Benjamin de Almeida Sodré

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde janeiro de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Benjamin Sodré
Almirante de Esquadra Benjamin Sodré
Nome completo Benjamin de Almeida Sodré
Nascimento 10 de abril de 1892
Belém, Pará
Morte 1 de fevereiro de 1982 (89 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade  Brasileiro
Ocupação Almirante

Benjamin[1] de Almeida Sodré (Belém, CE, 10 de abril de 1892Rio de Janeiro, 1 de fevereiro de 1982) foi um Almirante da Marinha do Brasil, escoteiro e um futebolista brasileiro que ficou conhecido como "Mimi Sodré"[2]. Campeão em 1910 e 1912, pelo Botafogo. Em 1912, também foi artilheiro do certame, com 12 gols.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mimi Sodré.

Filho de Lauro Nina Sodré e Silva e que mais tarde se tornaria um personagem muito importante na história do Escotismo brasileiro. Curiosamente, Benjamin Sodré, que mais tarde seria conhecido pelos escoteiros como "O Velho Lobo", teve em sua vida muitas passagens e características semelhantes às de Robert Baden-Powell.

Ainda criança mudou-se para o Rio de Janeiro e depois de terminar seus estudos secundários prestou concurso para admissão na Escola Naval sendo aprovado em primeiro lugar. Fez brilhante carreira na Marinha Brasileira, sobrevivendo ao naufrágio do rebocador Guarani, em 1913 e chefiando a Comissão Naval Brasileira durante a II Guerra Mundial. Tornou-se almirante em 1954.

O Velho Lobo, assim como o fundador Baden-Powell, tinha uma série de talentos e interesses diferentes. Foi professor de astronomia, navegação e história da Escola Naval, publicou diversos trabalhos, foi maçom e sobretudo um excelente jogador de futebol, ponta esquerda do time do América-RJ, do Botafogo e da Seleção Brasileira de Futebol entre 1910 e 1916.

Desde que entrou em contato com o Movimento Escoteiro tornou-se um grande seguidor dos ideais de Baden-Powell, participando da fundação e organização dos Escoteiros do Mar, o primeiro Grupo Escoteiro de Belém, a Federação de Escoteiros paranaenses, entre outros. Escreveu o "Guia do Escoteiro" de 1925, uma das mais importantes obras do Escotismo brasileiro.

Os escoteiros do Brasil nesse período eram divididos em diversas federações e não constituíam uma unidade central. Desta forma, O Velho Lobo teve papel fundamental na idealização e criação da União dos Escoteiros do Brasil, a UEB, reunindo as quatro primeiras federações (a Federação de Escoteiros Católicos do Brasil, Federação Brasileira de Escoteiros do Mar, Federação dos Escoteiros do Brasil e Federação Fluminense de Escoteiros).

Depois de ter alcançado o posto de Almirante de Esquadra da Marinha do Brasil, exerceu a Presidência da UEB União dos Escoteiros do Brasil[3], da CNEC Campanha Nacional das Escolas da Comunidade[4], da ADESG Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra[5], do Grande Oriente do Brasil, e da Comissão Nacional de Moral e Civismo[6].

Faleceu em 1 de fevereiro de 1982, pouco mais de dois meses antes de completar 90 anos. Atualmente vários Grupos Escoteiros, ruas e espaços municipais levam o nome de Almirante Benjamin Sodré, em sua homenagem. Os Escoteiros do Brasil que completam 50 anos de bons serviços para a instituição são reconhecidos com a "Medalha Velho Lobo", em referência e homenagem a Benjamim Sodré.

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Foi honrado com uma série de títulos, entre eles o de Cidadão Honorário do Rio de Janeiro e outros Estados e medalhas de mérito, presidindo a Ordem do Tapir de Prata, a mais alta condecoração do Escotismo brasileiro.

É o PATRONO Oficial da Turma de 1985 do Colégio Naval e de 1991 da Escola Naval que celebra seus 30 anos em 21/03/2015 com evento comemorativo e Cerimônia Militar no Colégio Naval

No Bairro de Boa Viagem, em Niterói, Código de Endereçamento Postal 24210-390, e no bairro das Laranjeiras, Código de Endereçamento Postal 222440-080, na Capital do Estado do Rio de Janeiro, recebem o nome de Avenida e Rua Almirante Benjamin Sodré, respectivamente.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

A Educação Pelo Exemplo - Momentos da Vida de Benjamin Sodré, Dora Sodré - Rio de Janeiro; ERCA Editora e Gráfica, 1989.

Construindo o Futuro - Novas Gerações Na Trilha da Responsabilidade Social, Joper Padrão - Rio de Janeiro; Editorio, 2013. Citado no Capítulo "Novas gerações engatinham para o futuro" página 149.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Nota: Seu prenome se grafava com N, de acordo com diversas referências em páginas das Forças Armadas do Brasil.
  2. http://www.mis.rj.gov.br/blog/mimi-sodre-o-gentleman-dos-gramados/
  3. http://www.ccme.org.br/2009/05/05/benjamin-sodre/
  4. http://www.oocities.org/felipetiagogomes/depoim08.html
  5. http://www.adesg.net.br/visualiza-presidente?id=MQ==
  6. http://www.jusbrasil.com.br/diarios/3292208/pg-16-secao-1-diario-oficial-da-uniao-dou-de-27-12-1972
Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.