Acidente ferroviário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Acidente do Expresso Paris-Granville na gare Montparnasse (Paris, 22 de Outubro de 1895).[1] O filme A Invenção de Hugo Cabret (2011), cuja história se passa em 1931, reproduz a cena do acidente.[2]

Acidente ferroviário é o que envolve um ou mais trens durante sua operação em ferrovias.

Causas[editar | editar código-fonte]

Alguns acidentes ferroviários são causados por:

  • Descarrilamento, quando um ou mais rodeiros (ou truques) saem dos trilhos.
  • Colisão entre trens, automóveis (em passagens de nível) e ou edificações (após descarrilamento)
  • Incêndio
  • Explosão de caldeira (no caso de locomotivas a vapor)
  • Colapso estrutural de pontes, túneis, via permanente (erosão do solo, deslizamentos de terra,etc)
  • Fadiga estrutural de trilhos, rodas e demais equipamentos.
  • Falhas de equipamentos de sinalização
  • Falha humana
  • Sempre que ocorram danos materiais e/ou humanos é um acidente. Quando assim não for trata-se de um incidente.

Os 10 acidentes ferroviários com maior número de vítimas mortais[editar | editar código-fonte]

Os acidentes ferroviários com maior número de vítimas mortais
Posição Número de mortos Local Data Tipo de ocorrência
c.1700 Sri Lanka Peraliya 26 de dezembro de 2004 Descarrilamento após sismo e tsunami
c. 800 Índia Rio Bagmati 6 de junho de 1981 Descarrilamento e queda no rio após um ciclone, falha de freios
c. c.600 / c.1000 Romênia Ciurea 13 de janeiro de 1917 Falha no sistema de freios provoca descarrilamento, colisão e incêndio .
575 Rússia Asha 4 de junho de 1989 explosão de gasoduto próx. Transiberiana atinge 2 trens
540 França Modane 12 de dezembro de 1917 Descarrilamento de um trem militar na entrada do túnel de Fréjus
521 Itália Balvano - 3 de março de 1944 Intoxicação por monóxido de carbono após pane de trem no túnel Armi
500 Espanha Torre del Bierzo 16 de janeiro de 1944[3] Colisão em túnel e incêndio[4]
428[5] Etiópia Awash, Afar 13 de janeiro de 1985 Descarrilamento e queda em desfiladeiro
383 Egito entre Cairo e Luxor 20 de fevereiro de 2002 Incêndio a bordo
10º c.350[5] Índia Nova Delhi 20 de agosto de 1995 colisão entre 2 trens

No Brasil[editar | editar código-fonte]

Os piores acidentes ferroviários no Brasil
Posição Número de mortos Local Data Tipo de ocorrência
c. 185 Aracaju 7 de março de 1946 Descarrilamento por excesso de velocidade[4][6]
128/140 Estação Mangueira, Rio de Janeiro[3] 8 de maio de 1958 Colisão entre dois trens elétricos[4][6]
c.119[4] Anchieta, Rio de Janeiro[3][7] 4 de março de 1952 Descarrilamento por quebra de trilho[4] ocasiona choque entre trem de carga e de passageiros
c. 110 Tanguá[8] 6 de abril de 1950 Descarrilamento após queda de ponte
c. 100 Estação Pojuca - Pojuca 31 de agosto de 1983 Descarrilamento de trem cargueiro de combustíveis seguido de explosão
c. 68 Estação Fanfa - Triunfo 26 de janeiro de 1968 Choque entre trem cargueiro de 689t com trem misto (passageiros e carga), após trem cargueiro não respeitar sinalização.[9]
c. 58 Itaquera, São Paulo 17 de fevereiro de 1987 Choque entre trens de passageiros após um deles não respeitar sinal semafórico de pare[7]
54/80 Estação Paciência[10] 8 de março de 1958 Choque entre 4 trens, sendo 3 parados por colisão anterior em baixa velocidade.
54 Nova Iguaçu[4] 7 de junho de 1951 Choque entre trem e caminhão tanque em passagem de nível
10º 53 Piquet Carneiro 17 de dezembro de 1951 Descarrilamento por excesso de velocidade[4][6][11][12]
11º 50 Estação Engº Goulart , São Paulo[13] 5 de junho de 1959 Choque entre 2 trens de passageiros após um deles ser autorizado a partir por engano
12º 40 /46? Antonio Carlos[14] 19 de dezembro de 1938 Choque entre um trem de passageiros e outro de cargas. Entre os mortos, o jovem escoteiro Caio Martins
13º 33/36 Estação Olinda , Nilópolis[15] 16 de novembro de 1966 Choque entre 2 trens de passageiros.
14º 33/35 Estação de Tucuruvi, São Paulo[16] 25 de março de 1944 Quebra de engate e engavetamento de vagões
15º 28/30 Estação de Pantojo, Mairinque[17] 7 de setembro de 1950 Descarrilamento por excesso de velocidade;
16º 23/30 Paraíba do Sul[18] 7 de setembro de 1950 Choque entre dois trens;
17º 23 Suzano[19] 8 de junho de 1972 Choque entre trem de passageiros e trem de cargas;

