paiva, Ivan D'Wanda, Wilson King, Luis Foca, Mario da Vila Progresso, Márcio, Chiliquinho, Ginha, Angela Vidal, Angela Dias e Jorginho)
Fabianno Santana [51][52]
2012 6.º Lugar
(Acesso)
Grupo C

(quarta divisão)

"Tupã, o soberano Guarani e a encantadora floresta da magia"
(Samba-enredo composto por Felipe Filósofo, Joca, Ademir Ribeiro, Alexandre Jardim, Celso Tropical, Ginha, Ivan D'Wanda, Wilson King, Angelo, Marcio e Mario da Vila Progresso)
Fabianno Santana [52]
2013 5.º Lugar Grupo B

(terceira divisão)

"De Luiza D'Oyá a Carmem Miranda. O que é que a baiana tem?"
(Samba-enredo composto por Felipe Filósofo, Joca e Ademir Ribeiro)
Paula Vannier
2014 5.º Lugar Grupo B

(terceira divisão)

"Pernambucando"
(Samba-enredo composto por André Quintanilha, Bira do canto, Marcio do cavaco, Fernando Cesar, Renato Pacote e Luiz Figueiredo)
Guilherme Alexandre [6][53]
2015 9.º Lugar Série B

(terceira divisão)

"Banananás - O encontro da Rainha Mariola Banana Pacova do Congo e d’Angola com o Rei Amazônico Ananás Ibá-Cachi, da Corte dos Abacaxis de Serpa"
(Samba-enredo composto por Felipe Filósofo, Ademir Ribeiro, Joca, Fabio Borges, Marcello Bertolo, Gegê Fernandes, Carlão do Caranguejo, Bello, Niu Souza, Afonso Fonseca e Julinho do Nem Queria)
Gabriel Haddad e Leonardo Bora
2016 Campeã Série B

(terceira divisão)

"O Circo do Menino Passarinho"
(Samba-enredo composto por Felipe Filósofo, Ademir Ribeiro, Sergio Joca, Fabio Borges, Fabio Silva Personal e Marcello Bertolo)
Gabriel Haddad e Leonardo Bora [54]
2017 11.º Lugar Série A

(segunda divisão)

"Zezé Motta, a Deusa de Ébano"
(Samba-enredo composto por Felipe Filósofo, Ademir Ribeiro, Sérgio Joca, Marcelo do Rap, Fabio Borges, João Perigo, Paulinho Ju e Bertolo)
Márcio Puluker
2018 13.º Lugar Série A

(segunda divisão)

"Ritualis"
(Samba-enredo composto por Felipe Filósofo, Ademir Ribeiro, Sérgio Joca, Orlando Ambrósio, Macaco Branco, Mário da Vila Progresso, Pacote, Xandinho Nocera, Fabio Borges, Ivan Câmara e Bertolo)
Peterson Alves [55]
2019 12º Lugar Série A

(segunda divisão)

"Não se meta com minha fé, acredito em quem quiser"
(Samba-enredo composto por Luiz Vinícius, Orlando Ambrósio, Mário da Vila Progresso, Washington Motta, Felipe Filósofo, Sérgio Joca, Fábio Borges, Ademir Ribeiro, Gilmar L. Silva, Serginho Rocco, Lucas Donato, Diego Tavares, Michel do Alto e Bertolo)
Leandro Valente [56]
2020 8º Lugar Série A

(segunda divisão)

"Os Tambores de Olokun"
(Samba-enredo composto por Orlando Ambrósio, Diego Nicolau, Richard Valença, Renan Diniz, Jefferson Oliveira, Chaynne Santos, João Perigo, Dudu Senna, Thiago Vaz, Professor Laranjo, Sérgio Joca e Mário da Vila Progresso)
Rodrigo Marques e Guilherme Diniz [57][15][22]
2021 Série A

(segunda divisão)

"Visões Xamânicas" André Rodrigues

Títulos[editar | editar código-fonte]

Títulos
Divisão Títulos Carnavais
Trophy (transp. Simón Bolívar Cup).png Terceira Divisão 1 2016
Trophy (transp. Simón Bolívar Cup).png Quarta Divisão 1 2009
Trophy (transp. Simón Bolívar Cup).png Quinta Divisão
2 1997, 2008
WikiCup Trophy Gold.png Primeira Divisão de Niterói 4 1986, 1987, 1988, 1990
Trophy (transp. Simón Bolívar Cup).png Segunda Divisão de Niterói 2 1981, 1984

Premiações[editar | editar código-fonte]

Prêmios recebidos pelo GRES Acadêmicos do Sossego.

