Adamantina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde Maio de 2012). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Município de Adamantina
"Jóia da Alta Paulista"
Bandeira de Adamantina
Brasão de Adamantina
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 24 de dezembro de 1948 (68 anos)
Gentílico adamantinense
Prefeito(a) Márcio Cardim[1] (DEM)
(2017–2020)
Localização
Localização de Adamantina
Localização de Adamantina em São Paulo
Adamantina está localizado em: Brasil
Adamantina
Localização de Adamantina no Brasil
21° 41' 06" S 51° 04' 22" O21° 41' 06" S 51° 04' 22" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Presidente Prudente IBGE/2008[2]
Microrregião Adamantina IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Norte: Valparaíso;

Sul: Mariápolis;
Leste: Lucélia;
Oeste: Flórida Paulista.

Distância até a capital 582 km[3]
Características geográficas
Área 411,781 km² [4]
População 35 094 hab. (SP: 176º) –  Estimativa: IBGE/2016[5]
Densidade 85,22 hab./km²
Altitude 401 m[6]
Clima Tropical de Altitude Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,790 elevado PNUD/2010[7]
PIB R$ 598 647,267 mil IBGE/2011[8]
PIB per capita R$ 17 705,70 IBGE/2011[8]
Página oficial

Adamantina é um município brasileiro do interior do estado de São Paulo. Seu território ocupa uma área de pouco mais de 411 quilômetros quadrados.

História[editar | editar código-fonte]

O nome dado ao município respeitou o critério utilizado pela Companhia Paulista de Estrada de Ferro, segundo o qual aos locais de parada deveriam ser atribuídos nomes femininos, de acordo com uma sequência alfabética.

Sua história também está associada à Companhia de Agricultura, Imigração e Colonização (CAIC) que, em 1937, voltou sua atenção para a zona do espigão do Aguapeí-Peixe, reiniciando a colonização da região em continuidade ao processo que já havia começado no Estado. A partir de negociação entre a CAIC e a firma Boston Castle Company Limited, ficou estabelecido, então, que, em 1938, seria aberto um caminho na mata, aproveitando-se os trechos mais antigos. Nesse mesmo ano, foi iniciada a abertura das estradas laterais de penetração e, sob a direção do engenheiro Alberto Aldwini, também a venda de terras. O plano de colonização da CAIC dividiu a gleba em pequenos lotes, eliminando o latifúndio e formando propriedades com área média de 10 alqueires, todas servidas por água e estradas.

O surto cafeeiro e a chegada da ferrovia com ponto final no município proporcionaram o rápido crescimento de Adamantina e da área que se estendia até o Rio Paraná, fazendo convergir, para a região, passageiros e a produção agrícola. Em 24 de dezembro de 1948, foram criados o distrito e o município de Adamantina com território desmembrado do distrito sede de Lucélia e do distrito de Aguapeí do Alto, atual município de Flórida Paulista.

Cronologia
  • 1937: Chegada dos primeiros habitantes da região - funcionários da Companhia Agrícola Imigração e Colonização -CAIC.
  • 1938: Término da abertura do caminho que liga a cidade de Tupã a Adamantina.
  • 1939: Início dos loteamentos na região.
  • 1946: O número de habitantes cresce em virtude da grande produção de café e cereais
  • 1947: Construção do primeiro cinema e outras edificações.
  • 1948: Em 24 de dezembro é sancionada a Lei nº 233, criando o Município de Adamantina.
  • 1949: Em 2 de abril é instalado o município. Primeira eleição municipal. Antonio Goulart Marmo torna-se o primeiro prefeito de Adamantina.
  • 1950: Criação e instalação da paróquia de Santo Antônio. Desenvolvimento da infraestrutura com a chegada da estrada de ferro, delegacia de polícia, posto de saúde, ampliação da rede elétrica, ginásio e escola normal, pavimentação, etc…
  • Padroeiro da cidade: Santo Antônio

Geografia[editar | editar código-fonte]

  • CEP: 17800-000
  • Altitude: 453 m
  • Área Total: 411,8 km²
  • Latitude: sede do município: 21º41'07" sul
  • Longitude: sede do município: 51º04"21" oeste

Clima[editar | editar código-fonte]

Cwa(invernos brandos e secos seguidos de verões muito quentes)
  • Média anual 22,9 °C
  • Mês mais quente janeiro 25,4 °C
  • Mês mais frio julho 7,0 °C
  • Máxima absoluta 40,4 °C
  • Mínima absoluta -10,2 °C
  • A ocorrência de neve é raríssima, tendo sido registrada nos anos de 1948,1955,1962 e 1975 quando as temperaturas ficaram abaixo dos -7 °C

Religião[editar | editar código-fonte]

Adamantina possui diversas religiões, predominante cristãs IBGE/2011 :

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População total: 33.497

  • Urbana: 30.368
  • Rural: 3.129
    • Homens: 16.321
    • Mulheres: 17.176

Densidade demográfica (hab./km²): 81,34

Mortalidade infantil até um ano (por mil): 14,96

Expectativa de vida (anos): 71,71

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 1,98

Taxa de alfabetização: 90,52%

  • Índice de Desenvolvimento Humano ([IDH]): 0,812
  • IDH-M Renda: 0,753
  • IDH-M Longevidade: 0,779
  • IDH-M Educação: 0,903

População residente de dez anos ou mais de idade

  • Total: 28.808
  • Alfabetizada: 26.326
  • População estimada em 1 de Julho de 2005 (IBGE): 34.378 habitantes.

