Sidney Pullen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sidney Pullen
Informações pessoais
Nome completo Sidney Pullen
Data de nasc. 14 de julho de 1895
Local de nasc. Southampton,  Reino Unido
Nacionalidade Reino Unido Brasil Anglo-brasileiro
Falecido em 1950 (55 anos)
Local da morte Rio de Janeiro (RJ),  Brasil
Informações profissionais
Posição Treinador
(ex-Volante / Meia)
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos (golos)
1910–1914
1915–1925
Brasil Paissandu-RJ
Brasil Flamengo
Brasil Fluminense

130 (47)
Seleção nacional3
1916–1917 Brasil Brasil 5 (0)
Times/Equipas que treinou3
Brasil Flamengo

Sidney Pullen (Southampton, 14 de julho de 1895Rio de Janeiro, Década de 1950[1]) foi um futebolista do Reino Unido, que atuava como meia.[2][1] Foi o primeiro estrangeiro a vestir a camisa da Seleção Brasileira de Futebol, durante o Campeonato Sul-Americano de Futebol de 1916, primeira edição da competição e precursora da Copa América.

Filho de pai inglês e mãe brasileira, Sidney Pullen veio para o Brasil ainda criança, quando seu pai, Hugh Pullen, teve que ser transferido pela empresa onde trabalhava, para a cidade do Rio de Janeiro.

Com apenas 15 anos de idade, atuou pelo Paissandu, de 1910 a 1914. Depois, com a extinção do futebol na equipe do Paissandu, ele e seu pai, Hugh Pullen, foram para o Flamengo, onde Sidney ficou de 1915 a 1925, quando encerrou a carreira.[3] Sidney Pullen também teve uma passagem pelo Fluminense, porém, não há registros do período em que atuou pelo Tricolor.

Foi convocado pelo exército inglês em 1916, para atuar na Primeira Guerra Mundial e teve que se afastar do Flamengo até voltar da guerra, em 1917.[4]

Sul-Americano de Futebol de 1916[editar | editar código-fonte]

O Brasil até teve boa participação, ao empatar com a Argentina e com o Chile, em 1 a 1, perdendo para o Uruguai, por 2 a 1, em partida polêmica.[5]

De acordo com o regulamento na época, não se poderia fazer substituições, porém um acordo de cavalheiros, estabelecido pelos capitães das equipes, teria estabelecido que substituições poderiam ser realizadas. O zagueiro brasileiro Orlando se contundiu e seria substituído, mas o capitão uruguaio, Jorge Germán Pacheco, não concordou com a alteração e o Brasil teve que prosseguir com 10 jogadores.[5]

O Brasil vencia por 1 a 0, com uma atuação magnífica de Arthur Friedenreich. Sem um jogador, a Seleção Brasileira acabou não resistindo e perdendo por 2 a 1. O Uruguai ficou com o título.[5]

A partida entre Argentina e Chile ia ser cancelada por falta de árbitro, mas as duas equipes concordaram que Sidney Pullen fosse o árbitro. A partida terminou com o placar de 6 a 1 para a Argentina.[5][3]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Flamengo[6]

Referências

  1. a b BITTENCOURT, Fábio. «Nascido na Inglaterra, Sidney Pullen foi o único estrangeiro a vestir a camisa do Brasil». UOL. Consultado em 30 de maio de 2013 
  2. NAPOLEÃO, Antônio Carlos & ASSAF, Roberto. Seleção Brasileira 1914-2006. São Paulo: Mauad Editora Ltda. 300 páginas. ISBN 85-7478-186-X 
  3. a b «Árbitro - Sidney Pullen». O Gol. Consultado em 30 de maio de 2013 
  4. COSTA, André & MOHAUPT, Fabrício (5 de fevereiro de 2012). «Ídolos da Nação - Sidney Pullen». Magia Rubro Negra. Consultado em 30 de maio de 2013 
  5. a b c d AYRES FILHO, Júlio. «Sidney Pullen». FlaNews. Consultado em 30 de maio de 2013 
  6. «Sidney Pullen». Flapédia. 1 de maio de 2011. Consultado em 30 de maio de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]