Ano Prêmio Categoria / premiados Divisão Ref.
2002 S@mba-Net Ala das baianas Grupo B [58]
2004 Troféu Jorge Lafond Personalidade (Augusto Elias Seixas) Grupo C [59]
2005 Troféu Jorge Lafond Carnavalesco revelação (Letycia Fiuza) Grupo D [60]
Harmonia (Diretor responsável: Tito Arraes)
Destaque
2006 Troféu Jorge Lafond Mestre-sala (Fábio Rosa) Grupo D [61]
2007 Troféu Jorge Lafond Harmonia Grupo D [62]
2008 Troféu Jorge Lafond Melhor escola Grupo D [63]
Enredo ("A corte do samba e a corte real apresentam: O Brasil Colonial")
Intérprete (Anderson Kybba)
2009 S@mba-Net Melhor desfile Grupo RJ-2 [64]
Troféu Jorge Lafond Melhor escola [65]
Enredo ("Sorria, você está numa cidade com muito sorriso, suor e Sossego")
Intérprete (Anderson Kybba)
Harmonia
2010 Troféu Jorge Lafond Velha guarda Grupo RJ-1 [66]
2012 Plumas e Paetês Aderecistas (Rodrigo Marques e Germano Nagare) Grupo C [67]
2015 Plumas e Paetês Coreógrafo (André Lucio) Série B [68]
Pesquisador (Gabriel Haddad e Leonardo Bora)
2016 Gato de Prata Melhor escola Série B [69][70]
Troféu Sambista Melhor desfile [71][72]
Comissão de frente (Coreógrafo: André Lúcio)
2017 Revista Explosão in Samba Samba Enredo Série A [73]
2018 Revista Explosão in Samba Melhor musa Série A - Vanessinha Reis Série A