Em Portugal[editar | editar código-fonte]

Os piores acidentes ferroviários de Portugal
Posição Número de mortos Local Data Tipo de ocorrência
+ 120 Maceira Dão/Alcafache 11 de setembro de 1985 Choque entre comboios de passageiros em via única após um deles ser autorizado a partir por engano.[20]
94/102 Custóias[3] 26 de julho de 1964 Descarrilamento reboque e embate contra ponte após desengate do mesmo[21]
52 Linha de Cascais 31 de março de 1952 Desmoronamento de terras sobre a ferrovia.
34 Saboia (Odemira) 13 de setembro de 1954 Descarrilamento de comboio na Linha do Sul entre o apeadeiro de Pereiras e a estação de Santa Clara – Sabóia
17 Recarei 26 de abril de 1984 Colisão em passagem de nível entre comboio e autocarro nas proximidades do apeadeiro de Recarei-Sobreira.
14 Póvoa de Santa Iria 5 de maio de 1986 Colisão entre 2 comboios na estação da Póvoa

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. DK (2014). Train: The Definitive Visual History. [S.l.]: Penguin, pág. 104. ISBN 9781465436580 
  2. Douglas A. Skoog, Donald M. West, F. James Holler & Stanley R. Crouch (2013). Fundamentals of Analytical Chemistry. [S.l.]: Cengage Learning, pág. 82. ISBN 9781285607191 
  3. a b c d «emergency-management». www.emergency-management.net. Consultado em 31 de dezembro de 2022 
  4. a b c d e f g Haine, Edgar A. (1993). Railroad Wrecks (em inglês). [S.l.]: Associated University Presses 
  5. a b «Folha Online - Mundo - Veja alguns dos piores acidentes de trens nos últimos anos - 13/07/2005». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 31 de dezembro de 2022 
  6. a b c «Chronology of World History (1946)». www.islandnet.com. Consultado em 31 de dezembro de 2022 
  7. a b «G1 > Edição Rio de Janeiro - NOTÍCIAS - Veja histórico de acidentes com trens no país». g1.globo.com. Consultado em 31 de dezembro de 2022 
  8. «Cópia arquivada». Consultado em 5 de julho de 2009. Arquivado do original em 1 de maio de 2009 
  9. «Fanfa -- Estações Ferroviárias do Rio Grande do Sul». www.estacoesferroviarias.com.br. Consultado em 31 de dezembro de 2022 
  10. Ralph Mennucci Giesbrecht (2001). «Paciência». Estações ferroviárias do Brasil. Consultado em 2 de junho de 2019 
  11. Jornal do brasil (21 de dezembro de 1951). «Grave desastre ferroviário no Ceará». Consultado em 26 de julho de 2010 
  12. Ralph Mennucci Giesbrecht (2001). «PIQUET CARNEIRO (antiga GIRAU)». Estações ferroviárias do Brasil. Consultado em 2 de junho de 2019 
  13. «Engenheiro Goulart -- Estações Ferroviárias do Estado de São Paulo». www.estacoesferroviarias.com.br. Consultado em 31 de dezembro de 2022 
  14. «João Ayres -- Estações Ferroviárias do Estado de Minas Gerais». www.estacoesferroviarias.com.br. Consultado em 31 de dezembro de 2022 
  15. «Desastre de trem matou 33». Jornal do Brasil, Ano LXXV, edição 270, páginas 1 e 11. 17 de novembro de 1966. Consultado em 2 de junho de 2019 
  16. Ralph Mennucci Giesbrecht (2001). «Jaçanã». Estações ferroviárias do Brasil. Consultado em 2 de junho de 2019 
  17. Ralph Mennucci Giesbrecht (2001). «Pantojo». Estações ferroviárias do Brasil. Consultado em 2 de junho de 2019 
  18. «Choque de trens deixa 30 mortos». Correio da Manhã, Ano LXIV, edição 22086, página 1. 6 de abril de 1965. Consultado em 2 de junho de 2019 
  19. Gladys Peixoto (8 de junho de 2016). «Há exatos 44 anos, outro acidente marcou Mogi por morte de alunos». G1-Mogi das Cruzes e Região. Consultado em 2 de junho de 2019 
  20. «SINDEFER - Sindicato Nacional Democrático da Ferrovia - V2». www.sindefer.pt. Consultado em 31 de dezembro de 2022 
  21. Haine, Edgar A. (1993). Railroad Wrecks (em inglês). [S.l.]: Associated University Presses