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Transporte[editar | editar código-fonte]

  • Aeroporto para aviões de pequeno porte, com aproximadamente 1 km de extensão de pista. Na região, com exceção das grandes cidades locais, é o único aeroporto com pista asfaltada.
  • Transporte Circular, atendido por inciativa privada pela empresa Guerino Seiscento, atendendo Adamantina, pelo sistema circular dentro da cidade.
  • Para pouso de helicópteros pode ser utilizado o Centro Esportivo, mediante autorização da prefeitura.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

  • SP-294 - Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros.

Educação[editar | editar código-fonte]

  • Estabelecimentos de ensino pré-escolar: 10
  • Estabelecimentos de ensino fundamental: 11
  • Estabelecimentos de ensino médio: 8
  • Estabelecimentos de ensino superior: 5
  • UNIFAI - Centro Universitário de Adamantina com quatro campus - (Instituição Pública Municipal).
  • UNIVESP - Universidade Virtual do Estado de São Paulo.
  • FATEC - Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo.
  • UNIP - Universidade Paulista.
  • Anhanguera - Universidade Anhanguera.

Centro Universitário de Adamantina - UNIFAI[editar | editar código-fonte]

A UNIFAI tem tido uma caminhada frutífera muito importante para Adamantina e região, as Faculdades Adamantinenses Integradas (FAI) após a unificação das então faculdades de Filosofia, Ciências e Letras de Adamantina (FAFIA) e de Enfermagem e Obstetrícia (FEO) vê na Educação o principal caminho para a evolução da sociedade em inúmeros sentidos, de cultural a econômico.

Hoje a UNIFAI tem 36 cursos de graduação, 24 cursos latu sensu e diversos cursos de extensão e aperfeiçoamento. A Instituição conta com uma infraestrutura que possui: 01 Biblioteca Central e 01 setorial, Ambulatório de Especialidades Médicas, Hospital Veterinário, Farmácia-Escola, Clínica Odontológica, Clínica de Nutrição, Clínica de Fisioterapia, Núcleo de Psicologia, Núcleo de Práticas Jurídicas, Núcleo Midiático, Centro Esportivo, além de laboratórios nas áreas da saúde, humanas, biológicas e agrárias.

E além de atrair novos estudantes e equilibrar a oferta e procura de vagas, a focar na continuidade do movimento de expansão da instituição, a expectativa de que a instalação do curso de Medicina, a oferta de cursos de Educação Superior a Distância (EAD) e a transformação da FAI em Centro Universitário foram aprovadas e se tornaram realidade em 2015.

Superados os desafios de sua época e, ao olhar para o futuro, reconhece-se a UNIFAI como agente de transformação social. A grande importância da UNIFAI para a juventude que vive na Nova Alta Paulista e que faz de nossa faculdade o seu berço de aprendizado. Houve um caso da solicitação da venda da faculdade, esta que foi reprovada pela câmara de vereadores e o ex: Prefeito Élio Micheloni.

Plenária do CEE-SP aprovou o processo de transformação da FAI em Centro Universitário de Adamantina (UNIFAI) em julho de 2017.

Curso de Medicina[editar | editar código-fonte]

Para analisar a viabilidade da implantação do curso de Medicina, foi constituída em agosto de 2013, uma Comissão Pró-Medicina, na FAI, cujos membros identificaram a viabilidade. A comissão debruçou-se na elaboração do projeto pedagógico, contando com a contribuição da pesquisadora professora doutora Ivete Dalben (falecida em agosto de 2014), professora da Faculdade de Medicina da Unesp de Botucatu, atuando também como supervisora de alunos de Medicina na rede básica de Saúde daquela cidade.

O curso de medicina foi autorizado pela Portaria CEE/GP nº 82 do Conselho Estadual de Educação de SP, publicado no Diário Oficial em 04/03/2015. O início das aulas da primeira turma aconteceu no dia 2 de agosto de 2015.

Os especialistas do Conselho Estadual de Educação de São Paulo (CEE-SP) fizeram uma visita técnica nas dependências da instituição para avaliar a estrutura e, posteriormente, emitiram um relatório para dar base à autorização de funcionamento do curso de Medicina. Os técnicos do Conselho Estadual de Educação (CEE-SP) elogiaram a estrutura física e de laboratórios da instituição e disseram que, neste quesito, a FAI está à frente de muitas outras instituições visitadas por eles. O curso esta de acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para cursos de Medicina (CNE/CES nº 4/2001).

Adamantina é a primeira cidade da Nova Alta Paulista a oferecer o curso de Medicina.

Saúde[editar | editar código-fonte]

  • Hospitais: Santa Casa de Misericórdia de Adamantina

Filhos ilustres[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Eleições 2012 – Confira quem são os Prefeitos Eleitos no Estado de São Paulo». Portal Bragança. 2012. Consultado em 28 de fevereiro de 2013 
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  3. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 26 de janeiro de 2011 
  4. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  5. «ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NO BRASIL E UNIDADES DA FEDERAÇÃO COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1 DE JULHO DE 2014» (PDF). IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2014. Consultado em 3 de janeiro de 2015 
  6. Embrapa Monitoramento por Satélite. «São Paulo». Consultado em 21 de julho de 2011 
  7. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 19 de setembro de 2013 
  8. a b «Produto Interno Bruto – PIB Municipal». Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados. Consultado em 12 de janeiro de 2014 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]