Referências

  1. a b c «Dados básicos». Galeria do Samba. Consultado em 12 de junho de 2016 
  2. a b c «Sambario». Sambario.com. Consultado em 12 de junho de 2016 
  3. «Curiosidades». GRES Acadêmicos do Sossego. Consultado em 24 de novembro de 2013. Arquivado do original em 10 de outubro de 2007 
  4. a b «Acadêmnicos do Sossego». Academia do Samba. Consultado em 5 de janeiro de 2011 
  5. «Sossego». Samba Rio Carnaval. Consultado em 4 de janeiro de 2011 [ligação inativa] 
  6. a b c Carnavalesco (24 de janeiro de 2014). «Grupo B: confira como será o desfile do Acadêmicos do Sossego». 23:23. Consultado em 25 de janeiro de 2014. Cópia arquivada em 8 de fevereiro de 2014 
  7. a b c d e f g h Galeria do Samba. «G.R.E.S. Acadêmicos do Sossego». Consultado em 17 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 17 de março de 2014 
  8. O Globo, 13 de Fevereiro de 1983, Matutina, Jornais de Bairro, página 6
  9. a b c d O Globo, 4 de Março de 1984, Matutina, Jornais de Bairro, página 8.
  10. a b «Sossego tem um designer em sua comissão de carnaval». Carnavalesco. 6 de novembro de 2009. Consultado em 21 de novembro de 2010 
  11. OBatuque.com (1 de agosto de 2010). «Acadêmicos do Sossego anuncia seu time para 2011». Consultado em 22 de novembro de 2010 [ligação inativa]
  12. «Sossego coroa nova rainha de bateria». Tupi Carnaval Total. 6 de setembro de 2010. Consultado em 22 de novembro de 2010 [ligação inativa]
  13. a b O Fluminense. «Morre presidente da escola de samba Acadêmicos do Sossego». Consultado em 2 de março de 2015. Arquivado do original em 2 de abril de 2015 
  14. «Diabo 'não era Crivella', mas, a pedido, perde chifre e fica de fora do carnaval». O Globo. 26 de fevereiro de 2019 
  15. a b Carnavalesco. «Série Barracões: Em seu cinquentenário, Sossego reforça quesitos para fazer história». Consultado em 17 de fevereiro de 2020 
  16. SRZD (25 de abril de 2019). «Sossego renova com porta-bandeira e contrata novo mestre-sala». Consultado em 13 de julho de 2019 
  17. SRZD (25 de abril de 2019). «Sossego renova com porta-bandeira e contrata novo mestre-sala». Consultado em 13 de julho de 2019 
  18. a b Carnavalesco. «Marcinho Siqueira e Cristiane Caldas formam o novo casal do Acadêmicos do Sossego». Consultado em 4 de novembro de 2019 
  19. a b Carnavalesco. «Sossego contrata Nêgo para fazer dupla com Guto no carro de som»  Parâmetro desconhecido |UR= ignorado (ajuda);
  20. a b c d e Academia do Samba. «Diretoria». Consultado em 16 de março de 2014 
  21. Carnavalesco. «Renúncia: Wallace Palhares não é mais presidente da Acadêmicos do Sossego». Consultado em 28 de março de 2019 
  22. a b c d e f g «Unidos da Ponte». Apoteose. Consultado em 26 de maio de 2020. Cópia arquivada em 26 de maio de 2020 
  23. «2001». Galeria do Samba. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  24. «Edmilson Villas». Sambario Carnaval. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  25. «Sossego 2003». Academia do Samba. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  26. «Sossego 2004». Academia do Samba. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  27. «Sossego 2005». Academia do Samba. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  28. «2006». Galeria do Samba. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  29. «Sossego 2007». Academia do Samba. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  30. «Sossego 2008». Academia do Samba. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  31. «Sossego 2009». Academia do Samba. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  32. «Sossego 2010». Academia do Samba. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  33. «Clóvis Pê». Sambario Carnaval. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  34. «Sossego 2012». Academia do Samba. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  35. «2013». Galeria do Samba. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  36. «2015». Galeria do Samba. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  37. «2016». Galeria do Samba. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  38. «David do Pandeiro». Sambario Carnaval. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  39. «Leandro Santos». Sambario Carnaval. Consultado em 17 de fevereiro de 2017 
  40. Revista Carnaval (21 de agosto de 2018). «Sossego terá cantora como voz principal no Carnaval 2019». Consultado em 8 de setembro de 2018 [ligação inativa]
  41. «Intendente: Acadêmicos do Sossego mostra casamento tropical». SRZD - Sidney Rezende 
  42. Carnavalesco. «Jardel Lemos é o novo coreógrafo da comissão de frente do Sossego». Consultado em 9 de dezembro de 2019 
  43. a b «Galeria do Samba - As escolas de samba do Rio de Janeiro - Carnaval de 2015 - Acadêmicos do Sossego». Galeria do Samba - As escolas de samba do Rio de Janeiro 
  44. SRZD (27 de dezembro de 2018). «Porta-bandeira da Sossego fala da emoção em estrear na Sapucaí». Consultado em 13 de julho de 2019 
  45. Carnavalesco (31 de julho de 2015). «Acadêmicos do Sossego anuncia novas contratações para 2016». Consultado em 14 de setembro de 2015 
  46. Carnavalesco (17 de julho de 2016). «'Foi um presente da minha mãe Oxum', afirma Cris Alves após ser convidada para ser rainha do Sossego». Consultado em 23 de julho de 2016. Arquivado do original em 20 de julho de 2016 
  47. EGOBrazil (11 de dezembro de 2019). «Celi Costa reinará à frente da bateria do Acadêmicos do Sossego». Consultado em 21 de outubro de 2019 
  48. «Academia do Samba - O maior portal do Carnaval Brasileiro». www.academiadosamba.com.br 
  49. «Academia do Samba - O maior Portal do carnaval brasileiro». www.academiadosamba.com.br 
  50. a b c d e f g «Letras em poesia, sambas em melodia...». GRES Acadêmicos do Sossego. Consultado em 17 de março de 2014. Arquivado do original em 8 de outubro de 2007 
  51. «SAMBARIO - O site dos sambas-enredo». www.sambariocarnaval.com 
  52. a b Wellington Lopes. «Sossego lança nome de enredo e apresenta novo casal». O Batuque.com. Consultado em 14 de junho de 2011 [ligação inativa]
  53. Prefeitura do Rio de Janeiro. «Rio Guia Oficial - Carnaval 2014» (PDF). p. 45. Consultado em 25 de abril de 2014. Cópia arquivada (PDF) em 25 de abril de 2014 
  54. «Apuração do Grupo B AO VIVO». 11 de fevereiro de 2016 
  55. «Sossego anuncia enredo e vai encomendar samba para 2018 - Carnavalesco». Carnavalesco. 18 de maio de 2017 
  56. «Acadêmicos do Sossego 2019». 11 de fevereiro de 2019 
  57. «Sossego 2020». Galeria do Samba. Consultado em 13 de fevereiro de 2020 
  58. «Premiação S@mba-Net 2002». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 16 de maio de 2016 
  59. «Troféu Jorge Lafond 2004». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 16 de junho de 2016 
  60. «Troféu Jorge Lafond 2005». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 17 de junho de 2016 
  61. «Troféu Jorge Lafond 2006». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 20 de junho de 2016 
  62. «Troféu Jorge Lafond 2007». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 20 de junho de 2016 
  63. «Troféu Jorge Lafond 2008». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 24 de junho de 2016 
  64. «Premiação S@mba-Net 2009». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 17 de maio de 2016 
  65. «Troféu Jorge Lafond 2009». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 27 de junho de 2016 
  66. «Troféu Jorge Lafond 2010». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 27 de junho de 2016 
  67. «Plumas e Paetês 2012». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 10 de junho de 2016 
  68. «Prêmio Plumas & Paetês Cultural será entregue sábado na Cidade do Samba». Carnavalesco. Consultado em 13 de junho de 2016 
  69. «Diretora do SRZD será homenageada na 7ª edição do Troféu Gato de Prata». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 8 de junho de 2016 
  70. «7ª Edição do Troféu Gato de Prata vai homenagear os 100 anos do samba – Ziriguidum». ziriguidum.net.br. Consultado em 8 de junho de 2016. Arquivado do original em 6 de agosto de 2016 
  71. «Primeira edição do 'Troféu Sambista' agita a Zona Norte com entrega de 34 prêmios». SRZD - Sidney Rezende. Consultado em 8 de junho de 2016 
  72. «1ª edição do Troféu Sambista será neste sábado no River Futebol Clube». CARNAVAL CARIOCA - O melhor carnaval do mundo - Ano 7. Consultado em 8 de junho de 2016 
  73. «Revista Explosão in Samba 2017». www.revistaexplosaoinsamba.com.br/. Consultado em 4 de março de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons